Archive for July, 2013

Cultura

Cultura

A palavra “cultura” possui ampla abrangência. Um debate mais rico sobre sua origem histórica, possíveis significados linguísticos, sociológicos e antropológicos, pode levar horas, ou pode gerar temas de mestrado e doutorado, como já gerou diversas vezes.
Portanto, pretendo aqui, de forma lacônica, definir essa palavra em somente um dos sentidos onde ela pode ser aplicada. No caso, refiro-me ao conjunto de atividades e manifestações, principalmente as artísticas, da sociedade. Como exemplo temos a música, dança, cinema, pintura, teatro, poesia, arquitetura e por aí vai.

Neste sentido, a cultura pode ser dividida em diversos subconjuntos, e aqui apresento três deles:

Alta cultura ou Cultura Erudita, que a grosso modo, é a arte com alta carga intelectual agregada, com conhecimento científico e muita qualidade técnica. Vai desde peças de teatro, música clássica, até a arquitetura do interior de uma catedral da Renascença. É uma cultura que normalmente visa a elite e a classe média alta, não somente pelos valores financeiros normalmente elevados para lhe acessar, mas também pela frequente necessidade de carga acadêmica, de informação, de conhecimento científico, para a compreensão da mesma.

Cultura popular, que seria o conjunto de manifestações mais simples e espontâneas de uma sociedade ou comunidade. Aqui não está presente necessariamente um alto teor intelectual, mas sim um reflexo dos sentimentos do cidadão e de suas observações e interpretações sobre os eventos do dia a dia. Está presente na capoeira, no samba de morro, ou nas músicas folclóricas de festa de cerveja na Alemanha.

Cultura de massa, que é aquela pensada e desenvolvida para ser vendida, com o intuito de atingir ao máximo possível de pessoas, a “massa”. Aqui está, por exemplo, o Michel Teló, filmes da sessão da tarde da Rede Globo, ou as novelas.

Claro que, nem sempre é tão fácil identificar a qual subdivisão pertence uma certa expressão cultural. Mas a grosso modo, essas subdivisões são bem eficientes.

Clicando AQUI vocês encontrarão um pouco mais de detalhes.
Para ler o nosso post sobre a Cultura na Europa/Alemanha, e um parêntese de breve comparação e crítica à cultura no Brasil, clique AQUI (Em construção. Disponível ainda esta semana).
Para acessar nosso post que critica a falta de espaço que a cultura e a arte encontram no mercado brasileiro, clique AQUI.

por Miguelito Formador

Figura retirado do Link

transparenciaEnquanto a reforma política não vem (e torço para que venha logo), a FAB deu um passo importante e passou a divulgar a utilização dos aviões oficiais por políticos, ministros e chefes de Estado. Na informação, disponível para consulta a partir de 12 de Julho, há o trajeto, horário de pouso e decolagem e número de passageiros, além do solicitante.

Obviamente houve pressão da opinião pública depois que abusos foram descobertos, como o de Renan Calheiros (é… ele mesmo!) que foi a um casamento em Porto Seguro e do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, que levou parentes de Natal para o Rio de Janeiro aliando uma visita oficial a Eduardo Paes com a final da Copa das Confederações entre Brasil e Espanha.

A informação está lá, organizada inclusive por dia. (link aqui). Difícil de acreditar mesmo é a notícia que Renan, Henrique Alves e de que o ministro da Previdência Garibaldi Alves devolverão aos cofres públicos os valores tomados indevidamente, cuja soma passaria de R$50 mil.

A iniciativa da FAB faz parte da chamada Lei do Acesso a Informação, sancionada no ano passado. A lei estabelece como princípio o direito dos cidadãos a qualquer informação do poder executivo federal. Outro portal interessante é o Portal da Transparência, onde é possível consultar verbas repassadas por programa, por entidade, por contribuinte e por exercício.

Uma observação interessante: é possível também descobrir o salário dos servidores! (link para o salário da presidente aqui)

Ainda falta muito, uns continuarão usando helicóptero para transporte de cachorrinha, outros usarão cartão de crédito corporativo para gastos fúteis e inúteis, uma grande maioria não marcará seções por quinze dias consecutivos sem admitir que estão tirando férias e os da elite seguirão sonegando…

Pelo sim, pelo não, informação nunca é demais. O que vem desses portais, cruzado com registros de sites como o Transparência Brasil, que avalia o histórico de políticos e juízes do supremo, através do desempenho no trabalho e notícias de jornal, pode ser melhor que qualquer Ficha Limpa. Basta saber usar!

