Posts Tagged ‘Dilma’

Este post é um apelo: um apelo pelo amor, pela amizade, pela coletividade, pela humildade, e pela evolução pessoal de cada um de nós.
Eu apelo para que tentem se abrir para o que vou lhes dizer, reflitam.


Dilma_DiscursoDilma reaparece oficializando pacotes severos de combate à corrupção, para intensificar ainda mais as investigações já existentes, e novas que estarão por vir (a limpeza na corrupção está só começando).
De lambuja, ela lembra que é extremamente necessária uma Reforma Política, mas que ela, sozinha, não pode fazê-la, pois vivemos numa democracia com 3 Poderes, e não numa ditadura onde o Executivo faz tudo que bem entende.

Nem preciso falar que ouvir a Dilma falar é monótono. Ela é devagar, pouco didática, péssima oratória. Mas o conteúdo é o que importa, e desta vez, conteúdo havia.

Vocês que levantam a bandeira anti-corrupção, gostando da Dilma ou não, prestem atenção nas tentativas constantes de intensificar-se o combate à mesma. A lógica de vocês está errada, com todo o respeito. A corrupção não está aumentando, ela está é aparecendo. Abriram a tampa do caixão.
Vocês deveriam estar agradecendo ao Governo por isso.
É por isso que querem tanto tirar Dilma do Governo, para que o Brasil volte a fechar o caixão da corrupção, e engavetar todo e qualquer esquema, como sempre foi feito nos últimos 500 anos. As investigações não incomodam Dilma, senão ela daria um jeito de pará-las ou diminuí-las. As investigações incomodam aqueles que foram donos do Brasil desde as navegações, e por isso estes querem derrubar Dilma a todo custo.

Não se deixem enganar por aqueles que tentam lhe manipular. A Grande Mídia, não é pelo povo. Estudem sobre a história da mídia brasileira, suas parcerias históricas com o Poder, com a ditadura; estudem sobre a riqueza de seus donos (a família Marinho – Globo – é a família mais rica do Brasil, a família Civita – Editora Abril – é a 11ª mais rica).
Link da Forbes AQUI
Você que curte o perfil da Globo ou Veja no facebook, ou que só se informa pelo Estadão e Folha, não se esqueçam: os donos e diretores destes meios de comunicação estão atolados em esquemas de corrupção e sonegação de impostos, e para piorar, recentemente, muitos deles apareceram na lista de brasileiros com contas no HSBC da Suíça.
Vocês vão protestar contra corrupção, e curtem e seguem estas mídias? E pior, acreditam neles?

É hora de pararmos de dar força para golpistas, interesses internacionais, e essa elite que Governou o Brasil por 500 anos, e com Lula começou a perder um pouco de seus privilégios (eu digo um pouco, pois a elite brasileira continuou fazendo dinheiro com o Governo do PT, com a diferença de que a vida do pobre, pela primeira vez na história, também melhorou de forma visível).

Classe média, vocês estão mais perto dos pobres que da elite. Defendendo o interesse da elite, vocês só têm a perder. A sociedade só tem a perder. O pobre e o Governo popular, não são seus inimigos. O Brasil já há mais de 50 anos é um dos países mais desiguais do Planeta, com as mais altas taxa de violência, com os maiores índices de pobreza, com uma das piores educações e sistemas de saúde do mundo. Este é o Brasil de sempre, pois sempre esteve nas mãos de um pequeno grupo de pessoas extremamente poderosas, e pior, desinteressadas pela nação, e somente interessadas pelos seus ganhos individuais. Nestas famílias, que sempre mandaram no país, e que nos trouxeram atrasos centenários em quase todos os setores, não estão inclusas a família de Lula (pobre do sertão), nem da Dilma (classe média mineira), nem de Zé Dirceu, nem Genoíno, nem Haddad…..
Vocês podem achar que eles estão destruindo o Brasil, ou que são corruptos, mas a verdade incontestável é que: Eles chegaram em altos cargos políticos, antes sempre ocupados por pessoas de tradição poderosa, e isso, incomoda, e muito, esses poderosos.

Sim, o povo foi às ruas no dia 15 de março, mas infelizmente, a parcela mais rica do povo, pois era raro ver pessoas humildes, ou negras no meio da multidão.
Vocês acham legítimas causas que não aderem os pobres? Será que a classe média precisa mais de ajuda que o pobre faminto? De verdade? Cadê o cristianismo de vocês?

Por que não fugir do simplismo, estudar, buscar entender o sistema, e unirmos então os interesses da classe média com os interesses dos pobres e oprimidos, e assim, juntarmos uma nação contra um par de famílias que não querem dividir o bolo? As causas estão erradas pessoal! Há causas mais certeiras e mais eficientes para serem aderidas. O povo precisa se informar, para buscar algumas causas comuns, que tragam melhorias a todos, e não só a alguns, em detrimento de tantos outros.

Eu, assim como estudiosos da área, estamos sugerindo há tempos causas de extrema urgência: Reforma Política, Reforma Tributária, Lei de Médios, Reforma educacional, Reforma Agrária. Muitas destas causas vêm sendo carregadas desde de Jango.

