Posts Tagged ‘Dilma’

Dilma_Cabisbaixa
Privar o Palácio Alvorada de comida (comida para Dilma).
Restringir os voos de Dilma.
Proibir a TV pública de usar a palavra Presidenta.

Para qualquer pessoa com um mínimo de sanidade mental e honestidade intelectual, SÓ isso já é suficiente para entender que o Brasil está vivendo um golpe de Estado, com características presentes em qualquer ditadura da história.

E olha que nem mencionei o processo de impeachment, que ocorreu sem legalidade constitucional, pois faltaram os princípios geradores de Impeachment. Nem mencionei as conversas de Jucá, Sarney, Calheiros, etc, onde confessam tirar a Dilma para se livrarem da Lava-Jato, tampouco mencionei que, também nessas conversas gravadas, o Ministro da Transparência (órgão máximo anti-corrupção), Fabiano Silveira, dá dicas a Renan Calheiros de como driblar a Lava-Jato.

Não mencionei que a Transparência Internacional, maior organização do mundo no combate à corrupção, rompeu relações com o Brasil e o governo Temer, após o escândalo envolvendo o Ministro Fabiano Silveira. (Aqui)

Olha que não mencionei que documentos do Wikileaks e de Snowden (NSA) revelam SEM CHANCE DE REFUTAÇÃO, que Michel Temer serviu de informante para inteligência americana CONTRA os interesses nacionais do Brasil, o que configura o crime mais grave contra a soberania da nação.

Nem mencionei que, entre os ministros de Temer, não há 1 negro nem 1 mulher, e que mais de 70% dos ministros sofrem atualmente processos judiciais por corrupção e outros crimes até mais graves (esse corpo do Governo JAMAIS venceria uma eleição, e só é possível assim, tirando um presidente eleito democraticamente pelo voto, e se apoderando do Estado sem a menor legitimidade do povo)…..

Não mencionei que TODOS os ministérios extintos pelo Governo Temer, são ministérios que servem aos já poucos direitos de minorias, e/ou que servem à cultura e educação do povo. E que os cortes públicos que estão ocorrendo, todos eles, somente impactam o bolso e as vidas do povo pobre, já tão sofrido…. enquanto isso, servidores do judiciário e cargos políticos como os parlamentares, têm “gordo” aumento salarial aprovado pela Câmara em MEIO Á CRISE e a CORTES DE GASTOS PÚBLICOS.

Nem mencionei que José Serra, Ministro das Relações Exteriores, já anuncia medidas claras para abrir a exploração de nosso Petróleo para o capital estrangeiro, e já “abana o rabo” para a privatização total ou parcial da Petrobrás (os recursos advindos do Petróleo representa”va”m o nosso sonho de um país realmente melhor, e emancipado.

Eu nem mencionei….. Ah, nem mencionei um monte de coisa.

Mesmo que você não acredite, com toda essa boa/má-fé sua, que não houve golpe de Estado, pelo menos, o mínimo que você deveria aceitar e entender, é que o maior golpe está sendo dado contra o POVO brasileiro e em nossa soberania enquanto Nação.

* Assistam ao vídeo, de apenas 3 minutos, inspirador deste texto. Comentários de política com Bob Fernandes (Aqui)

por Miguelito Formador

figura daqui

Como nos últimos tempos todos nós brasileiros nos concentramos em demasia na questão do Impeachment da Presidente Dilma, acabamos dando pouca atenção a outras questões que correm em paralelo.

Resolvi dar minha contribuição para que o leitor possa se atualizar, tomando conhecimento de algumas notícias e fatos bizarros ocorridos nas semanas que antecederam ao Impeachment; ações de nosso Vice-Presidente (Michel Temer – hoje Presidente), do Presidente da Câmara (Eduardo Cunha – recentemente “temporariamente” afastado de seu mandato como deputado por decisão do STF), e do nosso Congresso Nacional (a voz do “povo”).
Vejam as últimas manchetes sobre estes, que buscam derrubar a Presidente Dilma Rousseff com a promessa de fazerem uma “limpeza ética” na política brasileira, e realizarem um Governo para o “povo”.

Obs: ressalto que essas notícias ocorreram antes da votação do impeachment pelo Senado. Pretendo fazer um post na mesma linha, ressaltando as notícias do pós-impeachment no Senado.

Senado_Composicao

  • GLOBO

O Globo, 19.04.2016
Cunha diz que não votará qualquer projeto enviado pelo Governo Dilma, a não ser que seja para “derrubar”
AQUI

O Globo, 26.04.2016
Temer promete aos ruralistas (Agronegócio) revisar desapropriações e demarcações
AQUI

O Globo, 26.04.2016
Eduardo Cunha foi derrotado na discussão sobre criação da Comissão da Mulher, que deveria ser adiada. Mas forçando nova votação, aprovou a criação do Colegiado
AQUI

Globo, 26.04.2016
Fernando Collor vai a Temer propor programa contra Crise
AQUI

Globo, 27.04.2016
Dilma vetou no passado, mas Câmara acelera votação do reajuste do judiciário
AQUI

O Globo, 29.04.2016
Após reprovar filha de Eduardo Cunha em exame de condução (Exame Nacional de Trânsito), em 2008, funcionário do Detran é acusado de extorsão e é suspenso. O mesmo tenta anular até hoje a punição dada em 2009
AQUI

O Globo, 29.04.2016
Documento de Temer prevê privatização de “tudo o que for possível”
AQUI

  • FOLHA

Folha, 08.04.2016
Cunha quer colocar parentes de Deputados no plenário durante votação do Impeachment, e ainda pretende evitar a presença de manifestantes
AQUI

Folha, 27.04.2016
Temer abre espaço na agenda para receber benção de Silas Malafaia
AQUI

Folha, 02.05.2016
Temer sonda Bispo da Igreja Universal para ser Ministro da Ciência e Tecnologia. (Nada melhor que alguém com a agenda mais retrógrada, conservadora e anti-científica, que trabalha com a mistificação, o obscurantismo e o charlatanismo para administrar toda a pesquisa científica do país)
AQUI

Folha de São Paulo, 02.05.2016
Bispo licenciado da Igreja Universal é cotado para o Ministério da Ciência e Tecnologia
AQUI

Folha, 02.05.2016
Em vídeo com Marco Feliciano, Michel Temer pede orações e prega “pacificação”
AQUI

Folha, 12.05.2016
Ministério de Temer deve ser o primeiro sem mulheres desde Geisel
AQUI

  • ESTADÃO

Estadão, 15.04.2016
Delator aponta propina de 56 milhões a Eduardo Cunha
AQUI

Estadão, 28.04.2016
Sem alarde, comissão do Senado aprovou PEC que derruba a legislação ambiental para licenciamento de obras públicas
AQUI

  • BRASIL 247

Brasil247, 12.04.2016
Roberto Jefferson pede a Temer linha dura com movimentos sociais
AQUI

Brasil247, 27.04.2016
Ministério Público do Maranhão pede prisão de até 29 para Roseana Sarney. Temer quer Roseana como Ministra da Educação
AQUI

Brasil247, 29.04.2016
Globo defende “reformas e ajustes” anunciados por Temer
AQUI

Brasil247, 01.05.2016
Base aliada de Temer é a mais Ficha Suja da história
AQUI

  • UOL

Uol, 25.04.2016
Bancada da Bala (armamentistas), Bíblia (evangélicos) e Boi (ruralista), que foram essenciais na votação do Impeachment, já começam a pressionar Temer
AQUI

Uol, 30.04.2016
Juíza proíbe estudantes da UFMG de discutir Impeachment de Dilma
AQUI

Uol, 03.05.2016
Câmara aprova caráter de urgência no reajuste salarial dos Ministros do STF e servidores do MPU
AQUI

