Archive for December, 2013

O que eu queria pra 2014

Posted: December 29, 2013 in Comportamento
Tags:

Sergio_Vaz_postQueria que as sementes plantadas aqui e no dia-a-dia de cada um se multiplicassem, para que o Brasil começasse a mudar e contrariássemos as previsões negativas de que o país nunca mudará (um camarada de faculdade fala em possibilidade de mudança só daqui a 300 anos!)

Queria que houvesse mais ética e menos “jeitinho” por parte de todos nós; por exemplo: menos ocupação de vagas de estacionamento para idosos e deficientes, a desculpa de que “não existem tantos idosos no shopping assim” não serve mais pra 2014.

Queria que houvesse mais paciência e mais cidadania no trânsito. Com os motociclistas, com os pedestres e também com heróis ciclistas. Que estes heróis se multipliquem em meio ao caos! Que descubramos modos de usar o transporte público ou que vivamos mais próximos ao trabalho.

Queria que os políticos dessem exemplos de ética, trabalho e perseverança no cumprimento dos seus deveres. Que juízes julgassem sem demagogia e sem querer aparecer. Que governantes do executivo exercitassem o certo e coibissem duramente o errado; e que o legislativo buscasse incessantemente a solução dos graves problemas do país, mais leis e menos conchavos!

Queria que a corrupção passe a ser palavrão! Proibido nas escolas e repartições públicas. Que exemplos de punições contra atos ilícitos surjam a todo momento e se espalhem, não somente para dar audiência e vender jornal, mas para mudar.

Queria que as manifestações continuassem, mas com sentido claro, sem badernas. A organização proveniente do povo faria surgir (quem sabe) núcleos politizados menores, que poderiam (quem sabe) eleger seu próprio representante nas câmaras municipais e estaduais…

Por último o mais difícil: queria ver as reformas midiática (lei dos médios), política (voto distrital, restrições a troca de partidos), tributária e agrária. Queria incentivo ao desenvolvimento e à industrialização, e crescimento econômico de qualidade, gerando emprego e renda. Queria também maior e melhor distribuição de renda, mas não indefinidamente; com horizonte!

Utópico? Eu diria apenas “romântico”. Mas… ler, refletir e repassar é um começo!

por Celsão correto.

P.S.: E os “querias” usando o futuro do pretérito é “licença poética”. Tudo isso eu “quero“, em tempo presente mesmo…

a figura é uma montagem da foto e de uma frase-arte do poeta da Cooperifa Sérgio Vaz (figuras aqui e aqui)

Imposto Total x Renda Familiar

Imposto Total x Renda Familiar

Há 17 países no Mundo com maior carga tributária que o Brasil, e próximo de outros 30 com carga tributária parecida com a nossa.
Portanto, pare de falar que pagamos os maiores impostos do mundo. Chega de ignorância e analfabetismo político-econômico.
(Acesse a lista completa de países por carga tributária AQUI. Ou clique AQUI para ver uma lista selecionada pelo Mundo Estranho, com 11 países em relação ao Imposto de Renda e Carga Tributária total)

Daí teremos chance de focar, de forma embasada e eficiente, nos pontos que realmente são importantes neste debate:

1) Os impostos totais são justos no Brasil?
Afinal, no Brasil, quem mais paga imposto, é o pobre. Isso se deve primeiramente por nossos impostos e tributos sobre a produção serem muito elevados. O resultado disso é que pagamos impostos altos embutidos nos preços de quaisquer produtos e serviços. O preço dos produtos e serviços é o mesmo para o pobre e para o rico. E assim, obviamente, o rico paga menos impostos em produtos e serviços, proporcionalmente aos seus salários, que os pobres.
Para exemplificar: Em uma camiseta que custa R$20,00, suponhamos que o valor total de impostos e tributos no preço da camiseta seja de R$8,00. Ou seja, tanto o pobre quanto o rico, pagará R$8,00 de impostos ao comprar essa camiseta. Porém, o pobre ganha R$500,00 de salário, e o rico ganha R$20.000,00. Assim, o pobre paga ao comprar esta camiseta, 1,6% de seu salário em imposto sobre este produto. Já o rico paga somente 0,04% de seu salário em imposto sobre esta camiseta.

