Não é política, é caráter

Posted: October 15, 2014 in Política, Sociedade
Tags: , , , , , ,

Reproduzo abaixo um texto que escrevi em meu perfil de Facebook, dedicado a alguns amigos específicos.
Aproveito a replicação aqui no blog para dedicar este texto também a todos vocês leitores que se sentirem identificados no que aqui será exposto.


AmorXódioQueridos amigos. Vocês são muito especiais, e compartilham comigo de uma mesma sensação recente, todos vocês.

A sensação de desilusão.

Sim, aprofundar nos estudos políticos e sociológicos, aprofundar nas observações sobre o comportamento da sociedade, gera uma frustração muito grande. Ao percebermos como o ser humano pode ser desonesto intelectualmente, hipócrita, arrogante, teimoso, agressivo, tudo em prol de defender seu ego, gera em nós um desgosto, um lamento. Como podem ser capazes de alimentar tanto ódio, sem nem mesmo terem motivos reais para o mesmo? Nos perguntamos.

Nós que nos esforçamos em demasia para obtermos o máximo possível de conhecimento e informação, para sabermos daquilo que falamos. Nós que refletimos todos os dias ao deitarmos em nossas camas, e pensamos profundamente sobre tudo, e tentamos ver se há equívocos em nossa maneira de pensar ou agir. Nós que sempre pisamos com os dois pés atrás, antes de acreditarmos em algo. Nós que temos sensibilidade dolorida, e qualquer suspiro de maldade do mundo nos corta a alma. Nós que buscamos desenvolver nosso senso crítico ao extremo, e percebemos assim as mentiras e maldade nos pequenos gestos. E principalmente, a nós que foi dado o dom de conseguirmos pensar nos outros, no coletivo, antes de pensarmos em nós mesmos. Nós que travamos nossa luta pelo próximo, pela melhoria de vida do outro, principalmente daquele que menos tem. Travamos essa luta com muita fidelidade, honestidade, ética, responsabilidade e amor, sem ganhar NADA em troca, simplesmente a consciência limpa de que estamos desempenhando nosso trabalho de formiguinha para construirmos um mundo melhor (mesmo que seja uma utopia, mas como disse Mia Couto, “a utopia nada mais é que a força que nos faz caminhar sempre em frente”).

Nós sofremos muito mais que qualquer outra pessoa. Nós absorvermos toda essa maldade, como um filtro. Um filtro humano, que absorve a sujeira, para que ideias mais puras cheguem ao próximo.
Não pessoal, não é gostoso ser filtro, e estar sempre carregado de sujeira. Mas o que fazer? Fechar os olhos e nos isolarmos em nosso mundinho? Sim… é possível, mas acho que eu não seria capaz. Plagiando Einstein “uma mente que se expande não mais se apequena”.

Ninguém disse que seria fácil. Muito pelo contrário. Eu por exemplo, a todos do meu arredor que me procuraram para que pudéssemos nos ajudar mutuamente e crescer juntos, eu sempre avisei: “Você tem que estar certo de sua decisão, pois é um caminho sem volta, e será cada vez mais doloroso”.
Eu sei que mesmo vocês não entenderam 100% o que eu queria dizer. Mas quem entende o outro 100%? Não há! Pois cada um de nós é um único universo.

Mas percebo que à medida que vocês se aprofundam, e assumem com maior intensidade a luta pelo bem para dentro de vocês, nós (você e eu) nos tornamos mais síncronos e nos entendemos/alcançamos ainda melhor.

Nessas eleições, máscaras caíram, e a hipocrisia, que é um problema crônico da sociedade brasileira, principalmente da maior parte da classe média, foi se desfazendo e se tornando algo claro. Preconceitos, arrogância, elitismo, individualismo, indiferença para com as dores do mundo, egoísmo, foram deixando de estar debaixo da máscara da hipocrisia, e foram se tornando parte de um discurso mais aberto e transparente, por parte de muita gente. E dentro destas “muita gente”, estão colegas, conhecidos, amigos de infância, parentes, família, pessoas que “admirávamos”. E pessoal, é ÓBVIO que isso dói demais em nossa alma! Tira-nos o sono. Causa-nos pesadelo. E muitas vezes, até mesmo nós que também somos seres humanos, sentimos coisas ruins, como preguiça, nojo, raiva!
Ora, só porque buscamos evoluir não quer dizer que sejamos perfeitos. Mas não nos coloquemos JAMAIS no mesmo balaio dos tolos, JAMAIS!
Estamos diante neste momento de compreender com maior plenitude a celebre frase de Che Guevara: “Há de endurecer-te, mas perder a ternura jamais!”