  • OUTROS

O povo, 25.04.2016
Serra deve assumir Ministério da Educação em governo Temer
AQUI
(@ acabou assumindo o Ministério das Relações Exteriores, ainda mais apropriado, para um cidadão de lema: PRIVATIZAÇÃO)

Exame, 26.04.2016
Grupo de Temer quer cortes na saúde e educação
AQUI

Infomoney, 26.04.2016
Moro é eleito uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time
AQUI

Infomoney, 27.04.2016
Ruralista, deputado Marcos Montes, vai propor a Temer mudar a Constituição para que Exército possa atuar com MST
AQUI

Pátria Latina, 27.04.2016
Temer diz que pedido de eleições diretas no caso de afastamento de Dilma é tentativa de Golpe
AQUI

Exame, 27.04.2016
Proposta de Emenda Constitucional, já apelidada de PEC anti-Lula, prevê proibição de candidatura a quem não tiver curso superior
AQUI

Revista Fórum, 28.04.2016
Em discurso contra a criação da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher na Câmara, deputado afirma que mulheres “de verdade” não querem ser empoderadas, mas sim cuidadas. Ele ainda afirmou que feministas são mal amadas
AQUI

Expressão Sergipana, 28.04.2016
Projeto do deputado Laércio Oliveira proíbe que tempo no banheiro seja computado como horário de trabalho
AQUI

  • O que parece PIADA, mas não é

Globo, 09.05.2016
Waldir Maranhão, presidente em exercício da Câmara dos deputados federais, anula a votação do impeachment.
AQUI

Folha, 10.05.2016
Eis que misteriosamente, poucas horas mais tarde:
Waldir Maranhão revoga a anulação da sessão do impeachment
AQUI

  • Bônus: Quem tem CUNHA, tem medo – Old but gold

Temer-e-Cunha
Folha, 20.08.2015
Cunha recebeu propina por meio da Assembleia de Deus, acusa a Procuradoria Geral da República
AQUI

Pragmatismo Político, 09.10.2015
Jarbas Vasconcelos, fundador do PMDB, chama Cunha de “doente” e “psicopata”.
AQUI

Último Segundo,  04.11.2015
Bancada evangélica aprova PEC que dá à Igreja poder de questionar Supremo
AQUI

Estadão, 30.11.2015
Justiça Suíça multa Cunha por tentar criar obstáculos a investigação sobre contas
AQUI

por Miguelito Nervoltado

Imagens retiradas do Facebook e daqui, respectivamente

Impeachment

Nada tenho escrito, tamanha minha frustração e espanto com a sociedade brasileira. Parece-me em vão escrever para “analfabetos funcionais”.

Mas vou falar um pouco da mídia do país onde vivo, Alemanha.
A maior revista alemã, Spiegel, mais centro que esquerda, chama o processo do impeachment contra Dilma Rousseff de “Revolução dos hipócritas”.

Já no primeiro parágrafo eles dizem: “O Congresso brasileiro mostra sua verdadeira face. A maioria dos parlamentares não somente escolheram pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff. Estes parlamentares vem trazendo, através de artifícios no mínimo questionáveis, o Brasil a uma guinada para a direita”.

Lembrando que, quando um alemão fala de direita, ele não está a falar de capitalismo, EUA, etc…. ele está a falar de fascismo e nazismo.

A revista ainda lembra que a maioria daqueles que votaram a favor do impeachment, usando a palavra ética e combate à corrupção, são eles próprios políticos investigados por corrupção, enquanto contra Dilma, sendo afastada do cargo, nunca houve qualquer processo investigativo por corrupção!!!

Li nos últimos dias artigos alemães, espanhóis, portugueses (Portugal), e ingleses (EUA e Inglaterra), sempre na mesma linha.
Será que só os brasileiros não percebem a insanidade (hospício mesmo) que se passa em seu país? E pior, com a legitimação do próprio POVO!

Sequer sei como meus amigos de luta ainda têm alguma esperança. Pra mim, apesar de o brasileiro culpar a política, esta é o menor de nossos problemas. Cada um de nós é o maior dos problemas… somos reféns de uma cultura hipócrita, corrupta, individualista, mal educada, grosseira, agressiva, fútil, racista, machista, elitista, coronelista, vira-latista, e o pior, prepotente e arrogante, sendo essa última a responsável por não nos deixar enxergar todas as outras.

Será que estamos fadados ao fracasso e à barbárie eterna?

* Jornal brasileiro falando sobre o artigo da Spiegel: AQUI
* Artigo original da Spiegel: AQUI

* Artigo do The Economist, revista inglesa com orientação centro-direita, critica o processo de impeachment, e fala de cenas bizarras vistar no Congresso brasileiro: AQUI
* The Guardian, na mesma linha: AQUI

por Miguelito Formador

figura retirada do próprio artigo da Spiegel

moroÉ incrível como em duas semanas tivemos muita coisa acontecendo, muita história, muita mesmo!
Nesse momento até aqueles que não gostam de política, que são alheios a telejornais e notícias em rádios e internet, se “chocaram” com os vazamentos, as manipulações e as manifestações dos últimos dias…

Começou com indicações arbitrárias e fracas da justiça.
Mandar o ex-presidente Lula para o aeroporto de Congonhas sem provas suficientes para enviá-lo a Curitiba foi criticado inclusive por ícones da direita, como o jornalista Reinaldo Azevedo.
Também o Ministro do STF, Marco Aurélio Mello, comentou abertamente no programa Canal Livre da TV Bandeirantes (aqui) as arbitrariedades do movimento de Sérgio Moro.
A Globo só faltou cancelar as novelas. Estava trabalhando de casa nesse dia e toda a manhã foi de cobertura ao assunto; ignoraram a programação matutina para filmar o aeroporto de Congonhas, a casa do petista em São Bernardo e repetir a mesma estória, infinitamente.
Foi ruim para a democracia e extremamente arbitrário. O processo de investigações da operação Lava Jato corria (a meu ver) de acordo com a Justiça e seus meandros. Focar numa pessoa simplesmente visando incitar revolta “popular” (ou encher uma manifestação) não era necessário, nem justo.

A mídia seguia sendo tendenciosa (pra variar), pois não mencionava os tucanos do discurso vazado “espontaneamente” do senador (ou ex-senador) Delcídio do Amaral.
Aliás, era de extrema estranheza (pra dizer o mínimo) o vazamento de uma delação de quatrocentas páginas, ainda inválida, às vésperas de uma manifestação em prol do impeachment da presidente. Nem é preciso desconfiar que foi proposital. Principalmente se pensarmos na revista que a publicou.
Alguns juristas inclusive afirmaram que tal depoimento poderia ser invalidado com sua divulgação prévia, dado o sigilo judicial necessário.

Porém, até a condução coercitiva de Lula, só haviam desvantagens legais por parte da oposição e do juiz Moro. Nenhuma acusação “real” ou mandato de prisão contra Lula ou Dilma. A mobilização do dia treze estava garantida, de modo pouco honrado, mas garantida.

Daí veio o mandato de prisão ainda “mais fraco” da justiça paulista e com ela a primeira menção ou boato sobre a nomeação do ex-presidente para Ministro de Estado.
Parecia pura especulação, como fazem as pessoas do mercado financeiro (plantando boatos) para ganhar dinheiro no curto prazo, com quedas da bolsa e aumentos de valores de moedas estrangeiras, como o dólar.
Novamente tendencioso e sem muita razão lógica. Coisa típica de golpistas mesmo, de pessoas que querem confundir e “anarquizar”.