Além disso temos o Imposto de Renda, que também é completamente injusto. O rico no Brasil paga, no máximo, 27,5% de imposto de renda (tirando que no fim do ano, ao fazer todas as deduções, estes 27,5% caem muitas vezes para 20%, 18%, e valores ainda menores). Na Alemanha, o imposto de renda chega a 50%. Na Suécia, 60%.
Resumindo, no Brasil, quanto mais dinheiro você tem, menos “imposto total” você paga.
Observando a figura-gráfico acima, podemos perceber que uma família que tem renda de até 2 salários mínimos paga, em média, 49% de impostos totais. Com renda de 8 a 10 salários mínimos, paga 30%. Quem ganha mais de 30 salários mínimos, paga somente 26% de imposto. E assim por diante. Ou seja, quem tem grandes fortunas no Brasil, paga impostos irrisórios. 

2) Como estamos aplicando nossos impostos?
Como tornar essa aplicação mais eficiente? (Aqui entra amortização da dívida pública, os gastos com os 3 poderes e funcionalismo público, e o que sobra que vai para investimentos. E claro, corrupção, cartéis, superfaturamentos).
É fato evidente que, o pobre tem muito mais dificuldade que o rico em praticamente todos os processos cotidianos. O rico tem moradias mais seguras e de melhor qualidade, nos melhores bairros. Pode comprar melhores produtos. Tem mais facilidade de locomoção. Tem acesso aos melhores hospitais privados e planos de saúde. Pode pagar os colégios privados, mas mesmo assim usufrue do ensino superior público, mais que os pobres. E vou parar por aqui, pois a lista de vantagens de acessibilidade e oportunidades do rico com relação ao pobre é infinita no Brasil.
Desta forma, penso eu, e qualquer pessoa com um mínimo de senso de justiça e solidariedade ao próximo que, os impostos que pagamos deveriam ser dedicados “principalmente” à melhoria da vida dos mais pobres, dos mais necessitados. Obviamente, todos nós queremos melhorias e a vida da classe média e do rico no Brasil, também não é só amores e facilidades. Mas convenhamos, não queiramos comparar as dificuldades destes, com as dos pobres e excluídos pelo sistema. (Clique AQUI e leia nosso artigo sobre as desigualdades de renda no Mundo)

Assim sendo, será que nossos impostos são aplicados principalmente com o intuito de melhorar a vida daqueles que mais precisam de suporte e auxílio? Eu entendo que nunca foi!
De alguns anos para cá tivemos uma melhoria drástica, com a criação e expansão de políticas sociais, aumento do salário mínimo, geração de empregos, etc. Mas ainda estamos muito longe de algo justo e eficiente.

O Brasil precisa de Reforma Tributária urgentemente. Porém essa reforma não está na agenda de nenhum político, pois afinal, ela representa um pesadelo para a elite. É só falar em Reforma Tributária, que nenhum político ganhará eleições. Paradoxo!
Alguns acreditam que, para viabilizar a Reforma Tributária, o único caminho é Reforma Política primeiramente.
Por isso, essa Reforma Política também é tao perigosa para a elite.
Dilma sabia disso, e propôs justamente por isso, o plebiscito, para que O POVO escolhesse como fazer a Reforma Política, pois se dependesse do nosso Congresso, composto majoritariamente por pessoas à serviço da elite, nunca sairia. Adivinhem o que aconteceu? A mídia, a serviço da elite, logo se posicionou “provando” ao povo (principalmente à classe média) que o plebiscito é fria, é inconstitucional, é ruim para a “população”….

E assim a Reforma Política caiu em esquecimento, e com ela, as chances de uma Reforma Tributária.
É assim que se faz política no Brasil.
Como diria um amigo meu: O Brasil não é para amadores.

por Miguelito Formador

figura daqui

SUPERMERCADO-LOTADOImaginem aquele dia que nada dá certo… Aquele dia em que muitos teriam se arrependido de sair da cama.

Agora completem esse dia com a obrigatoriedade de passar no mercado. Isso aconteceu comigo.

Como estava com muito trabalho, decidi passar numa dessas redes grandes, com horário mais flexível, no caso, aberta as 24h do dia. Pensei com meus botões que evitaria não só trânsito, mas também stress.

Pois bem, tinha lista de compras, cheguei ao mercado sem trânsito, estacionei perto da entrada evitando vagas demarcadas para idosos, gestantes e deficientes e peguei meu carrinho.

Aí começou o martírio…

Como encontrar os preços dos produtos? As placas indicativas são confusas e nunca estão nos lugares certos; sem contar que o preço do Colgate fresh vermelho pode ser diferente do preço do preto. E a placa encontrada é a do verde!

