Impostos e Tributos no Brasil

Posted: December 22, 2013 in Outros, Sociedade
Tags: , , , ,

Imposto Total x Renda Familiar

Imposto Total x Renda Familiar

Há 17 países no Mundo com maior carga tributária que o Brasil, e próximo de outros 30 com carga tributária parecida com a nossa.
Portanto, pare de falar que pagamos os maiores impostos do mundo. Chega de ignorância e analfabetismo político-econômico.
(Acesse a lista completa de países por carga tributária AQUI. Ou clique AQUI para ver uma lista selecionada pelo Mundo Estranho, com 11 países em relação ao Imposto de Renda e Carga Tributária total)

Daí teremos chance de focar, de forma embasada e eficiente, nos pontos que realmente são importantes neste debate:

1) Os impostos totais são justos no Brasil?
Afinal, no Brasil, quem mais paga imposto, é o pobre. Isso se deve primeiramente por nossos impostos e tributos sobre a produção serem muito elevados. O resultado disso é que pagamos impostos altos embutidos nos preços de quaisquer produtos e serviços. O preço dos produtos e serviços é o mesmo para o pobre e para o rico. E assim, obviamente, o rico paga menos impostos em produtos e serviços, proporcionalmente aos seus salários, que os pobres.
Para exemplificar: Em uma camiseta que custa R$20,00, suponhamos que o valor total de impostos e tributos no preço da camiseta seja de R$8,00. Ou seja, tanto o pobre quanto o rico, pagará R$8,00 de impostos ao comprar essa camiseta. Porém, o pobre ganha R$500,00 de salário, e o rico ganha R$20.000,00. Assim, o pobre paga ao comprar esta camiseta, 1,6% de seu salário em imposto sobre este produto. Já o rico paga somente 0,04% de seu salário em imposto sobre esta camiseta.

Além disso temos o Imposto de Renda, que também é completamente injusto. O rico no Brasil paga, no máximo, 27,5% de imposto de renda (tirando que no fim do ano, ao fazer todas as deduções, estes 27,5% caem muitas vezes para 20%, 18%, e valores ainda menores). Na Alemanha, o imposto de renda chega a 50%. Na Suécia, 60%.
Resumindo, no Brasil, quanto mais dinheiro você tem, menos “imposto total” você paga.
Observando a figura-gráfico acima, podemos perceber que uma família que tem renda de até 2 salários mínimos paga, em média, 49% de impostos totais. Com renda de 8 a 10 salários mínimos, paga 30%. Quem ganha mais de 30 salários mínimos, paga somente 26% de imposto. E assim por diante. Ou seja, quem tem grandes fortunas no Brasil, paga impostos irrisórios. 

2) Como estamos aplicando nossos impostos?
Como tornar essa aplicação mais eficiente? (Aqui entra amortização da dívida pública, os gastos com os 3 poderes e funcionalismo público, e o que sobra que vai para investimentos. E claro, corrupção, cartéis, superfaturamentos).
É fato evidente que, o pobre tem muito mais dificuldade que o rico em praticamente todos os processos cotidianos. O rico tem moradias mais seguras e de melhor qualidade, nos melhores bairros. Pode comprar melhores produtos. Tem mais facilidade de locomoção. Tem acesso aos melhores hospitais privados e planos de saúde. Pode pagar os colégios privados, mas mesmo assim usufrue do ensino superior público, mais que os pobres. E vou parar por aqui, pois a lista de vantagens de acessibilidade e oportunidades do rico com relação ao pobre é infinita no Brasil.
Desta forma, penso eu, e qualquer pessoa com um mínimo de senso de justiça e solidariedade ao próximo que, os impostos que pagamos deveriam ser dedicados “principalmente” à melhoria da vida dos mais pobres, dos mais necessitados. Obviamente, todos nós queremos melhorias e a vida da classe média e do rico no Brasil, também não é só amores e facilidades. Mas convenhamos, não queiramos comparar as dificuldades destes, com as dos pobres e excluídos pelo sistema. (Clique AQUI e leia nosso artigo sobre as desigualdades de renda no Mundo)

Assim sendo, será que nossos impostos são aplicados principalmente com o intuito de melhorar a vida daqueles que mais precisam de suporte e auxílio? Eu entendo que nunca foi!
De alguns anos para cá tivemos uma melhoria drástica, com a criação e expansão de políticas sociais, aumento do salário mínimo, geração de empregos, etc. Mas ainda estamos muito longe de algo justo e eficiente.

O Brasil precisa de Reforma Tributária urgentemente. Porém essa reforma não está na agenda de nenhum político, pois afinal, ela representa um pesadelo para a elite. É só falar em Reforma Tributária, que nenhum político ganhará eleições. Paradoxo!
Alguns acreditam que, para viabilizar a Reforma Tributária, o único caminho é Reforma Política primeiramente.
Por isso, essa Reforma Política também é tao perigosa para a elite.
Dilma sabia disso, e propôs justamente por isso, o plebiscito, para que O POVO escolhesse como fazer a Reforma Política, pois se dependesse do nosso Congresso, composto majoritariamente por pessoas à serviço da elite, nunca sairia. Adivinhem o que aconteceu? A mídia, a serviço da elite, logo se posicionou “provando” ao povo (principalmente à classe média) que o plebiscito é fria, é inconstitucional, é ruim para a “população”….

E assim a Reforma Política caiu em esquecimento, e com ela, as chances de uma Reforma Tributária.
É assim que se faz política no Brasil.
Como diria um amigo meu: O Brasil não é para amadores.

por Miguelito Formador

figura daqui

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s