Essas causas unem os interesses da Classe média e da Classe Pobre, une os interesses de todos nós oprimidos (classe média menos, classe pobre mais oprimida) pelos reais opressores (uma elite pequena, mas poderosa, composta por coronéis da mídia, grandes banqueiros, e grandes empresários – nacionais e internacionais).

Mais sanidade, menos alienação. Mais informação, menos manipulação. E principalmente, mais amor, e menos ódio. É tudo que desejo a todos nós.

Link para o discurso de Dilma AQUI

por Miguelito Formador

Miguel_CelsoCelso opa. Boa tarde pro senhor!

Miguel – Bom dia pra você, mano

Celsocomo você está hoje? Viu o pronunciamento da Dilma ontem (08.03.2015)?

Miguel – ainda não vi. tem um link aí?

Celsojá te passo o link.
ontem fiquei decepcionado. depois que você assistir, te explico os porquês
https://www.youtube.com/watch?v=2VrhIITgVQc
a qualidade não está boa, mas acho que consegue acompanhar…

(…)

Miguel – manda aí sua análise sobre a entrevista
ops, pronunciamento

Celsoeu acho que ela perdeu a chance de comentar sobre temas cascudos
tipo a lista do lava jato
eu proporia o afastamento dos envolvidos enquanto as investigações estivessem em curso
falaria de reforma política
e das outras, lembrando aquela declaração bacana dela anos atrás, durante/após as manifestações de junho (link de publicação nossa aqui)
ela estava a muito tempo “escondida” devido a baixa popularidade
daí decidiu aparecer com a “desculpa” de dia das mulheres
mas falou em classe média (pra fazer média) e omitiu os pobres
e falou difícil com termos de “ajuste fiscal”, ao invés de citar os casos reais
e talvez ganhar pontos com a classe média/brasileiro mediano
fiquei chateado, pois acho que ela perdeu uma bela chance

Miguel – eu sinceramente, nem palpito mais nisso
não sei qual a melhor estratégia de comunicação
tipo, em alguns exemplos que você deu, acho que se ela fizesse isso, pioraria ainda mais
sugerir afastamento de Renan Calheiros, Eduardo Cunha, Fernando Collor, Anastasia, e os 450 envolvidos do PP, acabaria de vez com qualquer tipo de apoio que ela tenha dentro de sua base

Celsomas mano, se ela já está “impopular”, pioraria o que?

Miguel – PP e PMDB são coligados, apesar de sabermos que eles se dividem ao votar contra ou a favor o governo
Eduardo Cunha por exemplo é oposição ao Governo

Celsomas ganharia apoio popular

Miguel – Ganharia mesmo, Celso??? Ganharia apoio de quem?

Celsonão. está certo

Miguel – Você ainda tem esperança que a classe média vai apoiar a Dilma, dependendo do que ela falar?

Celsoo apoio popular, na minha citação ou meu caso, é o da “minha elite”. povo que se informa e ainda espera alguma coisa dela.

Miguel – mas…. sugerir afastamento dos caras, iria piorar a situacao dela dentro da Governabilidade

Celsoenfim…

Miguel – calma pô

Celsotenho esperança pois sou tonto

Miguel – tô te questionando

Celsoeu sei. Estou calmo

Miguel – não desista. eu não tenho certezas.
só dúvidas
é disso que to falando
você diz que ela talvez ganhassse apoio de uma parcela da população
eu desconfio muito disso

Celsomas aparecer pra “não falar nada”, só municia a oposição

Miguel – concordo. falar, ou não falar, essa é a questão.

Celsoacho que pouco a pouco ela perde ainda mais apoio/suporte. Eu e alguns dos que conheço, preferiria ver um posicionamento firme (e criticar depois os meios pra chegar nisso) do que posicionamento algum

Miguel – acho que a parcela anti-PT já é uma parcela perdida
o ódio só aumenta. faça a Dilma o que fizer, fale ela o que disser
pois se não falar, a galera cai matando (sumiu, tá com medo, bla bla bla)

Celsolembra daquele discurso das reformas?
pois é… jogue pro Congresso a responsa

Miguel – ela fala, a galera cai matando
lembro

Celsoé sofrido ver ela se afundando nas próprias palavras

Miguel – bom, eu acho que ela poderia ter seguido outros caminhos no discurso, não esse de sugerir afastamento, mas pegar outros pontos, que mostrassem para a população que ela quer evoluir com reformas, mas sem dar porrada no legislativo

Celso a dúvida é: foi ela que escreveu ou alguém do comitê

Miguel – cara…

Celsomeu primo e tio acham que foi ela, que ela não aceita pitacos. Eu acho que não foi ela

Miguel – certamente foi alguém do comitê, penso. Um assessor.