Mas não parou por aí…
A Globo seguia com destaque desproporcional àqueles trechos de delações que a interessavam, forçando artificialmente o processo de impeachment.
A manifestação de domingo ocorreu. Foi pacífica e foi um “sucesso” maior aos que pediam impeachment do que aos que clamavam contra a corrupção, de um modo mais amplo.
Interessantes vaias surgiram em São Paulo para os políticos da pseudo-direita que tentaram “pegar carona” na manifestação. Enquanto que no Rio, Bolsonaro foi ovacionado e carregado pelos manifestantes…
Coisas da democracia e do Congresso Dantesco que temos atualmente.

Então, o Congresso começou a aprontar das suas.
A bancada de oposição, aqui já reforçada pelos ratos do PMDB que pulavam do navio do governo, informou que monopolizaria as votações a temas relativos ao impeachment; que fariam “greve” se esse tema não surgisse e que trabalhariam de segunda a sexta (que coisa) até que esse tema avançasse.
Começou um papo de semi-parlamentarismo (!?!) que assustou pela cara de manipulação do próprio poder.

E eis que ocorreu a nomeação do ex-presidente Lula para Ministro da Casa Civil!
Por quê?
Por que compactuar com os desejos íntimos da Globo (que chegou a errar ao vivo, anunciando a nomeação no dia anterior)?
Por que municiar a direita? Por que entregar “tão entregue” esse mar de argumentos?
A nomeação teria mesmo que ser feita nessa semana?
Não há explicação plausível para mim.
Aceito que o Lula seja um excelente articulista e ajudaria bastante ao compor o governo Dilma. Mas não agora!
Aceito também o argumento que as investigações contra ele não serão interrompidas. Mas mudar o foro, passando para a esfera máxima, é “dar munição ao bandido”, é quase assumir a culpa!
É rasgar a coerência, a distinção, a ética e a noção ao mesmo tempo!

O outro lado do embate, representado pelo juiz Sérgio Moro errou novamente de forma grotesca ao divulgar as gravações realizadas em grampos nos telefones de Lula e da presidente Dilma.
Ele o fez por ter a certeza de apoio popular irrestrito. Mas correndo imensos riscos. Mesmo desconsiderando a posição atual de Lula como Ministro da Casa Civil, há conversas vazadas de uma Presidente da República! Ente máximo do Poder Executivo da Nação!

Ah… como eu queria que os políticos tivessem a hombridade de Japoneses, se afastando ao verem vinculados seus nomes a corrupção e outros escândalos…
Será que é pedir muito?
Eduardo Cunha com as contas estrangeiras não declaradas, Fernando Capez e o escândalo da merenda escolar, Aécio Neves… Todos poderiam de espontânea vontade se afastar dos cargos que ocupam enquanto investigações fossem conduzidas contra eles; e regressar caso nada seja provado.

Enfim… Por quê?
As manifestações repentinas de ontem mostram o começo de um fim.
E agora creio que as manifestações serão mais fortes, a pressão será maior. A Grande Mídia e a classe média que perdeu os privilégios de comprar SUVs financiadas a perder de vista e as viagens ostentativas para Miami se fortaleceu com as ações de ontem…

por Celsão revoltado

figura retirada daqui

P.S.: coloco uma análise “pirata” sobre os abusos do juiz Sérgio Moro, extraída do Diário do Centro do Mundo (aqui).

P.S.2: copio também (pós-divulgação) um trecho de um texto do Facebook do advogado Geraldo Prado (texto completo aqui) analisando o vazamento das conversas telefônicas…
Se pensas, jurista, que é o teu sentimento cívico, patriótico, que te faz ignorar os deveres da Constituição, saibas que por trás de todo gesto violador há o prazer. Te encontras com este teu prazer, essa “súbita impressão de incesto”, mas não invoque o Direito e a Justiça. Eles não estão contigo.

Pins in Map

Com 17 anos, após concluído o Ensino Médio, mudei-me para a Alemanha com o intuito de aprender o idioma, ter novas experiências, abrir a cabeça, e quem sabe, cursar a universidade naquele país. Após 7 meses, resolvi voltar ao Brasil, por sentir falta de muita coisa deixada na minha terra natal. Mas uma ideia ficou em minha mente: “durante a universidade quero fazer um intercâmbio na Alemanha, voltando mais maduro àquele país, e tentar ver a vida de lá com outra perspectiva, além de poder ter a oportunidade de absorver conhecimento do ensino superior brasileiro e alemão mutuamente.”

Já no Brasil, fiz 6 meses de cursinho preparatório para o vestibular. Fui aprovado, em 2002, optando pelo curso de Engenharia de Controle e Automação na UNIFEI, em Itajubá-MG.
Já no primeiro mês de aulas dirigi-me ao coordenador do meu curso e perguntei sobre a possibilidade de fazer um intercâmbio na Alemanha.
Sua resposta ficou gravada a ferrete na minha memória. Sorrindo, sarcasticamente, ele disse: “você e a torcida do Maracanã querem um intercâmbio na Europa, rapaz. Você passou aqui, e vai estudar aqui. Nós não temos convênios com qualquer universidade da Europa, isso é luxo.

São muitas as barreiras e dificuldades envolvidas na realização de um intercâmbio. Pontuando algumas delas:

  • Aceitação da Universidade no Brasil, para que o aluno possa ficar 1 ano ou até períodos mais longos fora da Universidade, e ao voltar, continue tendo sua vaga garantida.
  • Não só a garantia da vaga, mais sim o reconhecimento das disciplinas cursadas em outra instituição de ensino superior, aproveitando as mesmas em sua grade curricular, evitando demasiados atrasos para a conclusão do curso.
  • Conseguir uma vaga como intercambista numa Universidade no exterior, principalmente em países desenvolvidos. Há aqui pouca disponibilidade, uma enormidade de exigências e burocracias que tornam este processo quase impossível.
  • Solução das diversas burocracias envolvidas neste processo, como por exemplo: aquisição de visto de moradia e estudo no país de destino, busca de moradia, registro formal em órgão público da cidade onde se vai viver (como prefeitura, polícia), informações sobre transporte público, abertura de conta bancária, registro de água, luz, telefone, celular, etc.
  • Organização da viagem, assim como o pagamento das despesas envolvidas: passagens áreas, passagens de trem e ônibus, seguros, transporte de bagagens extras.

E não irei pontuar outras, para não me alongar ainda mais.
Por isso, apesar de insensível e inflexível, meu coordenador de curso tinha razão ao ironizar meu sonho, e chamar um intercâmbio na Europa de “luxo”.

Passados quase 9 anos após o episódio, mudei-me para Alemanha por motivos profissionais e aqui vivo até hoje.
Vivendo na Europa há 5 anos, tive a oportunidade de acompanhar o processo do programa Ciência sem Fronteiras, e conhecer diversos de seus beneficiados. Muitos dos que conheci viviam na mesma cidade que eu ou nos arredores, mas também conheci tantos outros jovens que residiam e cursavam universidades em outras regiões da Alemanha, e mesmo em outros países, como Bélgica, Portugal, França, etc.

Considerando as dificuldades, já pontuadas acima, para a realização de intercâmbios, o programa Ciência sem Fronteiras é um projeto sensacional! Afinal, o Governo se responsabiliza por resolver todas as burocracias envolvidas neste processo e ainda financia o aluno.

O valor da bolsa para Europa oscila de aproximadamente 1.000 Euros para bacharelandos, até aproximadamente 2.500 Euros para pós-doutorandos, valores que causam inveja e espanto em qualquer estudante alemão (imagine então um estudante português!?!). Eles ainda recebem diversos auxílios como: material didático (1.000  euros), compra de um computador (4.000 reais), auxílio instalação, seguro de saúde, despesas de viagem, curso de idioma durante o período de 6 meses antes do ingresso na universidade, entre outros, além do mais difícil: que é a burocracia para serem aceitos na universidade e no país por 1, 2 ou 3 anos, burocracia essa facilitada pelo governo brasileiro.
Leia Aqui os detalhes do programa no próprio site do Ciência sem Fronteiras. 