É utópico e romântico da minha parte, concordo. Mas é um início!

por Celsão correto.

P.S.: os estados também têm o seu “portal de transparência” – o link mais rápido e direto é o http://www.transparencia.xx.gov.br/, onde o “xx” pode ser trocado por “sp“, “mg“, “rj”, “ap“, “to“, etc.

figura retirada daqui

Justiça Intocável

Justiça Intocável

O Juiz/Ministro do Tribunal de Contas da União, Raimundo Carreiro, mudou sua data de nascimento tornando-se 2 anos mais jovem. Com essa mudança, “coincidentemente”, ele passa a ser o segundo próximo sucessor da presidência do TCU, e assumirá o cargo de 2017 a 2018. Sem essa modificação na idade, ele provavelmente aposentaria antes de poder assumir o cargo.

Curioso não? Quanta coincidência…. esse cabra é um cabra de sorte. Deus deve ter aproveitado a visita do Papa e vasculhou algumas pessoas que precisavam de ajuda por aí no Brasil, e deu aquela forcinha.
Justiça Justa. Para acessar o link da notícia sobre o Ministro R. Carreiro, clique AQUI.
E pra completar, viram o Joaquim Barbosa (Batman) cumprimentando o Papa e ignorando a Presidente da República? E onde fica a harmonia entre os 3 poderes, exigida na Constituição? É assim que o representante de um poder trata o outro?
“O artigo 2º da Constituição diz que Legislativo, Executivo e Judiciário são poderes “independentes e harmônicos entre si””

E, analisando friamente este momento de cumprimentar o Papa, em que o mundo inteiro estava de olho, observando pela TV as celebrações papais, vê-se o presidente do Supremo ignorando a Presidente do executivo e o Brasil é mais uma vez chacota mundial. O desrespeito deste senhor, não é somente à Presidente e à instituição “Poder Executivo”, é um desrespeito para com a Nação Brasileira!

Um viva a quem apoia este cara na presidência da República!
Um ser incapaz de fazer diplomacia, de demonstrar carisma, totalmente incapaz de relacionamentos interpessoais, instável, explosivo, polêmico. Realmente, tem tudo para administrar bem o país e nos representar!
Não viu o episódio? Sem problemas: Clique AQUI.
por Miguelito Nervoltado
Figura do site
Evo_Morales

Evo_Morales

A humanidade parece caminhar em busca de mais liberdade e respeito à liberdade do próximo. Parece caminhar em busca de um convívio pacífico e de direitos iguais, com leis mais justas e melhor aplicadas, e que valham para todos.
Alguns mais ingênuos acreditam que hoje em dia, barbáries como o holocausto judaico na Alemanha e outras estórias do século passado, não podem mais acontecer, pois temos uma mídia ampla que garante a velocidade da informação do mundo globalizado, leis mais duras e mais justas, e órgãos como a ONU que são a voz maior sobre o zelo mundial. Doce ilusão.

Prova disso é vermos os EUA invadindo o  Iraque sem aprovação da ONU, e com um pretexto que nunca foi comprovado: presença de armas nucleares. Hoje todos sabem que tudo era questão de petróleo e de imperialismo na região. No Afeganistão, a história é parecida. Do mesmo jeito que se sabe no Brasil, que os EUA sempre estiveram por trás de nossa ditadura militar, sabe-se na região do Afeganistão/Paquistão/Cazaquistão/Índia que a invasão do Afeganistão tem, possivelmente, como principal motivo, o controle da produção e vasão de drogas da região. Para quem não sabe o Afeganistão é o maior produtor de drogas da região e principal abastecedor da Europa e Ásia.
Ainda sobre o Afeganistão, é trágico o incidente no WTC, e isso se agrava pelo fato de haver tantas evidências documentadas, além das lógicas, que nos levam a crer uma trama interna para criar um pretexto de invasão.

Claro que temos outras dezenas de guerras civis e guerras entre países acontecendo no mundo atualmente. Mas essas são desinteressantes o noticiamento, pois acontecem entre povos que não têm valor, por serem pobres; portanto sem nomes, sem alma, sem importância, apenas números. Somente quando há possibilidade de ganhos políticos e financeiros altos, a situação recebe as rajadas dos holofotes midiáticos.