Celso – ela é inteligente pra cair num negócio “auto-fuck” desses

Miguel – mas, as palavras mal escolhidas com a lamentável oratória, transforma um discurso numa catástrofe.
não sei. só suponho

Celsoeu também suponho
certamente, num momento delicado desses, qualquer um sairia mais fragilizado
Aécio, Lula, FHC
a questão é: ganhar pontos com alguns ou perder com todos
mas sou muito radical nesse sentido. Não sei fazer política “do jeito certo” e “com as pessoas certas”.
mas aprendi que a verdade é a melhor maneira de dar uma notícia ruim

Miguel – o que me deixa louco é o seguinte: penso que a classe média média e a classe média alta sejam casos perdidos…. essa galera só aliviará o ódio a médio-longo prazo se houver uma diminuição do bombardeio da mídia e da oposição política. Então, a curto prazo, a Dilma só tem os pobres e os esquerdistas. Dos pobres ela tá cortando benefícios, elevando juros, aumentando bens de consumo e impostos….. isso não agrada os pobres. Para os esquerdistas, ela tá chamando ministros conservadores, e fazendo políticas de austeridade, que, numa primeira impressão, assusta….
Então, com isso, ela não conquistará os que já não gostam dela, e está afastando sua base de apoio popular

isso sim me entristece

Celsosim. O lance dos ministros e da “abertura” do espectro dos aliados é de doer

Miguel – mas…. entendo que a situação seja extremamente complicada, são muitas forças que brotaram, tentando empurrar o Brasil para vários lados, e no meio disso, tem lá “nós”, utópicos sonhadores….

Celsofoi um balde gigante de água fria

Miguel – se o Governo ficar o bicho pega, se correr o bicho come
para sair dessas armadilhas atuais, tem que haver jogadas geniais

Celsosim, deveria ter um cara phoda, estrategista do exército pra fugir dessa

Miguel – tanto políticas, quanto econômicas, quanto de comunicação, quanto de parcerias e coligações, etc

Celsoenfim… muito a discutir. E um horizonte não muito bom, dada a crise, a pressão sobre o governo só tende a aumentar

Miguel – eu tenho uma esperança
uns doentes super-estimarem seus poderes, uns militares de direita + um Aécio e PSDB da vida + convencerem uns americanos estrategistas que esta na hora do golpe + os loucos varridos da classe média se juntarem e tentarem um golpe, ou uma paralisação forte

algo que gere violência, atentados, com mais caos que em 2013

Celsoessa é sua esperança?

Miguel – e aí, minha utopia: o Governo decretar Estado de Sítio, e aproveitar para voltar às origens do PT, lançando mão de seu lado mais de esquerda

Celsoah tá

Miguel – prender os golpistas
dissolver temporariamente o Congresso

Celsobeleza. Entendi. Sabe o que penso sobre dissolver o Congresso. Resolveria vários problemas…

Miguel – Daí fazer reformas (midiática, política, tributária, agrária)
e pronto, restitui o congresso de novo após alguns meses
país novo

Celsodissolução, deixar as fronteiras livres pra galera que quiser sair do país e mudar o modo de governar
aí vira do povo e pro povo
mas… haja utopia!
vou colar esse texto num post. O que acha?

por Miguelito Nervoltado e Celsão revoltado

impeachment2Winston Churchill, político britânico, disse certa vez que a democracia é o pior sistema de governo, excluindo todos os outros. E, embora saibamos que a internet difundiu a informação e fundou uma nova “era”… sabemos também que a imensa maioria dos acessos se concentra em redes sociais (falando de Brasil), ausentes de pesquisas ou buscas por informações com conteúdo.

Por que estou escrevendo isso?
Fui, ou melhor, fomos bombardeados nos últimos dias por um “organizado” protesto que pretende como desfecho o impeachment da presidente Dilma. Faço questão de colar neste post um exemplo de texto divulgado (em figura) e um trecho também muito difundido, abaixo:

ATENÇÃO BRASIL
Dia 15/03/2015, domingo, nos reuniremos e sairemos as ruas de TODO O BRASIL pra pedir o IMPEACHMENT de DILMA ROUSSEFF como fizemos em 1992 com o então presidente Fernando COLLOR de melo.
Não pagaremos R$4.00 no litro da gasolina porque roubaram a Petrobras, não aceitaremos R$3.50 pra andar de ônibus ou trem, não aceitaremos aumento nos impostos já absurdos como IOF, ICMS, IPTU, IPVA e etc.. Estamos sem água graças ao Sr. Geraldo Alckmim que está no governo a 20 anos e nenhum reservatório construiu! Apenas roubaram nosso dinheiro!!! Chega dos mesmos, dia 15/03/2015 todos nas ruas pelo IMPEACHMENT!!!! Nosso protesto é pacifico, não será permitido bandeiras e camisas de partidos políticos e vândalos e black blocs serão detidos e entregues a policia pela própria população. Haverá jovens, adultos e idosos na manifestação, pedimos que todos vão de verde e amarelo como em 1992 com as cores do BRASIL e caras pintadas!!!
(trecho de texto obtido da internet)

As páginas do facebook se multiplicam e as pessoas não sabem sequer o que é o impeachment, o que é necessário para que haja o impeachment, etc…
Inclusive a maioria das propagandas em prol do protesto em Março, como o citado acima, inclui o governador Alckmin e a falta d’água em São Paulo, mas não clama pelo impeachment deste governador (que também é elegível para tal).
Me recuso a comentar as afirmações da figura, deixo-as como exemplo tosco e cômico, como piada; pois penso que o texto só pode ter sido feito de má fé.