Sempre achamos essa frase bonita. Até mesmo os tais tolos acham essa frase bonita. Mas compreendê-la em plenitude é algo bem mais raro, pois exige uma caminhada individual, uma caminha árdua, mas que expande nossas mentes, e nos livra de correntes culturais do senso comum.
Para entender melhor essa referida caminhada, acesse AQUI meu texto “A escalada da Sabedoria”.

Com todos vocês aqui marcados, tenho conversado inbox no facebook, ou por e-mail, ou por telefone, ou pessoalmente, nos últimos tempos. Temos conversado muito, e sempre o mesmo assunto. Estamos todos cansados, desiludidos, desesperançosos. Queremos ajudar o mundo, mas o mundo parece não querer ser ajudado. Queremos dormir. Queremos fechar a porta para os problemas dos outros, e cuidarmos de nós, pois estamos enlouquecendo no meio de tanta insanidade. Queremos ter paz em nossas vidas! Queremos desfazer o Facebook. Queremos ignorar os e-mails daquele tio com ar de oráculo, mas totalmente alienado. Queremos bloquear dezenas de pessoas no Whatsapp, que ficam mandando fotos e vídeos mentirosos e maliciosos. Queremos evitar embates e debates. Não aguentamos mais!!!
Acreditem, as conversas com cada um de vocês individualmente, foram uma repetição de exclamações e desgostos. Portanto, entendam, compartilhamos exatamente dos mesmos sentimentos.

Assim sendo, eu quero dizer-lhes que, respeitarei em plenitude aqueles de vocês que se isolarem, ou evitarem futuros debates. Se está demais, então deves fazer isso mesmo. Eu te apoiarei, pois entendo sua complexidade, sua profundidade, e sei da dor que sentes.
E se você quiser continuar lutando, se ainda tiver alguma energia aí, conte comigo, como sempre pôde contar. Você não está sozinho, não mesmo. E sabe que minha companhia não é rasa, estou com você por maior que seja o seu inferno astral. Estou com você, antes de estar comigo mesmo.

Aproveito para lembrar que aqui não se trata de política somente pessoal. E sei que mesmo alguns de vocês não entendem quando digo isso, e me criticam. A política, em momentos de tanta tensão como esse, serve para revelar a face mais profunda do caráter das pessoas. Não se trata de apoiar Aécio ou Dilma, Marina ou Levy, Luciana ou Eduardo. Trata-se sim de apoiar a vida, apoiar um mundo mais justo ou não. Apoiar aqueles que já têm uma vida melhor, ou apoiar aqueles que mais sofrem. Trata-se de ser CAPAZ de abrir mão de seus benefícios pessoais, identificando que você já é um ser humano com muitos privilégios, e então lutar por mais direitos ao próximo, que tem menos direitos que você.

Portanto, não estamos lidando só com política, estamos conflitando com a dura realidade do caráter do ser humano, e é justamente isso que nos dói.
Portanto, nossa luta não é só política, mas é uma luta por um mundo melhor, por sociedades mais justas, mais críticas, mais coletivas.

Lembremos que todo ser humano é uma complexidade. Todos temos coisas boas e coisas ruins. No fim, nós somos o resultado de onde alimentamos mais. Se nos alimentamos de coisas boas, nos tornamos melhores. Se ingerimos coisas ruins, piores.