Sabemos também que, por trás de muitas dessas guerras, tanto aquelas onde os EUA são os protagonistas, quanto as outras, um dos principais motivadores é a indústria bélica, que, de alguma forma, precisa fazer negócios. E nada melhor para os seus negócios que uma guerra. Invente motivos para que um povo tenha raiva de outro, e vice-versa, e dissemine isso através da mídia. Daí bastam algumas jogadas políticas e pronto, tem-se uma guerra. Vários grupos têm enormes lucros, enquanto alguns pobres sem nome e sem importância, se matam.
(Cliquem AQUI para assistirem ao documentário de Michael Moore, Bowling for Columbine, sobre o porte de armas/indústria bélica)

Mas por que passei por toda essa introdução? O ocorrido da semana passada me chocou quase tanto quanto a invasão do Iraque. O presidente da Bolívia, Evo Moráles, estava em visita à Rússia, e no caminho de volta para Bolívia, foi forçado a desviar seu voo, parar em Viena, pois havia indícios de que Snowden (que revelou ao mundo que Bush e Obama monitoravam/monitoram a internet e a telefonia do mundo. Clique AQUI para ler mais sobre isso em um outro artigo nosso) poderia estar embarcado na aeronave do presidente, e seria levado para a Bolívia para receber abrigo político.
Daí eu me pergunto: como pode um país impedir que o voo de um presidente prossiga, somente por uma suposição que este, poderia estar levando em seu avião um fugitivo político de outra Nação? Eu nem vou entrar no debate se o tal de Snowden deveria mesmo ser preso ou não. Nem vou entrar em detalhes sobre como funciona a legislação internacional para abrigo político. Nem vou comentar sobre a impenetrabilidade de Embaixadas e veículos oficiais. Mas o fato é que, interceptar a aeronave de um presidente, por causa de uma suposição, me parece um ato quase de guerra!

Mas não faz mal, não é mesmo? Afinal, é o presidente da Bolívia e ele tem tendências socialistas. Já pensaram se fosse o Obama voltando do Brasil para os EUA, impedido de abastecer seu avião no México, obrigado a voltar e pousar na Venezuela, onde sofre um interrogatório feito pelo próprio Maduro? Adivinhem o resultado disso! Será que os EUA depois declarariam guerra à Venezuela? …Se bem que, se tratando de países hegemônicos, cujo melhor exemplo atual são os Estados Unidos, eu apostaria que tudo seria armação, para servir de pretexto para invadir a Venezuela de vez, desbancar o governo de esquerda vigente e então pegar todo o petróleo para si só; marginalizando a sociedade novamente, como bichos, números…

Mas é o Evo Morales, um índio boliviano, presidente de uma país pobre… Então, leis internacionais para quê, né? Diplomacia, para quê? Ela é importante para quem pode oferecer algo em troca.
Engraçado que no facebook, tirando as pessoas extremamente politizadas, ninguém comentou isso. Mas a vinda dos médicos cubanos, aí sim, isso é uma atrocidade e desrespeito à sociedade.
Enquanto as pessoas não perceberem como isso tudo está conectado (consumismo, poluição do meio ambiente, riqueza vs fome, indústria de armas, indústria farmacêutica, bancos, agronegócio, petróleo, capitalismo, demonização de governos sociais, demonização de Fidel Castro, Hugo Chávez, invasão do Iraque, Osama Bin Laden, Sadam Hussein, ataque ao WTC, ditaduras militares, alienação e manipulação do povo através de um ensino falho e uma mídia super manipuladora e geradora de ódio e medo, revelações de Savange no “Wikileaks” e Snowden, intercepção do avião de Evo Morales, desmatamento, superaquecimento do planeta, poluição, pobreza e miséria), continuaremos sendo tão dominados quanto éramos no período do Império Romano; só que de forma mais eficiente, pois naquela época as pessoas tinha consciência da submissão, mas nada se podia fazer, por causa da força bruta dos dominantes. Hoje em dia, não se sabe da submissão, pois os artifícios para nos transformar em seres não-pensantes são tão eficientes, que quase tornam desnecessária a intervenção brutal. Mas quando, em alguns episódios de exceção, essa balança perde o equilíbrio, temos de volta a velha companheira, força bruta!