Voltando aos argumentos do movimento pró-impeachment, há outras afirmações que pressupõe haver novo pleito e nova escolha de candidatos.
Faço questão de desmentir essa afirmação, embora saiba que os leitores deste espaço não creiam em tudo o que leem e recebem: Não! Não haverá uma nova eleição se houver impeachment; o vice Michel Temer assume e só caso este sofra também um processo (necessariamente movido pelo STF ou Senado Federal) no período de dois anos do mandato atual, serão convocadas novas eleições.
Ou seja, para que, digamos, o Aécio (ou qualquer outro) seja eleito antes de 2018, é preciso que o processo de impeachment contra a presidente Dilma seja aceito pelo Congresso, julgado e condenado por dois terços do Senado, assuma o vice-presidente, haja um processo contra ele (também aceito pelos órgãos “maiores” do país), haja também condenação de dois terços e não seja ainda 2017!

Difícil de acontecer, não?
impeachment4-450x386Não quero desanimar o pessoal do protesto “Fora Dilma”. Mesmo desconfiando do processo apartidário do movimento, eu apoio o ato, como apoio toda manifestação, sobretudo pacífica.

Mas, buscando mais informações, descobri que já foram encaminhadas ao Congresso dez denúncias de crime de responsabilidade contra a própria Dilma no primeiro mandato (resonsabilidade e improbidade administrativa são dois dos crimes passíveis de impeachment). E, antes destes, outros 34 foram apresentados contra Lula e 14 contra FHC.
Todos os 58 foram arquivados pelos presidentes do Congresso.

Na época do Collor, as denúncias entregues ao Congresso que desencadearam na renúncia e cassação do político, foram assinadas pelos presidentes da OAB e da Associação Brasileira de Imprensa; mas é interessante colocar que qualquer cidadão poderia e pode protocolar em Brasília uma denúncia de crime contra governantes e ministros, que será analisada pelo presidente do Congresso e pelos deputados, para ser levado a cabo ou não.

Utopicamente, desejo que o povo tome consciência do que quer e… se o processo não seguir adiante, dada a escolha dos representantes de Congresso e Senado; ou demorar pra ser concluído, dada a normal morosidade dos órgãos supremos da nossa democracia… que este mesmo povo engajado hoje, busque apoiar as alternativas “mais viáveis” de reformas ao invés de partir para o “quebra-quebra” e para as críticas vazias nas redes sociais.

por Celsão correto

figuras retiradas do site do catraca livre (aqui

P.S.1: Para os que querem mais informação, um jornalista fez um excelente resumo de 10 pontos sobre o impeachment (aqui). O catraca livre fez um post mais simples, mas igualmente informative (aqui)

P.S.2: Se algo não está bom pra você, ou se foi mal atendido ao contratar um serviço, proteste! Sempre! Nem que seja num site como o “reclame aqui”. É seu direito.

Reformas_Brasil_03As eleições passaram.
Para o Executivo, vitória de Dilma, o que me traz um pouco de esperança.
Para o Legislativo, o mal pior aconteceu (aumento de 40% da bancada conservadora). Agora, neste novo governo que se inicia, o debate simplista não levará a lugar algum, a não ser para trazer um mínimo de compreensão política para a cabeça da parcela da sociedade mais despolitizada.Mas se quisermos realmente trabalhar juntos com o Governo, fazer nosso papel civil de cidadão, participando do processo sociopolítico do país, entendendo os problemas, participando dos debates e propostas de soluções e exigindo decisões urgentes de nossos governantes; então o debate precisa ser aprofundado, e cada veia e artéria deve ser desobstruída, para evitar derrames.O cenário heróico e perfeito no qual foram desenhados, tanto Dilma quanto Aécio, pelos seus respectivos partidos durante a campanha, não condiz com a realidade destes, tampouco com o que eles podem/poderiam fazer dentro do sistema ao qual estão sujeitos.
Dilma é uma administradora eficiente, e uma mulher de integridade ética inquestionável. Mas se tornou, como outros presidentes, refém do nosso podre sistema político, das coligações prejudiciais com PMDB e outros partidos conservadores, e com alas bárbaras da elite. Com este novo Congresso eleito então, a situação tende a piorar. E Dilma não pode virar as costas para o Congresso. Por isso nós, o povo, precisamos surgir como um novo braço da política, para contrabalancear com o Congresso, que, em sua maioria, representa os interesses do Capital, e não da massa da sociedade.

Na economia, o mundo está sofrendo com a maior crise da história do planeta. Não adianta continuarmos esperando que o Brasil continue crescendo 5% ao ano, com taxa de desemprego de 4,5%, dívida pública caindo e salário mínimo aumentando da forma como aumentou com Lula, e ao mesmo tempo, continuarmos mantendo os banqueiros e multinacionais felizes com seus lucros.
É preciso tomar medidas duras, que desagradarão o povo, ou a elite, ou ambos. Eu espero que sejam medidas que desagradarão mais a elite, o capital especulativo, banqueiros, o capital estrangeiro, que as camadas mais necessitadas de nossa sociedade. Mas o certo é que algo deve ser feito.