Muitos utilizam o excedente da bolsa, que em muitos casos não é pouco, para frequentarem festas e bares, além das viagens, quase em todos os finais de semana, para algum país diferente. Claro que diversão e passeios são necessários e importantes para otimização do processo de vivência, mas quando isso se torna a prioridade/intuito, e o mundo acadêmico é levado em segundo plano, então penso que há uma inversão de valores.
Literalmente, são férias pagas por um ano, ou mais, com a contrapartida de um pouquinho de estudo e conhecimento adquirido, e um idioma arranhado.

Em sua maioria, pertencentes à classe média tradicional/alta, esses jovens carregam os clichês e bordões de sua classe no Brasil. Ao notarem algo que funciona bem, ou que é interessante na cultura do outro país, preferem criticar, com o devido asco, o “atraso” do Brasil, ao invés de buscar entender porque e como o outro país chegou àquele resultado positivo, trazendo assim esse aprendizado para o Brasil.
Criticam, sem o menor pudor e desprovidos de conhecimento político, o Governo Brasileiro. Falar em Dilma e PT é garantia de muitas risadas, deboches e verborragias. Porém, se questionados sobre Dilma e o PT serem os responsáveis por eles estarem no exterior torrando o dinheiro do contribuinte brasileiro, eles respondem com mais ódio e deboche, usando algum argumento sem o menor nexo, como por exemplo: “o dinheiro é dos impostos, não é a Dilma que é responsável por estarmos aqui”, ou “CsF sempre existiu, não foi criação da Dilma/PT!”, ou “já que roubam tanto, o mínimo que têm que fazer é patrocinar nossos estudos aqui fora”, ou “se pagam bolsa família para vagabundo, então não é mais que obrigação pagar bolsa para nós estudantes”….


Recentemente, a presidente Dilma enviou ao Congresso uma proposta de redução do orçamento do programa Ciência sem Fronteiras para 2016, com o objetivo de contenção de gastos neste momento de fragilidade econômica. A redução, que ainda pode ser revista pelo Congresso, reduz em aproximadamente 40% o valor do orçamento em comparação com 2015. Desta forma, o novo valor seria assim suficiente para cobrir os contratos já em vigor, ou seja, os gastos dos estudantes que já estão no exterior em processo de bolsa. Novos contratos/bolsas estarão, por enquanto, suspensos.
Clique Aqui para ler notícia da Folha 

Enfim, espero que, passado esse momento de fragilidade financeira do Brasil, que o Governo volte a liberar verba para este programa, mas que aproveitem a oportunidade para rever algumas regras:
Atrevo-me até a palpitar sugestões:

  1. Para o ingresso no programa, além da prova de aptidão, onde o nível de idioma e o desempenho acadêmico são levados em consideração, também deveriam ser observados e avaliados os objetivos, expectativas e perspectivas do aluno para com o intercâmbio.
  2. Para definir o valor do auxílio/bolsa deveria levar-se em consideração o custo de vida real do país onde o aluno se hospedará. Hoje em dia há uma bolsa fixa para Europa, por exemplo, mesmo sendo o custo de vida de alguns países da Europa três vezes maior que o de outros.
    Sei que é muito trabalhoso definir valor específico para cada país separadamente. Então talvez uma solução justa e menos trabalhosa seria separar os países em grupos de custo de vida parecidos, e assim, definir um valor de bolsa fixo para cada um desses grupos. Não será 100% proporcional para todos os países, mas será bastante justo.
  3. Controle de faltas na universidade – atualmente não há controle de presença desses alunos, este só existe para o curso de idioma que eles fazem antes do ingresso na universidade.
  4. Limite de média curricular (nota) para aprovação, por exemplo 70%; e obrigatoriedade de aprovação nas matérias cursadas.
  5. Os alunos devem passar por uma avaliação séria ao regressarem ao Brasil. Essa avaliação não deveria somente verificar o aprendizado acadêmico do mesmo no exterior, mas sim medir também a sua absorção da cultura daquele país, avaliar seu aprendizado geral, seu amadurecimento, a expansão de sua forma de pensar e ver o mundo. Se o desempenho do aluno for ruim, ele poderá ser penalizado, por exemplo, com a perda do reconhecimento daquele ano em sua grade curricular, o que atrasará a sua graduação. Outra forma de penalização poderia ser o reembolso ao Governo, dos investimentos deste para com o aluno.
  6. O valor da bolsa deve ter um teto e um piso para um mesmo país. Para definir qual valor o aluno deve receber entre o teto e o piso, deve ser levado em consideração, no mínimo, as condições financeiras do mesmo e de sua família. Desta forma, um estudante pobre receberia o teto ou algo próximo do mesmo. Já um estudante pertencente a uma classe média receberia um valor entre o piso e o teto, enquanto alguém da classe média alta ou rico receberia o piso ou algo próximo do piso.
    O piso, inclusive, poderia ser 0,00 R$, ou seja, nada. Alguém de condição financeira elevada não precisa do dinheiro público para se sustentar no exterior. Porém, mesmo ele seria e muito beneficiado pela bolsa, uma vez que a dissolução das burocracias envolvidas num processo de intercâmbio são no mínimo tão problemáticas quanto a questão financeira (como explicado mais acima).
    Outra vantagem deste ponto é que, eventuais “filhinhos de papai” que queiram somente curtir seu período no exterior, sem se empenhar ou se preocupar com seu aprendizado, teriam então, muitas vezes, seu desempenho cobrado não só pelo Governo, mas também por seus pais, afinal estes também estariam pagando uma boa parte de sua estadia e iriam, normalmente, exigir resultados.

* Para ler outros 2 artigos nossos sobre o CsF, clique AQUI (Natal do Ciência sem Fronteiras) e AQUI (Tudo na Mesma)

por Miguelito Nervoltado

figura retirada daqui

O seguinte texto foi postado no Facebook de Philippe Araújo, autor do mesmo.

Philippe faz uma investigação aprofundada sobre as questões jurídicas, morais, lógicas e éticas do processo de impedimento (impeachment) da Presidente Dilma, passando por diversos atores, cenários e motivações dessa resenha, como o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal, Eduardo Cunha, Dilma Rousseff, ministros do STF, a sociedade brasileira, interesses políticos, entre outros.

Para quem busca entender melhor este processo, o texto a seguir é uma excelente oportunidade, pois apesar de sucinto, traz um aglomerado de informações técnicas, fruto das intensas pesquisas do autor, e expostas de forma didática, acessível e bastante imparcial.

por Miguelito Formador

figura daqui


fachin_cunha_dilma
Sobre questões jurídicas e morais no processo de impeachment:

Eu não fazia a menor ideia de como rolava um processo de impedimento (impeachment pros americanizados). Não estudo direito nem era consciente (tinha 1 ano) quando Collor foi o único presidente impedido na historia da democracia moderna mundial (Nixon também quase foi, mas renunciou ao cargo antes das vias de fato). Com as noticias recentes, fiquei confuso com as leis, regras e tal, cada um falando uma coisa na TV… Fato é que, pelo visto, nem mesmo o poder legislativo está muito unânime em relação as regras do jogo. Mas vamos lá, pesquisei e vou tentar explicar brevemente como é que funciona para depois desenvolver no tema. Se você anda lendo muitas noticias sobre isso recentemente e já sabe como é o esquema e sabe tudo que rolou em Brasilia até ontem de noite, pule para o penúltimo parágrafo, antes do post-scriptum.