Para ler uma das notícias sobre a intercepção do voo de Evo Morales, clique AQUI.

por Miguelito Formador

figura do site

Democratizar a mídia

Democratizar a mídia

Hoje pela manhã, um dia após o dia em que os movimentos sociais se reuniram por todo Brasil para fazerem seus protestos – 11-07.2013, dei uma “rolada” no meu facebook e vi por volta de umas 70 últimas publicações. Somente 1 falava algo dos protestos de ontem (tirando os tantos jornais, revistas e blogs que eu “curto”, pois estes sim publicaram bastante sobre ontem). Inclusive estes mesmos blogs e jornais fazem as mesmas indagações que eu venho aqui fazer.

Por que o silêncio? Por que ninguém fala nada? O movimento ontem foi pequeno?
Comparado com o dia onde mais de 1 milhão foi para as ruas, foi sim. Mas foi maior que muitos outros dias de protesto, e mesmo assim muito menos divulgado. Por quê?
Por que as singelas reportagens que saíram em todos os grandes jornais e revistas do Brasil ontem, só deram ênfase nos TRANSTORNOS causados pelos protestos de ontem? Por que nenhum deles deu ênfase nas CAUSAS do protesto?
Você, usuários do facebook, viram por lá reportagens da Globo ou bombardeios de fotos/”montagens” mostrando os cartazes presentes nos protestos de ontem? O que tinha escrito nos cartazes dos manifestantes de ontem? O que gritavam os manifestantes? O que pediam? Interessa isso? Ninguém tem curiosidade????
Os manifestantes de ontem, que foram em usa maioria movimentos sociais, centrais sindicais, motoboys, integrantes do Movimento dos Sem Terra – MST, e os trabalhadores proletariados, movimentos que já protestam desde o início de sua existência, não tiveram a atenção do POVO brasileiro, aquele povo que vaia a presidente da república, Dilma Rousseff, no estádio, aquele povo que pede participação política ativa do povo, mas depois se posiciona contra o plebiscito (oi???). Por que não tiveram tanta atenção deste “povo”? Os movimentos sociais são menos importantes que os movimentos dos estudantes classe média? Será que as causas daqueles são menos justas que as destes? Quem será que tem mais consciência política? Quem será que tem posicionamentos críticos melhor estruturados, pensados, definidos com muito suor, muito debate e muita luta em busca de mais justiça e direitos?
As respostas para quase tudo isso devem estar relacionadas com “quem” foi o foco dos “ataques” de ontem, né? Ou estou viajando?
Mas quem foi o foco dos protestos de ontem?
1) A grande mídia! Principalmente a Rede Globo!
2) Juízes do Supremo!
3) Grandes empresários e bancários! Publicitários e marqueteiros que viabilizam a corrupção política! As grandes indústrias do Agronegócio!
4) Coronéis da política como Sarney, Calheiros, Collor (todos estes donos de meios de comunicação de peso, mesmo isso sendo proibido pela constituição)!
5) Aqueles políticos e a parcela da população brasileira que é contra o plebiscito, que é contra a participação do povo na política.
6) A classe média que se deixa ser conduzida pela mídia, e ainda canta de inteligente, mais estudada, mais preparada!
Será que é por isso que tudo aconteceu num silêncio ensurdecedor!!?!?
obs.: Por favor, não venha argumentar que saíram sim reportagens, até mesmo ao vivo, sobre ontem. Claro que saiu! Mas estou falando de “ênfase” e de “intensidade”! Em outros momentos dos protestos, foi dada muito mais atenção e cobertura, e, se comparado com estes momentos, ontem foi um silêncio. Além do silêncio, levanto aqui a crítica sobre “o que foi mostrado”. Não mostraram as causas, os objetivos, mostraram somente os transtornos oriundos dos protestos, ou seja, novamente, os que estavam nas ruas ontem, eram somente vândalos que estão a incomodar a livre circulação de gente do bem!!!!
por Miguelito Nervoltado
Mais fontes sobre o assunto? Clique AQUI, ou AQUI.
Figura retirado do Site

post_medicosTudo começou com a notícia da “importação” de médicos cubanos.

O Conselho Federal de Medicina foi contra, pois afinal, temos profissionais muito mais qualificados e prontos para exercer a profissão, é o governo que não dá oportunidade.

A mídia e a burguesia foram contra. Ignorando fatos conhecidos, como a qualidade da saúde em Cuba, a experiência desses médicos, sobretudo em áreas pobres e em doenças dessas áreas e a recusa dos nossos médicos em atender os pontos longíncuos do país.