É hora de bater de frente com a mídia golpista, é hora de bater de frente com as alas mais podres e conservadoras do capital, é hora de comunicar melhor com a sociedade e solicitar o apoio do povo, dos militantes e dos movimentos sociais. É hora de criar um projeto macro para nossa política-econômica, projeto esse que consiga unir o máximo possível de grupos e classes do Brasil num objetivo em comum.
Não dá para ficar mais 4 anos no banho Maria, negociando migalhas, e empurrando os nossos maiores problemas estruturais com a barriga.

Dilma sabe disso, mas ela governa com mais de 30 ministros, mais outras dezenas de secretários, mais de 500 deputados e mais de 80 senadores. Ela governa precisando representar o trabalhador braçal, o camponês, o latifundiário, o operário, o gerente, o dono da fábrica, o capital nacional e o capital internacional, o especulador, o banqueiro, o funcionário público, o professor, o médico… ela é a presidente de todos. É nosso dever participar e ajudá-la a vencer aqueles coronéis que não querem mudanças profundas no Brasil, com medo de perderem seus privilégios seculares.

Pessoal, tempos difíceis se aproximam, e faça o que fizer Dilma, e participemos nós ou não, efeitos colaterais duros nos esperam. Cabe a nós, ou ficarmos olhando, como sempre calados e conformados, e depois de tudo desandado sairmos reclamando que Dilma ferrou com tudo, que o Brasil é uma porcaria, isso e aquilo; ou então mexermos o nosso popozão, e participarmos, fazendo valer nossos direitos democráticos, e lutando por aquilo que realmente queremos.

Qual a postura que você vai tomar? Ficará passivo esperando a doença tomar conta de seu corpo, para depois entrar em depressão e tomar milhares de remédios para se curar? Ou vai fazer exames de rotina, e se comportando de forma preventiva, evitando que a doença se desenvolva?
Esses são os dois caminhos possíveis para você enquanto cidadão de uma sociedade democrática.

Participem, seja indo as ruas, seja lendo e se informando, seja perguntando ao amigo que entende mais que você, seja participando de conselhos populares, seja escrevendo no facebook e blogs e compartilhando informação. Vamos nos mobilizar.
Mas lembrem-se sempre, por favor: tudo isso tem que ser feito com muito juízo e sempre alerta, pois a elite escravagista e a mídia bandida estarão sempre caminhando ao nosso lado, tentando nos guiar para a contramão, corromper nossa ideologia e ideias, e nos fazer pensar que estamos lutando por algo que é bom para nós, mas que na verdade não é, é algo que só faz com que tudo se mantenha como está (mantendo o Status-Quo).
Disciplina, policiamento, humildade e perseverança nos nossos atos, só assim caminharemos na direção certa.

E pelo que precisamos lutar?
Pelas reformas mais urgentes que o Brasil precisa. São elas:

Reforma Política: fim do financiamento privado de campanhas, maior participação popular através de consultas, plebiscitos e referendos, revisão e limitação do número máximo de partidos políticos, discussão sobre voto aberto ou secreto no Congresso, valor de salários e benefícios de parlamentares, senadores, ministros do Executivo e do Judiciário, Presidente; Sistema Eleitoral: voto partidário, quociente eleitoral, voto majoritário, voto em lista, voto distrital ou não, entre outros. (Mais sobre a Reforma Política AQUI)

Reforma da mídia/Lei de Médios: a mídia brasileira é 95% privada. 75% da mídia de todo o país está concentrada nas mãos de 6 famílias. A mídia não é um mercado como outro qualquer, pois o produto que ela vende é “informação”. Portanto, não se trata de vestuário, ou imóvel, bens materiais, lazer; se trata do intelecto e forma de pensar de cada cidadão. Portanto, é inconcebível não haver, nesse mercado, regulamentação que vise garantir um serviço de excelente qualidade à sociedade.
Uma mídia democrática é uma mídia onde todas as camadas sociais são representadas em pé de igualdade. Por isso é preciso diminuir o poder da mídia privada, e ascender mídia governamental e mídia popular/pública. Assim, tanto o setor privado, quanto o Governo e a sociedade, teriam garantidas suas representações democráticas, e poderiam divulgar informações a partir de seus pontos de vista e seus interesses. O resultado: uma sociedade com acesso a informações diferentes e divergentes, podendo analisar sempre os dois ou os vários lados da moeda, e no fim, chegar a uma conclusão/opinião mais heterogênia, equilibrada e racional. Hoje, toda a informação é convergente/homogênea, pois toda a mídia é privada, e portanto, representam os interesses da elite, raramente os interesses da sociedade. Se a mídia só fornece uma versão dos fatos, obviamente, o cidadão só pode chegar a uma conclusão, aquela que a mídia passou, que foi a única com a qual ele teve contato. E nós sabemos que, ouvir somente uma versão de qualquer história, não é suficiente para chegarmos a conclusões, não é mesmo?.