“Mas existem dispositivos para leitura do código de barras” – alguém pode argumentar. Sim, elas existem. Mas só as vezes funcionam e quando são encontradas!

Segundo detalhe: as marcas que você quer sempre estão escondidas. Geralmente na prateleira de baixo, com acesso complicado ou no final do corredor, depois que já foram escolhidos os produtos de marca própria. É como se houvesse uma “máfia” para vender o produto “Carrefour” ou os produtos da marca que paga para aparecer nas prateleiras “preferenciais”.

 

Uma constatação cada vez mais gritante: tenho a impressão de ser sacaneado dia após dia em relação ao tamanho da embalagem dos produtos.

Citando um exemplo: determinado pacote de bolachas tinha 200g e custava “x”, depois passou a ter 180g e 160g, mas manteve o preço. Daí aumentam o preço em 20% e colocam num pacote especial a inscrição: “20g grátis!”. Por último lançam pacotes menores, com nomes sugestivos, tipo “lanchinho” e retomam o pacote de 200g com o nome de “família”. E, logicamente, o preço do menor será “x” e o “família” custará o dobro.

E é assim com desodorantes, cerveja em diferentes formatos, papel higiênico… A ideia parece ser confundir o consumidor na avaliação do preço ou custo x benefício.

Outra coisa que me revolta profundamente: o consumo de produtos no interior do mercado! Principalmente porque não há intenção de pagar por eles; sejam salgadinhos, iogurtes, chocolates, bolachas e até cerveja (uma rede colocou geladeiras com cerveja gelada e já vi por duas vezes pessoas consumindo na fila do caixa, largando as latas por ali).

Esse consumo se acentua quando há presença de crianças. Aliás, pra quê levar criança pro mercado?

Entendo que muitos pais não têm onde deixar os filhos, mas outros têm e, mesmo assim, levam os pequenos “pra passear”, já ensinando-os como comprar errado, a consumir desenfreadamente e a comer e beber durante as compras.

Não raro vemos esses “monstrinhos” aos gritos de “Eu quero!” em frente a prateleiras de guloseimas.

Pra terminar, os caixas.

Parece que são feitos para que se tenha filas. Talvez para que se compre mais guloseimas e revistas, que ficam ali ao lado, tentando o povo que não tem o quê fazer, fora observar as capas de “Caras” e “Veja”.

Nos mercados 24h, o número de caixas da madrugada é mínimo e as filas também são longas. Ou seja, o meu plano inicial de gastar menos tempo indo em horários alternativos não funcionou…

E os caixas (pseudo-)rápidos? Não importa se acima deles o cartaz diz 10, 20, 30 volumes. Muitos clientes com “cara-de-pau” chegam nessa fila com um carrinho cheio e não são barrados! O mínimo que eu espero de pessoas de bom senso é não passar por ali, prejudicando o andamento da fila para aqueles que somente pegaram poucos itens.

(Eu também gostaria que “caixas de bom senso” barrassem esses folgados; mas uma vez me explicaram que há também muita falta de educação nessa gente e as agressões, verbais e físicas, são comuns se um caixa comenta sobre o número de itens; de modo que o mercado pede para que os funcionários atendam a todos, não importando o número de itens)

Enfim… Isso é Brasil.

por Celsão revoltado

figura retirada daqui, sem intenção de fazer propaganda

size_590_2013-12-11T232703Z_1614087320_GM1E9CC0KJV01_RTRMADP_3_UKRAINE-EUGostaria de ressaltar nesse post algumas notícias curiosas e interessantes que li sobre acontecimentos recentes pelo mundo.

O protesto na Ucrânia, onde manifestantes permaneceram por mais de quinze dias acampados na Praça da Independência de Kiev sob temperaturas negativas, deu resultado. Uma representante da União Européia revelou que o país voltou a discutir a assinatura do acordo de livre comércio, contrariando os desejos da Rússia.