Começa assim: alguém escreve um pedido de impeachment (no caso foi o quase já senil ex-promotor Helio Bicudo, a professora de direito penal Janaína Paschoal e o jurista Miguel Reale Jr, mas qualquer cidadão poderia ter feito o mesmo) e entrega ao presidente da câmara dos deputados (nosso querido Eduardo Cunha). Cabe ao presidente da câmara aceitar o pedido e começa a brincadeira. Elege-se uma comissão especial que analisará o pedido e formulará um parecer favorável ou contra a abertura do processo de impeachment. Esse parecer é formulado a partir do pedido original aceito por Cunha e pela defesa de Dilma, realizada ao longo de 10 sessões. Ao final deste processo eles leem esse parecer na câmara e aí todos os deputados votam, sim ou não, pela abertura do processo de impeachment. Caso 2/3 (342 dos 513 deputados) vote a favor, o processo é aberto e encaminhado ao senado, onde aí sim rola o julgamento e a decisão final.

Ok, entendemos como é o jogo. Em que etapa estamos agora? Estávamos na etapa de eleger a comissão especial que formula um parecer. Esta seria formada como qualquer outra comissão especial na câmara dos deputados, a partir de indicações dos lideres de cada partido, respeitando a proporcionalidade do numero de deputados de cada partido na câmara. Ou seja, PT, PMDB, PSDB que tem muitos deputados, poderiam indicar muitos para a comissão especial. PSOL, por exemplo, que tem poucos deputados por la, indicaria também poucos deputados para compor a comissão. Justo, proporcional e democrático, não é? Também acho. Mas aí uma galera começou a achar que tava rolando muito indicado “anti-impeachment”, aliados do governo. O que eles fizeram? Criaram uma nova chapa composta apenas por partidos pró-impeachment e disseram “oi, queremos brincar também, vamos votar qual é a melhor chapa”. Votaram todos (entre tapas e xingamentos), numa votação secreta e ganhou a chapinha dos “pró-impeachment”. Aí deu uma confusão danada.
O PCdoB fez um pedido ao supremo tribunal federal (STF) para anular tudo. Os argumentos eram, entre outros, a ilegalidade da votação secreta na eleição da chapa, a ilegalidade da própria existência de outra chapa alternativa, o fato do Cunha ter aceito o pedido inicialmente antes mesmo de uma possibilidade de defesa prévia da presidente e pedia também o direito ao senado de poder anular o pedido de impeachment caso a câmara vote e abra o processo com 2/3 dos votos. O PCdoB pedia também que O STF ditasse as regras, já que consideravam a lei do impeachment (do ano de 50) defasada em relação a nossa constituição atual. O ministro do STF Fachin acatou o pedido do PCdoB e ontem rolou (e hoje continua) a sessão no STF onde todos os 11 ministros discutem e votam sobre essas reclamações.

O STF é a instância máxima do poder judiciário, aquele que tem a função de interpretar e fazer cumprir leis e normas. Não cabe ao STF criar leis nem regras, afinal isso é função do legislativo (esse é o sentido de ter 3 poderes, afinal de contas). Dar novas regras a um jogo já iniciado constituiria o que se chama de tribunal de exceção, onde criam-se leis posteriormente a um fato antes não previsto em lei. Isso meio que fere alguns vários princípios democráticos, não é mesmo? Seria tipo fazer o gol e depois definir de quem é, ou atirar o dardo e só depois colocar o alvo. Dessa forma, derrubaram todas as reclamações do PCdoB. E com razão. Quer que eu enumere os principais pontos?

  1. sobre a votação ter sido secreta: assim como nossas eleições para presidente, governador, prefeito e tal, toda ELEIÇÃO na câmara e no senado deve ser feita por voto secreto, ta escrito assim no regimento interno la deles. Olha que o mesmo regimento considera a votação secreta uma exceção e todos os outros tipos de votação devem ser abertos, mas eleição não.
  2. sobre terem criado uma chapa alternativa: ora, uma eleição de fato permite e ate sugere a existência de 2 ou mais candidatos, não é mesmo? Nada mais democrático que quaisquer grupos tenham o direito de se candidatarem a formar uma comissão e vencerem democraticamente por maioria dos votos, como ocorreu.
  3. sobre o Cunha ter aceito antes de ouvir a Dilma: ela terá o momento para isso, nas 10 sessões, durante as quais a comissão especial a ouvirá e formulará o parecer.
  4. sobre o senado poder anular o processo votado na câmara: não pode. seria um gravíssimo crime contra a democracia. O processo de impeachment é um dos raros casos em que a aprovação da câmara requer 2/3 dos votos (ao contrario de praticamente todos os outros casos, onde se requer apenas a maioria). Alem disso, o fato de o processo ser aberto pela câmara e julgado pelo senado contribui para o caráter democrático e honesto deste processo. A decisão não é monopolizada justamente a fim de prevenir (mas não de evitar) processos golpistas. Outorgar o poder de veto ao senado seria dar-lhes o poder autoritário do qual nos livramos ha 30 anos e não faria sentido em termos o poder legislativo dividido em 2 casas.

Pois bem. Vamos ao que penso agora. Juridicamente, tá tudo muito bonito, tá tudo muito bem, em termos da regra do jogo (não é o caso do embasamento jurídico para o pedido do impeachment, mas esse é outro assunto*). O STF cumpriu com sua função e protegeu o caráter legal de todos esses eventos até agora ocorridos. Mas não deixa de gerar revolta. Uma revolta muito pior que a que a gente sente ao ver alguém cometer um ato ilegal. É a revolta contra a imoralidade e a falta de ética. E olha que eu odeio moralismo (seja falso ou verdadeiro). Mas aproveitar-se da nossa constituição e leis democráticas, escritas a fim de proteger a nossa liberdade de expressão e participação política e social em favor de interesses pessoais, ignorando qualquer conceito de equilíbrio, de desejo de fazer o correto, de ética, é complicado.

Tanto se fala de crise econômica, crise política… Não vejo nada tão grave quanto a crise moral que se estabeleceu nesse país, onde em qualquer câmara de vereadores que você entre só se encontrem ladrões e lobistas, onde em qualquer licitação publica so se encontrem empresários fraudulentos e seus laranjas, onde o presidente da câmara dos deputados recebeu mais de 60 milhões de reais (é sério!) em propinas de empreiteiros e recebe 9 votos dos 20 (na comissão de ÉTICA) a seu favor para que nem seja investigado (!!!!!) e ainda dá entrevista todos os dias na TV na maior calmaria do mundo… Gente, ninguém percebe que ele é um psicopata?! Onde o governador da maior economia do pais desce o cacete em alunos que só querem dialogar. No país do aeroporto particular do Aécio Neves, que botava ate a Sandy, o Ronaldo e o Luciano Huck pra viajar em avião do estado, Bicudo, Reale e Paschoale não escreveram nenhum pedido de impeachment. Não por causa do Trensalão em SP, por causa do mensalão do PSDB em Minas, por causa da operação zelotes, conta secreta na Suíça, nada.
Nada acontece a ninguém, nenhum pedido de impeachment foi escrito contra estes. Ninguém vai pra rua, ninguém pede intervenção militar (deus me livre, não peçam mesmo não), nada nada nada. Mas contra uma presidente que sequer uma denuncia de corrupção tem, aí sim. Aí se atiram todas as pedras. Todas as etapas deste incipiente processo de impeachment estão envenenadas pela intolerância política, por ódio a tudo que represente esquerda, movimentos sociais, distribuição de renda, políticas públicas de inclusão social. Isso é golpismo, é falta de ética, é imoral e só se justifica assim. Não nos tornemos vitimas da nossa própria liberdade, diga não ao golpe.