Reforma Tributária: no Brasil, quanto mais rico se é, menos imposto “total” se paga. Somente revendo nossa pirâmide tributária, poderemos aliviar a carga de impostos da produção, e aliviar a carga tributária daqueles que têm menos dinheiro, mas sem causar efeito negativo no orçamento do Governo. Na maioria dos países capitalistas ricos, as taxações a grandes salários chegam a ultrapassar os 40%. Na Alemanha, Suécia e outros exemplos, chegam até a 50% do salário. No Brasil, abatendo os gastos dedutíveis, não se paga mais de 30%. Nos EUA e na Alemanha, o imposto sobre grandes heranças chegam a 40% do valor total. No Brasil, apenas 4%. (Entenda mais sobre os impostos do Brasil e do mundo, acessando esse artigo AQUI)

Reforma Agrária: ainda é lamentável a situação de concentração latifundiária no Brasil. Precisamos de projetos que garantam a alocação de famílias, e uma democratização das terras. Isso é ótimo para a sociedade e para o meio ambiente. Não é justo que famílias passem de geração em geração fazendas do tamanho da cidade de Belo Horizonte, só porque o tatataravô era um coronel das capitanias hereditárias, principalmente se essas terras são mal aproveitadas.

Reforma do Sistema Educacional: é óbvio que precisamos aumentar os investimentos em educação. Mas só isso não basta. Precisamos de um reforma estrutural completa, que gerará resultados a longo prazo. Precisamos reformar a grade curricular do ensino primário, ensino médio e ensino superior, inserindo de forma radical disciplinas voltadas à ética-social, ao respeito às pluriculturas e diferenças, reforçar a filosofia, sociologia, antropologia, despadronizar o ensino da história e geografia e inserir o ensino das ciências-políticas com ênfase em nossos direitos e deveres democráticos. É preciso maior valorização dos professores e trabalhadores do ensino, assim como tornar mais rigoroso e completo o preparo e formação dos mesmos. Na Alemanha, por exemplo, o professor é um dos profissionais com melhor salário, mas ao mesmo tempo, tem um dos vestibulares mais concorridos, além de ter um curso superior muito duro, que exige muito do estudante.

Sem essas reformas, vamos continuar tomando Banho Maria.

Para acessar o artigo-inspiração de Ciro Gomes na Carta Capital, clique AQUI.

por Miguelito Formador

Combate_CorrupçãoPara os que não leram ainda, o artigo-base deste post foi publicado na Folha de São Paulo no dia 21/11/2014 – link aqui.

Antes que falem: Uai Miguel, mas você critica tanto a mídia, e posta um artigo da Folha?
Explicação: Eu critico o “Editorial” da mídia, ou seja, as linhas gerais, a grande maioria das publicações, as capas, as chamadas, a ideologia da diretoria e conduta antiética da mesma.
Esse artigo aqui é uma coluna dentro da parte “opinião”. Ou seja, tem uma certa liberdade, e existe na maioria das mídias escritas, para transparecer um pouco mais de democracia. Percebam que no final da mesma tem uma nota do jornal, dizendo que a opinião ali exposta não condiz, necessariamente, com a opinião do jornal.
Portanto, é um espaço livre que o jornal disponibiliza para colaboradores. O mesmo não representa 5% do alcance que o editorial do jornal representa.

Bom, depois de separar alhos de bugalhos, já começo a segunda parte dizendo que lamento o fato de que, a maioria dos leitores que “divergem” de mim, não lerão até o fim (mesmo se tratando de um artigo de dois minutos de leitura). E caso leiam, interpretarão somente aquilo que querem, e ignorarão todo o resto, criando internamente em suas mentes desculpas e argumentos para desqualificar passagens do texto. Inclusive, ignorarão a importância do fato do autor mencionar claramente que é eleitor tucano.

E é justamente por não lerem, por pré-julgarem, por filtrarem só aquilo que lhes interessa, e de preferência, coisas simples e de rápida absorção, é que pensam como pensam. Antes de se informarem, estudarem a fundo, buscarem entender as problemáticas, analisarem com cuidado os dois lados, buscarem diversas formas de ver a mesma coisa, preferem sempre, antes de qualquer coisa, opinarem. Por menos informado que se esteja, pensa que o mais importante seja opinar, e garantir a defesa de suas convicções e do seu ego.

Sofro diariamente as mesmas acusações, que se repetem em ondas de clichês da maré do senso comum. É mais ou menos assim: Se o interlocutor está mais preparado que você, e tem mais informação que você, e aponta incoerências e falta de lógica em suas argumentações, não há problemas, basta acusar o interlocutor de ser arrogante, ou agressivo, ou contar algum “tropeço” dele há 20 anos, ou dizer que ele não respeita opiniões divergentes… E se nada disso causar o impacto que se deseja, não se preocupe, comece a debochar, ser sarcástico e fazer piadas, e depois dê a desculpa que você “só queria descontrair”. Para que aprender aquilo que não se sabe, para que evoluir, se é possível se sentir vitorioso assumindo uma postura desonesta intelectualmente, certo?

É o vale-tudo da retórica, para escapar da sua incapacidade de rever seus conceitos e valores.

Também existe a tentativa de acusar “nós” do lado mais à esquerda, de também sermos viciados em nossas leituras, e fecharmos os olhos para o “outro lado”. Esta é mais uma tentativa desesperada de colocar todo mundo no mesmo balaio. Mas ela própria já se auto-desqualifica, por não possuir fundamento lógico.