Não vou isentar o governo do descaso geral com a Saúde Pública. A falta de recursos, leitos, material humano torna desafiador e trágico o dia-a-dia dos profissionais da saúde na maioria dos confins dessa Nação. Mas houve ação e coragem na idéia. Temos um baixíssimo contingente de médicos estrangeiros e dificuldades em preencher vagas nas regiões Norte e Centro-Oeste, mesmo com salários, comparativamente, mais altos.

Daí vieram os protestos. Médicos e outros profissionais foram as ruas nas principais cidades para criticar a vinda de médicos Cubanos e reinvindicar “melhores condições” de trabalho. Justo o protesto e algumas exigências como teste de validação de Diploma e proficiência em Português, na minha opinião. Injusto pedir auxílio moradia, melhores salários e planos de carreira para irem, por exemplo, para o Tocantins ou o Acre. Parece-me que eles querem “expatriações” dentro do próprio país…

Agora surgiu mais um ponto nesse conto: houve aumento na carga horária dos cursos de medicina; os futuros profissionais deverão trabalhar dois anos no SUS, vinculados à Universidade, recebendo bolsa e ajudas de custo em caso de deslocamento. O anúncio foi feito no lançamento do programa “Mais Médicos para o Brasil” e já gerou críticas de todos os lados. Dizem que agora nossos cursos serão os mais longos do mundo, apontaram como retrocesso e trabalho forçado a medida, e como um impedimento ao desenvolvimento profissional ou especialização.

Bem ou mal, algo está sendo feito. E, cá pra nós… Salários de R$10 mil para atuação nas periferias, a “importação” de profissionais somente em caso de vagas remanescentes e agora da Espanha e Portugal (Cuba deu o que falar), está muito além do que os demais profissionais do nosso país têm.*

O que me faz perguntar: o que afinal os médicos querem?

por Celsão correto

* exceção feita aos políticos e juízes. Mas não entremos em assuntos mais complicados nesse post.

figura proveniente de montagem. Original retirada daqui

anderson-silva-revista-afro1-300x194O brasileiro, de um modo geral, é carente de heróis. Talvez seja o tal “complexo de vira-latas”, cunhado por Nelson Rodrigues depois da final da Copa de 1950 que nos obriga a tal inferioridade, a “sermos menos” do que somos realmente, talvez seja apenas a alegria em olhar um semelhante no topo, não sei. Mas é assim…

É como se cada qual pudesse ser visto junto, empunhando a bandeira, entoando o hino, representado numa festa de estrangeiros, sendo também “o cara”.

Foi assim com Ayrton Senna, com o Guga no tênis, com o Lula em sua primeira eleição presidencial, com diversos craques do futebol e mais recentemente com o Anderson Silva, “craque” do MMA ou UFC. Tal esporte (muitos discordam dessa definição), vem crescendo em popularidade e tomou o lugar do boxe no gosto do brasileiro, boxe de Éder Jofre, Adilson Maguila e Acelino Popó Freitas, outros heróis.

E Anderson é (ou foi?) um típico herói nacional: negro, de origem humilde, sem um biotipo definido como o de esportista, com um “quê” de deboche, de ginga, de malandragem brasileiros. Ele reinou no esporte por anos a fio e detém recordes difíceis de superar.

Não entrarei nos méritos da luta ou da derrota. O que pretendo com essa introdução ou estória é “cutucar” este senso comum de heroísmo. Herói pra mim não é aquele que se destaca por dons ou preparação específica, não é o esportista, o artista, o apresentador, o político. Herói é aquele que acorda antes que o sol nasça, leva horas em transporte público, trabalha muitas vezes em condições sub-humanas ou em dois empregos a fim de sustentar a família, prover o pão e condições melhores para a próxima geração, para sua família.

Muito mais heróico foi ir às ruas protestar e reinvidicar, é se indignar com desmandos e corrupção, é condenar roubalheira, é buscar o melhor para si e para a Nação, tornando-se parte responsável pelo país.

Talvez esse seja um momento de repensar e requalificar os “heróis nacionais”. Exaltar as glórias e feitos sim, principalmente quando vierem com uma promoção benéfica para o país, mas tendo em conta que são pessoas como outras e que os verdadeiros heróis, somos nós!

por Celsão revoltado

figura retirada daqui