Pra quem não acompanhou, o governo ucraniano abandonou conversas avançadas com a Comunidade Européia por pressão de Moscou; o que desagradou a população da ex-República Soviética que prefere atualmente acordos com o “ocidente” a acordos com a Rússia. (leia a matéria aqui e o novo caminho das negociações aqui)

protestotaliandiamonge1apNa Tailândia, protestos violentos ocorrem nas ruas desde Agosto deste ano. O motivo? Uma lei polêmica de anistia aprovada pela premiê, Sra. Yingluck Shinawatra (impronunciável). Mas, e qual o problema nisso? Esta lei representa manobras políticas arquitetadas pelo irmão da premiê, Sr. Thaksin Shinawatra, um bilionário que comandou o país com favorecimentos e compra de votos e hoje vive no exílio, depois que foi derrubado num golpe militar em 2006.

Agora a polícia convocou o líder dos manifestantes para conversar, visando minimizar o conflito; que não arrefeceu mesmo com a antecipação de eleições para Fevereiro próximo. A oposição acusa o irmão da premiê da compra de votos das zonas rurais e preferiria que o rei nomeasse outro governante (aqui a notícia de agosto e aqui+aqui os novos acontecimentos)

Alguns tailandeses acreditam que tais manobras são possíveis apenas porque o país vive uma monarquia, onde o rei, já com 86 anos, é muito querido, mas nada manda…

tn_620_600_cartaz_81213No Paraguai (isso mesmo, até no Paraguai!) em protesto contra a corrupção dos senadores, milhares de donos de estabelecimentos em diversas cidades penduraram placas de repúdio, negando-se a receber os senadores responsáveis em seus negócios, sendo eles, restaurantes, mercados, academias, farmácias, dentre outros.

A maioria dos senadores haviam mantido a imunidade parlamentar do Sr. Victor Bogado, que empregava parentes em cargos públicos e até a babá das filhas (que em Itaipu, recebia um salário de quase quatro mil reais).

As placas penduradas, mesmo sabendo que os políticos muito dificilmente entrariam nesses locais, geraram desconforto e, posteriormente, a revogação da lei e a cassação da imunidade do senador Bogado, que poderá ser julgado por má conduta administrativa e fraude. (caso deseje, as notícias podem ser lidas aqui e aqui)

Minhas conclusões para tudo isso:

1) Somos frouxos. Pois reclamamos demasiado e aceitamos corrupção, nepotismo, manobras políticas, manipulação da mídia, governador que usa helicóptero público para fins privados, drogas transportadas em veículos oficiais, dentre outras barbaridades.

2) É triste sentir inveja de países como a Ucrânia, a Tailândia e o Paraguai.

por Celsão irônico

figuras retiradas daqui dos próprios links apontados.

Rumo às 300 curtidas

Posted: December 13, 2013 in Outros
Tags: ,

OESPOntem passamos de 196 “curtidas” no facebook, para 242, ultrapassando a marca dos 200.

Estamos muito felizes com essa etapa, pois significa mais pessoas acompanhando nosso trabalho, dedicado voluntariamente à tentativa de trazer informação de maior confiabilidade, numa visão alternativa à da mídia convencional e das verdades absolutas ensinadas, com frequência, nas escolas e dentro dos lares.

Obrigado a todos os nossos leitores pela força. Continuaremos buscando cada vez mais, com humildade e perseverança, instigar o senso crítico, os questionamentos, ampliar e aprofundar o conhecimento, e abrir os horizontes da “visão” e compreensão de cada um que nos lê. 🙂

@ Divulguem nosso blog entre seus amigos, ajudem-nos a alcançar ainda mais pessoas e tornar nosso trabalho mais impactante. Aqui nossa página no facebook: https://www.facebook.com/OpinioesEmSintoniaPirata

Um abraço fraterno a todos,
Miguelito e Celsão.

bolsa-família-prêmio“Bolsa Família” recebe o “Award for Outstanding Achievement in Social Security”, maior prêmio internacional de resultados sociais, uma espécie de “Nobel Social”.
O prêmio é concedido a cada 3 anos pela Associação de Seguridade Social que foi fundada na Suíça, em 1927, e é reconhecida por 157 países e mais de 300 ONGs.
Para ver a notícia, clique AQUI

A pergunta é: Será que Lula e Dilma também “compraram” este título? Será que a institucionalização da máfia petista adquiriu tamanho porte e alcance? Perguntas complexas que desafiam o intelecto de uma ameba!