Todo e qualquer cidadão brasileiro, cresceu vendo Jornal Nacional, Novelas da Globo e do SBT, Boris Casoy, Fantástico, tendo nos bancos de consultórios Veja (Editora Abril) e Época (Globo) para lerem. Os jornais, quando os tinham, eram Estadão, Folha de São Paulo e Estado de Minas. Todos nós, sem exceção, fomos bombardeados por essa mídia que detêm mais de 80% da audiência brasileira, desde que nos entendemos por gente. E continuamos a ser bombardeados, pois mesmo não acreditando na maioria das coisas que eles escrevem, nós somos OBRIGADOS a ler e assistir diariamente à mesma, pois todo mundo tem TV em casa, todo mundo tem uma esposa, um esposo, um filho, um parente, um amigo, uma visita, que não quer perder o fantástico, ou leva na bagagem das férias uma Veja.

No facebook, apesar de eu assinar só revistas e jornais alternativos e/ou de esquerda, o que mais me salta na linha do tempo são artigos da Globo e da Folha. E muitos deles eu abro e leio até o fim.
Portanto, a afirmação de que somos “viciados” em nossas mídias, e não abrimos a cabeça para o diferente, é uma falácia. A diferença entre o cidadão que só tem contato com a Grande Mídia e o cidadão que busca outras fontes, é que o segundo teve um “click” durante a vida, e percebeu que há outras realidades, e que elas parecem, na maioria das vezes mais justas, mais honestas, mais éticas que a realidade fabulosa onde vive a maioria do senso comum.

O estudo liberta, e de uma maneira profunda. Estudem, larguem a preguiça de lado. Ou parem de se posicionar como se estivessem super bem informados, como se suas opiniões fossem de extrema confiabilidade. Isso não é legal, e acontece em países de sociedades desenvolvidas, muito menos que no Brasil. Na Alemanha, por exemplo, a maioria das pessoas, quando falam de algum assunto sobre o qual não estão bem informados, eles afirmam a cada 5 minutos de diálogo (não tenho certeza, não sou estudioso de política, isso é só o que eu ouvi, mas não posso afirmar se está certo ou errado… etc). E normalmente prestam muito atenção naquilo que você diz, caso percebam que você está bem informado e pode lhes agregar algo.
(Leiam também nosso artigo sobre opiniões, clicando A Era das Opiniões: direitos e deveres.)

por Miguelito formador


Meus dois centavos…

Tomei conhecimento do artigo/depoimento e logo pensei em publicá-lo aqui. Não somente por escancarar uma verdade conhecida, mas até então não assumida. Mais por mostrar o “dedão na lama” que a elite tem.

Aproveito pra responder à pergunta feita pelo autor: o pessoal do Bolsa Família não usou dessas artimanhas! Poderia colocar um “ainda” na frase, na esperança de que esse pessoal possa ainda ter carro, casa, dinheiro para optar ser atendido por médicos particulares, entre outros benefícios. Daí viria do livre arbítrio a escolha de ser mais um “Gerson”, querendo levar vantagem sobre tudo e todos.
Mas sabemos que a situação de hoje está bem longe dessa realidade. Apesar de representar a generalização da direita, são poucas as pessoas que viviam em condições tão palpérrimas que é mais digno “viver da Bolsa”; a esmagadora maioria realmente utiliza o benefício para morar, comer e se vestir dignamente.

Meu lado romântico, quer e espera que a operação Lava Jato siga abrindo as feridas no empresariado nacional e que leve consigo os políticos envolvidos, de que lado forem e em que lado estejam hoje!

por Celsão correto.

figura daqui

Jean_Wyllys_02Replico abaixo uma fabulosa declaração do deputado Federal reeleito pelo Rio de Janeiro, Jean Wyllys, na revista Carta Capital.

Jean se posiciona, como sempre, com muita clareza e sinceridade, sempre em prol daquelas lutas que julga mais importantes, as quais sempre tangem os direitos humanos e direitos civis sendo validados a todo e qualquer cidadão, independentemente de classe social, sexo, cor de pele, origem étnica e sexualidade.

Jean, integrante do partido PSOL, partido de esquerda e oposição ao atual governo, deixa claro que, discordar de duas pessoas, ou duas ideologias, ou dois projetos, não significa colocar ambas no mesmo balaio. Mesmo nenhuma lhe representando integralmente, há sempre diferenças fundamentais entre elas, e assim sempre se faz possível escolher aquele que mais se aproxima de você e daquilo que você pensa ser o correto.

Parabéns Jean pela bela e corajosa nota, típica de suas posturas.

Clique AQUI para acessar o texto, ou role abaixo para ler o mesmo.

por Miguelito Formador

figura retirada do próprio artigo


Deputado federal reeleito pelo PSOL do Rio de Janeiro destaca que a presidenta e Aécio têm diferenças e que o tucano representa um retrocesso. Leia abaixo carta divulgada por Wyllys em seu Facebook:

Carta para além do muro (ou por que Dilma agora)

O muro não é meu lugar, definitivamente. Nunca gostei de muros, nem dos reais nem dos imaginários ou metafóricos. Sempre preferi as pontes ou as portas e janelas abertas, reais ou imaginárias. Estas representam a comunicação e, logo, o entendimento. Mas quando, infelizmente, no lugar delas se ergue um muro, não posso tentar me equilibrar sobre ele. O certo é avaliar com discernimento e escolher o lado do muro que está mais de acordo com o que se espera da vida. O correto é tomar posição; posicionar-se mesmo que a posição tomada não seja a ideal, mas a mais próxima disso. Jamais lavar as mãos como Pilatos — o que custou a execução de Jesus — nem sugerir dividir o bebê disputado por duas mães ao meio.