*Ps.: sobre o embasamento jurídico do pedido de impeachment: Cunha não aceitou o pedido na sua integralidade, senão apenas o que se refere a prática de pedaladas fiscais no ano de 2015, um ano fiscal que sequer acabou e, com a aprovação da PLN 5, que revisou a meta fiscal de 2015, o déficit esperado para esse ano está dentro do permitido pela lei de responsabilidade fiscal. Ok, um rombo de 110 bilhões é um absurdo, mas não é ilegal, não configura crime, foi aprovado no senado por maioria e o choro é livre. Eu também não gosto da pessoa Dilma Rousseff, muito menos do governo dela, mas meu compromisso aqui é com a legitimidade do governo. Vou repetir: não há justificativa legal para impeachment.

alienacao-futebolDevido a forças maiores, estou há aproximadamente dois meses afastado da internet. Tenho lido pouco, e escrito muito menos.
Mesmo assim, a Terra continua a rodar, e desconsiderando alguns casos pontuais, muda-se alguns atores coadjuvantes, mas o filme é o mesmo, se repetindo numa história mal contada.

Recentemente, na casa de um amigo meu, ele, eu e seus convidados começamos a conversar sobre o escândalo da Volkswagen. Eu mais que depressa já coloquei meu posicionamento não convencional: “não entendo todo o espanto, só porque é empresa alemã o pessoal acha que não tem corrupção, pilantragens e abusos. É uma gigante do capitalismo, eles visam lucro, por mais que existam programas esporádicos de ‘boa-conduta’, a grosso modo, a maior parte do jogo é sujo”.

Rapidamente alguém já tirou da gaveta dos clichês a palavra “Brasil”, com a frase: mas não queiramos comparar a Alemanha com o Brasil!
A partir daí foram duas horas de “mais do mesmo”, eu citando episódios, história, histórico de nossa mídia, colonização, cartéis de empresas e governos desenvolvidos em países em desenvolvimento, vassalagem de nossa política aos interesses internacionais, as inúmeras farsas e constante desconstrução ao governo e seus integrantes, etc.

Enquanto eu falava era possível ouvir os murmúrios: “faz sentido”, “é verdade”, “claro, isso todos sabem”, “sim sim, isso ninguém pode negar”, “ah, a reputação da Globo realmente é uma piada”…
Mas, mesmo com todas essas concordâncias, o resultado final era: “mas nada vai me convencer do contrário, o Brasil piorou muito com o PT”, ou “ah, mas vai me dizer que você acha que Lula é Santo”, ou “tudo bem que é mentira que o filho do Lula é dono da Friboi, mas como que ele ficou tão rico de repente, hein, hein?”, ou “mas já viu os discursos da Dilma? Ela fala tudo errado!”, ou “mas aquele Maduro da Venezuela é um louco, num discurso ele disse querer expulsar uma empresa da Venezuela, pois ela estava roubando mais que ele…”.

Intervi: “pessoal, é exatamente essa a ideia dos donos da informação; muitas das mentiras deles serão desvendadas e expostas, muitas informações não farão sentido para a população, muitas informações serão contraditórias, mas isso não importa, pois os detalhes serão esquecidos. O que importa é que no fim, fica uma concepção formada na cabeça do cidadão; ele ouviu e leu tantas coisas que visam criar uma verdade, que aquilo realmente se torna uma verdade incontestável, mesmo que uma grande parte das informações sejam posteriormente confirmadas como mentiras, ou mesmo que a idoneidade e ética daqueles que nos deram a informação (no caso a mídia) seja indubitavelmente inexistente”.
Eu ainda citei, uma vez que estamos na Alemanha, uma frase atribuída a Goebbels, ministro de Propaganda de Hitler: “uma mentira repetida mil vezes se transforma em verdade”.

A noite acabou sem consenso. Mas fica a esperança de que alguma semente tenha sido plantada para o futuro.

Antes de ir embora, o meu amigo ainda me disse: parece que agora há risco real de impeachment da Dilma, devido às pedaladas fiscais.
Eu pensei com meus botões: há risco real de impeachment desde quando ela assumiu. A cada tentativa falha, surge uma nova justificativa, teoricamente ainda mais plausível e concreta, que também acaba sendo tida, por fim, como infundada. Lembrei-me ainda que antes de me retirar da internet, o mês de agosto era o mês decisivo, e que se Dilma não caísse em agosto, não cairia mais. Já estamos no meio de outubro e a história se repete, e o povo vai esquecendo o que aconteceu na semana passada, numa repetição lamentavelmente débil dos mesmos erros. Se diversos argumentos e tentativas de impeachment eram vagos ou sem provas, isso indica com quase certeza absoluta que não há motivos para impeachment, e tudo que há é uma tentativa desesperada de cavucar até o fundo do poço buscando qualquer tipo de argumento que soe vagamente moral, e certamente hipócrita e redundante, para conseguirem aplicar o tão desejado golpe.

Num outro episódio, há poucos dias, num restaurante brasileiro em Erlangen, na mesa ao meu lado, tentei evitar, mas os ouvidos não obedeceram, e acabei ouvindo a conversa de seis jovens Cientistas sem Fronteira com um jovem alemão que falava português.

Entre deboches e críticas ao Governo, outros maldizendo a desvalorização do Real; alguém pergunta como funciona nosso câmbio, e uns três dizem “não sei” enquanto os outros se calam. Outros mencionam a avassaladora crise que enfrentamos e afirmam ser culpa do PT, e na sequência uma menina lança o assunto do Habeas Corpus para que Lula não fosse preso.
O alemão pergunta, o que é um Habeas Corpus. Todos se calam. A moça que trouxe o tema diz: “ah, não sei direito, mas é um negócio que você entrega pra justiça para evitar ser preso”; e termina com o pênalti sem goleiro: “não tenho certeza, mas ‘minha opinião’ é que eles iriam prender Lula por corrupção, e ele foi lá e entregou um Habeas Corpus para continuar livre”.

O papo continuou, com os mesmos clichês de sempre. Sobravam achismos, faltavam certezas. Sobravam notícias picadas, faltava conhecimento e crítica. Sobrava superficialidade, faltava estudo. Sobrava preconceito, faltava reflexão. Sobrava ego e vontade de aparecer, faltava interesse em aprender.

Depois a comida deles chegou (graças a Deus) e eles não falaram mais nada: comeram calados seus pratos fartos e caros, pagos pela bolsa do programa Ciências sem Fronteira da Dilma-PT.

por Miguelito Formador

figura retirada daqui

Post_30_empresas_01Listas são coisas mágicas, que nos chamam a atenção.
Se alguém publica “dez coisas a fazer para conquistá-la” ou “oito medidas importantes para conseguir uma rápida recolocação” ou ainda “quinze apps que todos devem instalar no celular”, conseguirá certamente mais acessos que “como conquistar uma garota”, “dicas simples para arrumar emprego rapidamente” ou ainda “apps imprescindíveis para seu smart phone“.
Talvez seja a falta de tempo, ou a noção de praticidade ao nos depararmos com itens, ou argumentos enumerados. Não sei. Assumo aqui que muitas vezes “caio” nessa armadilha das listas.

Foi numa dessas armadilhas que recentemente entrei em duas listas curiosas. Ambas anunciando “30 empresas”, mas com relação oposta: a primeira mostrando empresas que muito se desvalorizaram no período do governo Dilma (aqui) e a segunda com empresas que muito se valorizaram no mesmo período (aqui). Aproveitei inclusive o antagonismo do tema e das figuras que estão nos dois links para ilustrar esse artigo.