Enquanto isso, no Brasil e somente no Brasil, o povo é convencido de que a Bolsa Família só serve para comprar votos e gerar “vagabundos e preguiçosos”. Para não ser injusto na generalização, vou mencionar que também existem os menos radicais, que descredibilizam todo o programa somente por causa de problemas pontuais (sempre presentes num país tão complexo quanto o nosso) que representam um pingo, frente aos infindáveis ganhos e ao progresso que o programa trouxe, traz e trará. Uma dica: Parem de falar hipocritamente “o programa é bom, mas…”, “o Bolsa Família trouxe coisas boas, mas….”. Ou você assume logo que não concorda com o problema, sem hipocrisias, ou então mude seu discurso. 

Um exemplo de discurso mais honesto: “O Bolsa Família é muito bom, não há como negar isso. Trouxe muito progresso, diminuiu a desigualdade social, aumentou o índice de crianças na escola, e garantiu o pão de cada dia de muita família. Todos os números e índices são favoráveis e mostram que estre programa é muito benéfico. Ponto! Obviamente, como em tudo na vida, ainda há o que ser melhorado, e justamente por isso, é importante que o governo, juntamente com a sociedade, continue trabalhando de forma a tornar este programa ainda melhor e mais eficiente. Fim!”
Viram como a conclusão fica clara? Lendo isso, todo mundo percebe que, eu sou a favor do programa, gosto do mesmo, reconheço que trouxe praticamente só coisas boas para a sociedade, mas ao mesmo tempo eu reconheço que ele não é perfeito, e melhorias são necessárias. Sem hipocrisias, sem rodeios. Ponto final. 

Deixe-me contar um segredo para vocês, mas não espalhem: sabem o Pepe Mujica (presidente do Uruguai que doa 90% de seu salário a instituições de caridade e ONGs e é considerado o presidente mais “pobre” do mundo) e o Nelson Mandela (que dispensa comentários)?
Pois então, ambos são (no caso do Mandela, era) odiados em seus respectivos países por uma parcela enorme da população, mesmo sendo idolatrados no mundo. Esse fenômeno é conhecido e tem um nome: MÍDIA !

por Miguelito Nervoltado

figura daqui

Abraço carinhoso entre os amigos Fidel e Mandela

Abraço carinhoso entre os amigos Fidel e Mandela

Antes de mais nada, seguem aqui dois posts anteriores sobre Nelson Mandela:
1) Post mais antigo com uma dica fabulosa de leitura sobre a vida de Madiba. Clique AQUI
2) Nossa homenagem à Mandela em decorrência de seu falecimento. Clique AQUI

Esse artigo não é uma homenagem, nem um texto “bonitinho”. É um texto crítico, que tem a intenção de lembrar a história real de Mandela e despertar no leitor o interesse para uma auto-reflexão.

Não sei se eu tenho definições e valores muito estranhos, ou se a incoerência é uma das características mais marcantes da sociedade.

Por exemplo: Eu acho extremamente incoerente eu admirar alguém que tem como ídolos pessoas pelas quais eu tenho pavor, que eu considero péssimos seres humanos. Digamos que, a pessoa X tenha como ídolo, companheiro, exemplo, amigo, pessoas como Hitler, George Bush ou o general Pinochet. Seria uma extrema burrice, desinformação, alienação, babaquice e falta de coerência minha, admirar e ter como ídolo o senhor X, uma vez que eu tenho horror às pessoas que ele admira. Afinal de contas, um ídolo é algo muito forte, profundo, e desta forma, os valores, ética, sentimentos pelo mundo e pelos seres, têm que ser no mínimo compatíveis com os nossos (o fã).

Por que estou falando isso?
Bom, o mundo encontra-se de luto por ter perdido um dos seres mais magníficos de nossa história, Nelson Mandela.
Acompanhando meus amigos do facebook, vejo centenas de homenagens vindas de pessoas de diversas crenças e posicionamentos ideológicos.

Pois bem. Não sei se vocês sabem, mas Mandela fez uma política fortíssima de ações afirmativas na África do Sul visando retirar o desequilíbrio entre negros e brancos e acabar com o racismo. Mandela lutou, depois de sair da cadeia, pelos direitos dos homossexuais. Mandela foi feminista e lutou pelos direitos das mulheres no mundo. Mandela foi a favor de maior intervenção estatal, mais impostos para os mais ricos e menos impostos para os mais pobres, para que o Estado tivesse mais dinheiro e pudesse assim ajudar mais os mais necessitados.