No Brasil, temos uma educação rudimentar, que não prepara o cidadão moral- e eticamente, não nos dá referencia de ética-social, não nos ensina a pensar criticamente, questionar, não nos ensina a aprender com humildade, não nos ensina a respeitar as diversidades e pluriculturas. Temos famílias que herdam uma cultura elitista e preconceituosa de seus antepassados escravagistas e aristocratas, e repassam isso para nós, em maior ou menor grau. Temos a forte presença de igrejas fundamentalistas, radicais e bandidas, com único interesse de manipular seus fiéis para obter grana. E temos uma mídia sem qualquer regulamentação, uma mídia bandida que defende única- e exclusivamente o interesse de seus patrocinadores, grandes empresas, em detrimento do interesse da sociedade.

Portanto, somos alimentados quase o tempo todo por tudo o que há de pior! Não tem segredo. Isso origina essa nossa sociedade, que elege Bolsonaros, Felicianos, etc… que elege o Congresso mais conservador desde 1964. Que protesta por mudança na política em 2013, e em 2014 elege uma política ainda mais podre que a anterior, e pior…. acham que fizeram bem seu papel de cidadãos.
Essas eleições são muito importantes, mas ganhando Dilma ou Aécio, a maior derrota já tivemos, que foi a vitória do conservadorismo no Congresso, e a revelação de quão contaminada está a sociedade brasileira.

Mas nossa luta tem que ir muito além da eleição. Nossa luta tem que continuar no dia a dia. Como fazemos para mudar os 4 pontos descritos acima por mim? Educação, Igrejas, Cultura familiar, Mídia? Pois somente mudando estes pontos, trabalhando aí, podemos ter uma sociedade que fomente o que há de melhor em cada um de nós, e nos faça enfim, nos tornamos um país mais honesto, mais justo, mais igualitário, mais inteligente, mais civilizado, mais coletivo.

Eu quero trabalhar, e buscar soluções para estes problemas. Eu continuo sonhando com um Brasil mais bonito, mesmo tendo a impressão de que o próprio Brasil não queira isso. Na verdade, eu sei que o Brasil quer, o problema, é que o Brasil não sabe que quer. Como disse Gilberto Gil “o povo sabe o que quer, mas também quer o que não sabe”.

Então, meu trabalho continuará sendo feito, mesmo que eu não seja compreendido. Pois esse é justamente um dos principais objetivos do meu trabalho, “fazer com que cada vez mais pessoas compreendam e alcancem o que eu, e outros militantes do povo, fazemos”. Eu luto para abrir os olhos da sociedade, para eles “quererem”. Quererem e aceitarem serem ajudados.

Amo vocês, e contem comigo para o que vier. Ao menos chegaremos ao fim de nossas vidas, olharemos para trás e diremos “nós tentamos”, que orgulho e alegria.

Com muito carinho.

* Para ler nosso artigo sobre o ódio e o amor na política, clique AQUI

por Miguelito Filosófico

Figura de edição própria. Figura original daqui

Comments
  1. Neide de Lima Moura says:

    A utopia é meu combustível. Faz-me ir à escola, dialogar com os alunos sobre assuntos diversos e também ouvir dos mesmos que política é um horror, que os políticos são todos iguais, que são favoráveis à redução da maioridade penal, que vão votar nulo porque não acreditam em ninguém, que são apolíticos, que são contra a união homoafetiva, etc. O que a indústria cultural e os meios de comunicação fizeram com os nossos jovens? Ultimamente tenho recorrido à sabedoria de Brecht (O analfabeto político) para dialogar com eles e mostrar-lhes que todas as nossas ações são políticas, até mesmo ir às ruas para demonstrar o descontentamento com a política, como você mencionou em um artigo anterior. É desanimador e frustrante, contudo, quando o debate cresce e um ou dois argumentam com mais criticidade e se distanciam do senso comum, vem um lampejo e já começo a pensar na aula seguinte. E então recorro novamente a Brecht:

    Nada é impossível de mudar
    Desconfiai do mais trivial,
    Na aparência do singelo.
    E examinai, sobretudo,
    O que parece habitual.
    Suplicamos expressamente:
    Nunca digam: isso é natural!
    Pois em tempo de desordem sangrenta,
    De confusão organizada,
    De arbitrariedade consciente,
    De humanidade desumanizada,
    Nada deve parecer natural.
    Nunca digam: isso é natural!
    A fim de que nada passe por ser imutável!

    Compreendo sua angústia…

    Um abraço,

    Neide.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s