Não quero eximir de culpa o governo nem a presidente Dilma dos atuais acontecimentos.
Porém, mesmo tendo os meus problemas com o modo da política atualmente praticada por ela e pelo seu partido, tenho consciência que nem tudo o que temos passado é culpa dela. E também que a oposição enfrentaria problemas bem semelhantes, muito provavelmente.
Meu intuito é “cutucar”, mostrando que se de um lado aparece um Bradesco, valorizado durante os quase cinco anos da presidente, do outro aparece outro banco, o Santander. E, notavelmente, uma coisa que o Estado não fez (e não faz) é incomodar bancos e banqueiros.

Empresas como Petrobrás, Vale e Eletrobrás, que tiveram seu valor diminuído neste período, sofreram com o efeito direto das investigações que acontecem via Ministério Público e Polícia Federal. Afinal, mesmo não acreditando que o “valor”, propriamente dito, da empresa Petrobrás não tenha se reduzido com a investigação Lava Jato, é claro que muitos acionistas foram afugentados.
(aqui vale um parêntese: muitos investidores internacionais compraram ações da Petrobrás após a queda do valor das mesmas – aqui o exemplo de George Soros – agindo contra o esperado em nosso país)

Post_30_empresas_02Mas a OGX, a MMX e a OSX do Eike Batista, investigado por crimes contra o mercado financeiro, também estão na lista das “perdedoras”. E não dá pra culpar o Governo pelas “manipulações” do ex-bilionário. Pelo contrário; o Governo e seus órgãos fomentadores colaboraram e muito com a ascenção e queda das empresas “X”.
Outras empresas que aparecem na lista, como Gerdau e Usiminas tiveram redução de vendas, produção e de número de funcionários ligadas aos baixos preços mundiais de commodities como o aço. E isso aconteceu no mundo inteiro. Não é exclusividade daqui!

Sem entrar no mérito de quem coloca valor nas empresas e como o faz, algo passível de infindáveis discussões, empresas de distribuição de energia como a Equatorial e a Tractebel estão entre as valorizadas, mesmo com CEMIG e CPFL Energia, responsáveis pela distribuição, entre as desvalorizadas. Na mesma linha temos a TIM valorizada e a OI desvalorizada; que mesmo com alguma variação de serviços ofertados: TV por assinatura, internet com fibra óptica, pacotes empresariais… poderiam estar “surfando do mesmo lado da onda”.

Frigoríficos, como BRF, JBS e Minerva em alta. Outras empresas do ramo de Alimentos e Bebidas seguem a valorização, como M. Dias Branco e ambev. Aqui eu arrisco concluir que a ascenção social da população ajudou, logicamente com estilos de gestão diferenciados e, quem diria, também a alta do dólar, uma vez que estas empresas exportam parte de sua produção.
Sem esquecer a WEG, empresa tecnológica catarinense, também presente na lista das empresas que aumentaram seu valor de mercado nos últimos anos. Juntamente com a Embraer e outras nacionais menores, contrariaram com louvor o estigma de país agrário e exportador exclusivo de matéria-prima.
Muito aqui se deve provavelmente a “encarar a crise de outra forma”, buscar alternativas, mercados, diferenciais e também inovação.

Não sei se já buscaram na internet dicas e macetes para vender… São inúmeros os vídeos, as palestras, os “lapidadores de talentos”, usando um termo que li num destes sites; e os cursos mágicos.
Mas uma coisa que todos concordam é que atitude é um fator decisivo.

Quem já me leu e me conhece sabe que positivismo e, por que não, romantismo são minhas bandeiras!

por Celsão correto.

figuras retiradas dos links já indicados aqui e aqui

P.S.: já escrevemos bastante sobre Petrobrás e Lava Jato. Confira aqui e aqui.

Hitler_maioria_FascismoOs episódios recentes de racismo, machismo, fascismo, ignorância, falta de educação, ausência completa de bom senso e respeito ao próximo, elevam meu grau de preocupação com o futuro do Brasil. Há uma grande parcela da sociedade brasileira que está doente, mentalmente doente. Histeria, ódio, irracionalidade, causados pela doença da estupidez.
(Quem quiser ler mais sobre a burrice e estupidez como doença, segue um artigo da filosofa Márcia Tiburi: AQUI)

O ódio que a mídia e líderes radicais de direita geram, e que muitos ajudam a disseminar (isso pode incluir você, então reflita) mesmo que de forma modesta e branda, é um trem desgovernado: depois que embalar, não é mais possível parar.

Se o pior acontecer, e este ódio se institucionalizar de vez em forma de Governo (já começou, com Cunha na presidência do Legislativo e com um Congresso extremamente conservador e repleto de radicais de direita), não chorem suas mágoas depois.

Aquele que diz ser contra o ódio, mas está sincronizado ideologicamente com quase tudo aquilo que os fascistas também defendem (contra bolsa família, contra mais médicos, querem o PT fora, acham que Dilma quebrou o país, contra cotas, a favor da redução da maioridade, contra aproximações com Cuba e Venezuela, se calam quando o Congresso mantem as doações privadas a campanhas eleitorais ou fazem uma mesma votação duas vezes em 24 horas para inverter um resultado do dia anterior, etc), é cúmplice da alavancada da insanidade.
A você, um lembrete: você não será poupado por estes fascistas quando eles tiverem o Poder ilimitado. Afinal, fascistas não irão reconhecer que você defende algumas das mesmas causas que ele; pelo contrário, ele irá somente reconhecer que você não defende algumas de suas causas, e então, irá te perseguir.

Quem também faz vista grossa, não se manifesta, tenta se manter numa falsa, e/ou hipócrita, e/ou covarde neutralidade (em cima do muro), não deve se enganar, pois também não será digno de misericórdia.
Além disso, é sempre bom lembrar: o silêncio dos bons deixa com que a voz dos maus prevaleça e cresça. Portanto, você, com pinta de neutro, é conivente e cúmplice, infelizmente.

Aos fatos:

  1. Adesivos de montagem pornográfica com a Presidente Dilma sendo distribuídos para serem colados nos tanques de gasolina dos carros. Nem vou me aprofundar neste assunto, nem vou descrever detalhes do adesivo (pois todo mundo o viu, o que dispensa minha narração), pois é tão, mas tão baixo, que sinto vergonha de falar sobre isso. Quem chegou a colá-lo no carro, precisa ser internado numa clínica psiquiátrica, pois está sofrendo de sérios problemas mentais, e não é só burrice não. E não estou falando isso para ofender, ou para mostrar meu desprezo (apesar de merecido), estou falando sério, a pessoa tem sérios problemas e precisa de tratamento.
  2. Maju Coutinho, jornalista da Globo responsável pela previsão do tempo no Jornal Nacional, recebeu diversos ataques racistas e machistas na internet. Entre os comentários, estavam os seguintes: “só conseguiu emprego no JN por causa das cotas, preta macaca” e “não tenho TV colorida para ficar olhando essa preta, não”, além da palavra “vagabunda”, diversas vezes. Ao que parece, a maioria dos perfis que fizeram os ataques, são perfis falsos/fakes, o que para mim, não muda em nada o ocorrido, pois a única diferença entre um perfil fake e um verdadeiro, é que o fake representa alguém covarde, incapaz de se mostrar e expor o que pensa. Para ler mais sobre os ataques, clique AQUI
  3. Deputados do DEM, PR, PSDB, que decidiram ser contra a posição de seus partidos e votaram “contra” a redução da maioridade penal, sentiram por algumas horas, pela primeira vez em suas vidas, a insanidade do ódio. Até então blindados de tais agressões, provavelmente por pertencerem a partidos conservadores, receberam em seus twiters e Facebooks uma série de ataques maliciosos, machistas e sexistas (para as deputadas mulheres), ofensas, ameaças, e tudo mais. Esses deputados se disseram horrorizados, e manifestaram entender melhor agora o que sofrem políticos progressistas.Mara Gabrilli (PSDB-SP), Clarissa Garotinho (PR-RJ) e Professora Dorinha (DEM-TO) foram algumas das vítimas, escreveu o deputado Jean Wyllys. Segundo ele, as três se referiram às injúrias sexistas e às acusações de que eram “comunistas” e “vendidas ao PT”.
    Entre os que sofreram os ataques, muitos mudaram seus votos 24 horas depois (como foi o caso do deputado Celso Maldaner do PMDB, clique AQUI). A maioria nega a relação entre os ataques e a mudança do voto. Mas cá entre nós, o medo físico, e/ou o medo de perder eleitorado, certamente influenciaram a mudança de muitos deles. Também o ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, longe de ser um progressista de esquerda, se posicionou contra a redução, e sofreu a ira dos fascistas, muitas vezes acompanhada de ataques racistas.
  4. Durante a comitiva da presidente Dilma nos EUA, uma repórter da Globo fez uma pergunta maliciosa, como de costume, para ser respondida por Dilma: “Senhora presidente, como lidar com a contradição de que o Brasil se vê como uma potência global, mas os EUA veem o Brasil somente como uma potência regional?”
    Obama, que percebeu a maldade da pergunta, se antecipou e disse: “Com licença, mas na parte que toca aos EUA eu preciso responder. Os EUA não veem o Brasil como uma potência regional, mas sim global. Eu poderia dar vários exemplos, mas vou lembrar somente que o Brasil é um dos países mais importantes e respeitados entre os G20, e além disso, o combate às mudanças climáticas e a diminuição da destruição do meio ambiente, só é possível tendo o Brasil como nosso líder.”
  5. E por fim, e talvez o melhor exemplo de como esse ódio fascista é completamente insano, doente e irracional. Durante a mesma visita da presidente Dilma a Obama, um jovem brasileiro, fã de Jair Bolsonaro, se infiltrou na comitiva de Dilma, e filmando começou a gritar e xingar a presidente. Vejam a notícia da Folha, onde também é possível acessar o tal vídeo (AQUI). Entre as ofensas, estavam as palavras: ladra, terrorista, assassina, comunista de merda e vagabunda.

 

por Miguelito Nervoltado

figura retirada do facebook, compartilhada por diversos perfis

Este post é um apelo: um apelo pelo amor, pela amizade, pela coletividade, pela humildade, e pela evolução pessoal de cada um de nós.
Eu apelo para que tentem se abrir para o que vou lhes dizer, reflitam.


Dilma_DiscursoDilma reaparece oficializando pacotes severos de combate à corrupção, para intensificar ainda mais as investigações já existentes, e novas que estarão por vir (a limpeza na corrupção está só começando).
De lambuja, ela lembra que é extremamente necessária uma Reforma Política, mas que ela, sozinha, não pode fazê-la, pois vivemos numa democracia com 3 Poderes, e não numa ditadura onde o Executivo faz tudo que bem entende.

Nem preciso falar que ouvir a Dilma falar é monótono. Ela é devagar, pouco didática, péssima oratória. Mas o conteúdo é o que importa, e desta vez, conteúdo havia.

Vocês que levantam a bandeira anti-corrupção, gostando da Dilma ou não, prestem atenção nas tentativas constantes de intensificar-se o combate à mesma. A lógica de vocês está errada, com todo o respeito. A corrupção não está aumentando, ela está é aparecendo. Abriram a tampa do caixão.
Vocês deveriam estar agradecendo ao Governo por isso.
É por isso que querem tanto tirar Dilma do Governo, para que o Brasil volte a fechar o caixão da corrupção, e engavetar todo e qualquer esquema, como sempre foi feito nos últimos 500 anos. As investigações não incomodam Dilma, senão ela daria um jeito de pará-las ou diminuí-las. As investigações incomodam aqueles que foram donos do Brasil desde as navegações, e por isso estes querem derrubar Dilma a todo custo.

Não se deixem enganar por aqueles que tentam lhe manipular. A Grande Mídia, não é pelo povo. Estudem sobre a história da mídia brasileira, suas parcerias históricas com o Poder, com a ditadura; estudem sobre a riqueza de seus donos (a família Marinho – Globo – é a família mais rica do Brasil, a família Civita – Editora Abril – é a 11ª mais rica).
Link da Forbes AQUI
Você que curte o perfil da Globo ou Veja no facebook, ou que só se informa pelo Estadão e Folha, não se esqueçam: os donos e diretores destes meios de comunicação estão atolados em esquemas de corrupção e sonegação de impostos, e para piorar, recentemente, muitos deles apareceram na lista de brasileiros com contas no HSBC da Suíça.
Vocês vão protestar contra corrupção, e curtem e seguem estas mídias? E pior, acreditam neles?

É hora de pararmos de dar força para golpistas, interesses internacionais, e essa elite que Governou o Brasil por 500 anos, e com Lula começou a perder um pouco de seus privilégios (eu digo um pouco, pois a elite brasileira continuou fazendo dinheiro com o Governo do PT, com a diferença de que a vida do pobre, pela primeira vez na história, também melhorou de forma visível).

Classe média, vocês estão mais perto dos pobres que da elite. Defendendo o interesse da elite, vocês só têm a perder. A sociedade só tem a perder. O pobre e o Governo popular, não são seus inimigos. O Brasil já há mais de 50 anos é um dos países mais desiguais do Planeta, com as mais altas taxa de violência, com os maiores índices de pobreza, com uma das piores educações e sistemas de saúde do mundo. Este é o Brasil de sempre, pois sempre esteve nas mãos de um pequeno grupo de pessoas extremamente poderosas, e pior, desinteressadas pela nação, e somente interessadas pelos seus ganhos individuais. Nestas famílias, que sempre mandaram no país, e que nos trouxeram atrasos centenários em quase todos os setores, não estão inclusas a família de Lula (pobre do sertão), nem da Dilma (classe média mineira), nem de Zé Dirceu, nem Genoíno, nem Haddad…..
Vocês podem achar que eles estão destruindo o Brasil, ou que são corruptos, mas a verdade incontestável é que: Eles chegaram em altos cargos políticos, antes sempre ocupados por pessoas de tradição poderosa, e isso, incomoda, e muito, esses poderosos.

Sim, o povo foi às ruas no dia 15 de março, mas infelizmente, a parcela mais rica do povo, pois era raro ver pessoas humildes, ou negras no meio da multidão.
Vocês acham legítimas causas que não aderem os pobres? Será que a classe média precisa mais de ajuda que o pobre faminto? De verdade? Cadê o cristianismo de vocês?

Por que não fugir do simplismo, estudar, buscar entender o sistema, e unirmos então os interesses da classe média com os interesses dos pobres e oprimidos, e assim, juntarmos uma nação contra um par de famílias que não querem dividir o bolo? As causas estão erradas pessoal! Há causas mais certeiras e mais eficientes para serem aderidas. O povo precisa se informar, para buscar algumas causas comuns, que tragam melhorias a todos, e não só a alguns, em detrimento de tantos outros.

Eu, assim como estudiosos da área, estamos sugerindo há tempos causas de extrema urgência: Reforma Política, Reforma Tributária, Lei de Médios, Reforma educacional, Reforma Agrária. Muitas destas causas vêm sendo carregadas desde de Jango.

Essas causas unem os interesses da Classe média e da Classe Pobre, une os interesses de todos nós oprimidos (classe média menos, classe pobre mais oprimida) pelos reais opressores (uma elite pequena, mas poderosa, composta por coronéis da mídia, grandes banqueiros, e grandes empresários – nacionais e internacionais).

Mais sanidade, menos alienação. Mais informação, menos manipulação. E principalmente, mais amor, e menos ódio. É tudo que desejo a todos nós.

Link para o discurso de Dilma AQUI

por Miguelito Formador