Mandela foi amigo pessoal e profundo admirador de Fidel Castro, o ditador “sanguinário”, “terrível” para seu povo, e tão odiado por boa parte dos brasileiros e do mundo. Mandela elogiou a vida inteira a revolução cubana e a pessoa de Fidel. (Clicando AQUI, você pode ler o discurso de Mandela em Cuba após sair da prisão, onde ele tece inúmeros elogios e palavras de carinho e gratidão a Fidel Castro, ao povo cubano e à revolução cubana.)
Mandela era radicalmente socialista. Antes de ser preso, apoiou e lutou com os movimentos rebeldes na África do Sul liderados pelo  CNA (Congresso Nacional Africano) do qual foi fundador. Este movimento rebelde na África do Sul na década de 60, era muito parecido em ideais e intensidade com os que aconteciam em Cuba, mais ou menos na mesma época (inclusive, historiadores dizem que Mandela se inspirou na revolução cubana). Eram duas revoluções socialistas que visavam acabar com a exploração da elite sobre a população excluída. No caso da África do Sul, o foco era maior na luta racial, pois lá este problema era muito mais grave que em Cuba. (Leia mais AQUI)

Querem mais um exemplo? Mandela e Lula eram admiradores recíprocos. Lula teve a oportunidade de encontrá-lo algumas vezes. Lula se inspirou-se nas ações afirmativas de Mandela e adaptou ao Brasil, criando, entre várias outras políticas, a política de cotas por condição social e racial (negros e índios). Hoje, as cotas no Brasil são odiadas e criticadas pela classe média branca, os mesmos que estão de luto por Mandela….

Mandela elogiou em algumas oportunidades as conquistas do Brasil durante o governo Lula, e já disse até que outros países subdesenvolvidos e cheios de desigualdades deveriam se inspirar no governo brasileiro.

Lula é um profundo admirador de Mandela. E Mandela também admirava Lula….Mandela apoiou outros governantes que hoje em dia são vistos como demônios pelo mundo. Entre eles, Saddam Hussein. Sim minha gente, é isso mesmo. E o motivo é claro: Mandela sempre se posicionou contra qualquer tipo de exploração interpessoal e contra qualquer tipo de imperialismo. Desta forma, Mandela se posicionava categoricamente como oposição e resistência aos EUA, hegemônicos no mundo desde a Segunda Guerra Mundial. Como Saddam Hussein também lutava contra o mesmo inimigo, Mandela tinha apresso por ele, e dava certo apoio.

Aqui segue o melhor artigo, entre dezenas, que li nas últimas 24 horas sobre Mandela. Um pouco de sua história e da África do Sul. Países que apoiaram o Apartheid militarmente e ideologicamente. Governantes que foram oposição a Mandela e aqueles que foram companheiros de luta. Um artigo curto, porém com muita informação. Clique AQUI.

Se Mandela fosse brasileiro, seria tratado pela mídia e pela classe média local como “terrorista”, para falar o melhor dos adjetivos. E ainda estaria preso, se já não tivesse morrido na cadeia.
Eu sou fã e profundo admirador de Mandela JUSTAMENTE por isso tudo e todo o resto que ele fez e foi. E também sou admirador de todos aqueles que Mandela admirou.
Já uma boa parte da sociedade odeia o Lula, Fidel Castro, e outros colossos da esquerda. Mas têm Mandela como ídolo e exemplo.

Estão percebendo a incoerência? Vocês cortam com uma faca de um gume. Para um lado corta, para o outro amacia. Falta coerência no posicionamento da sociedade. E para essa falta de coerência só existem duas explicações plausíveis:
1) Alienação profunda que impregnou na sociedade pelo sistema educacional frágil e corrompido, e pela mídia bandida a serviço da elite exploradora e imperialista.
2) Uma falta profunda de honestidade intelectual, uma hipocrisia babaca, onde se defende aquilo que lhe traz benefícios individuais (nunca pensando no próximo) e não lhe prejudica a imagem frente à sociedade.

Aproveitem este momento lamentável da história, para fazerem um mínimo de auto-reflexão. Pois vocês estão a admirar um cara que deu sua vida pelo povo. Afastou-se deliberadamente da família e amigos pelos seus ideais maiores. Foi criticado, caçado, ficou 27 anos na prisão, sofreu torturas, foi chamado de tolo, utópico, inocente, bobo. Mandela foi um extremo radical socialista, ou se preferirem um extremo radical de esquerda!
Um cara que lutou não somente ideologicamente, mas sim militarmente. Fez revolução!!!!
E você? Consegue fazer algo mais que postar uma frase pronta de Mandela no seu mural? Consegue se esforçar para ser coerente? Consegue ao menos fazer o mais básico do básico: refletir e tentar melhorar você mesmo?

por Miguelito Nervoltado

figura daqui

Nelson-Mandela-Soweto-Soc-001

Parte do que sou e do que admiro num ser humano, morreu ontem.

Líder, ético, engajado, inspirador. Um exemplo, um ícone de cidadania, perseverança, luta contra as desigualdades raciais e sociais.

São tantos adjetivos e superlativos que este post parecerá piegas demais.

Mas não havia como não fazê-lo…

 

Nossa geração não foi contemporânea de outros nomes importantes na luta contra o racismo, como Malcolm X, Martin Luther King ou Zumbi dos Palmares. E, como negro, impossível não identificar em Mandela um ídolo.

 

Ele abnegou da vida “confortável” (para um negro na África do Sul) de um advogado, abdicou da família, de sua própria vida por uma causa. E uma causa que não era só dele, mas também de seu povo sofrido, de seu país. Algo que serviria também de exemplo para o mundo!

E mais, depois de 27 anos de prisão, quando as pressões internacionais apertaram e sua liberdade estava próxima, escreveu ao então presidente Frederik de Klerk oferecendo uma aliança, uma transição pacífica, um governo de todos os habitantes sul-africanos e para todos: negros, mestiços e brancos.

Este movimento “secreto”, sem o aval ou o consentimento dos aliados do ANC (Congresso Nacional Africano), foi criticado por eles; mas pôde minimizar o que seria um “racismo às avessas” ou um “contra ataque” dos negros.

Ou seja, Nelson Mandela foi além de seu orgulho, de sua luta e quis, como resultado final, perdoar o seu inimigo e aliar-se a ele, para ter um governo pleno, sem distinções, sem racismo!

Me sinto sozinho. Creio que o mundo se sente um pouco mais sozinho.

Espero que descanse em paz e que surja em Johanesburgo, Pretória ou na vila em que nasceu um monumento em sua memória, para que eu tenha o prazer de visitá-lo um dia.

Adeus Madiba!

por Celsão correto

P.S.: já havíamos feito um post sobre o Mandela aqui.

P.S.2: figura retirada daqui

veja_1808

veja_1808

A Veja é a revista mais lida do Brasil. O número de exemplares da mesma distribuídos semanalmente é maior que o somatório de exemplares da 2°(Época) + 3°(IstoÉ) + 4°(Caras)….
Este alto índice de consumo da revista Veja certamente é influenciado pelo fato de que diversos governos estaduais e municipais compram assinaturas da revista para disponibilizarem nas escolas públicas. Como exemplo, temos o governo do estado de São Paulo, onde o governador Geraldo Alckmin contratou, sem licitação, 5.200 assinaturas da revista para distribuição em escolas públicas estaduais por todo o estado, gastando R$ 669.240,00 como forma de “investimento em educação”. Esse número é suficiente para abastecer praticamente todas as escolas públicas do estado. Leia mais aqui.

Além disso, entre as 10 revistas mais lidas (clique para ver a lista completa e número de assinaturas), temos essas 7: “Tititi”, “Contigo”, “Ana Maria”, “Minha novela”, “Caras”, “Viva Mais”, “Malu”. Essas revistas falam basicamente de Novela, moda, fofocas, celebridades, compras, entre outras futilidades. O que há de mais interessante nelas talvez sejam as dicas de culinária.

Daí, quando os blogs e veículos de esquerda escrevem e provam que o “brasileiro médio” é alienado e mal-informado, e que aceita de bom grado o que vem da mídia sem questionar; acabam sendo chamados de arrogantes, acusados (numa inversão de lógica) de manipularem com a mão invisível da esquerda radical e de tentarem provar “teorias conspiratórias”. Pois é, está aí uma das teorias da conspiração: os brasileiros leem muita porcaria…

Aposto aqui que a audiência do Jornal Nacional também deve ultrapassar o somatório dos jornais equivalentes no Gazeta, Cultura, e até mesmo os da SBT, Bandeirantes e Record. Mesmo “presos” à mídia brasileira, estes outros têm personagens que exprimem sua opinião de forma mais independente, como Bob Fernandes da TV Gazeta,  e os convidados rotativos do Jornal da Cultura.

Sem Lei de Médios, qualquer mudança cultural profunda em nosso país, rastejará.

por Miguelito Nervoltado

Figura daqui