Sei que cada escolha é uma renúncia. E, por isso, estou preparado para os insultos e ataques dos que gostariam que eu fizesse escolha semelhante às suas.

Por respeito à democracia interna do meu partido, aguardei a deliberação da direção nacional para dividir, com vocês, minha posição sobre o segundo turno. E agora que o PSOL já se expressou, eu também o faço.

Antes de mais nada, quero dizer que estou muito feliz e orgulhoso pelo papel cumprido ao longo de toda a campanha por Luciana Genro. Jamais um/a candidato/a presidencial tinha assumido em todos os debates, entrevistas e discursos — e, sobretudo, no programa de governo apresentado — um compromisso tão claro com a defesa dos direitos humanos de todos e todas. Luciana foi a primeira candidata a falar as palavras “transfobia” e “homofobia” num debate presidencial, além de defender abertamente o casamento civil igualitário, a lei de identidade de gênero e a criminalização da homofobia nos termos em que eu mesmo a defendo; mas também foi a primeira a defender, sem eufemismos, as legalizações do aborto e da maconha como meios eficazes de reduzir a mortalidade da população pobre e negra, a taxação das grandes fortunas, a desmilitarização da polícia e outras pautas que considero fundamentais. O PSOL saiu da eleição fortalecido.

Agora, no segundo turno, a eleição é entre os dois candidatos que a população escolheu: Dilma Rousseff e Aécio Neves. E eu não vou fugir dessa escolha porque, embora tenha fortes críticas a ambos, acredito que existam diferenças importantes entre eles.

A candidatura de Aécio Neves – com o provável apoio de Marina Silva (e o já declarado apoio dos fundamentalistas MAL-AFAIA e pastor Everaldo; do ultra-reacionário Levy Fidélix; da quadrilha de difamadores fascistas que tem por sobrenome Bolsonaro e do PSB dos pastores obscurantistas Eurico e Isidoro) – representa um retrocesso: conservadorismo moral, política econômica ultra-liberal, menos políticas sociais e de inclusão, mais criminalização dos movimentos sociais, mais corrupção (sim, ao contrário do que sugere parte da imprensa, o PT é um partido menos enredado em esquemas de corrupção que o PSDB) e mais repressão à dissidência política e menos direitos civis.

Mesmo com todos as críticas que eu fiz, faço e continuarei fazendo aos governos do PT, a memória da época do tucanato me lembra o quanto tudo pode piorar. Por outro lado, Aécio representa uma coligação de partidos de ultra-direita, com uma base ainda mais conservadora que a do governo Dilma no parlamento. Esse alinhamento político-ideológico à direita entre Executivo e Legislativo é um perigo para a democracia!

Vocês que acompanham meus posicionamentos no Congresso, na imprensa e aqui sabem o quanto eu fui crítico, durante estes quatro anos, das claudicações e recuos do governo Dilma e do tipo de governabilidade que o PT construiu. Mas sabem também que eu tenho horror a esse anti-petismo de leitor da revista marrom, por seu conteúdo udenista, fundamentalista religioso, classista e ultra-liberal em matéria econômico-social. Considero-o uma ameaça às conquistas já feitas, que não são todas as que eu desejo, mas existem e são importantes, principalmente para os mais pobres. As manifestações de racismo e classismo que eu vi nos últimos dias nas redes sociais contra o povo nordestino, do qual faço parte como baiano radicado no Rio, mais ainda me horrorizam!

Por isso, avançando um pouco em relação à posição da direção nacional do PSOL, que declarou “Nenhum voto em Aécio”, eu declaro que, nesse segundo turno das eleições, eu voto em Dilma e a apóio, mesmo assegurando a vocês, desde já, que farei oposição à esquerda ao seu governo (logo, uma oposição pautada na justiça, na ética, nas minhas convicções e no republicanismo), apoiando aquilo que é coerente com as bandeiras que defendo e me opondo ao que considero contrário aos interesses da população em geral e daqueles que eu represento no Congresso, como sempre fiz.

Hoje, antes de dividir estas palavras com vocês, entrei em contato com a coordenação de campanha da presidenta Dilma para antecipar minha posição e cobrar, dela, um compromisso claro com agendas mínimas que são muito caras a mim e a tod@s @s que me confiaram seu voto.

E a presidenta Dilma, após argumentar que pouco avançou na garantia de direitos humanos de minorias porque, no primeiro mandato, teve de levar em conta o equilíbrio de forças em sua base e priorizar as políticas sociais mais urgentes, garantiu que, dessa vez, vai:

1. fazer todos os esforços que lhe cabem como presidenta para convencer sua base a criminalizar a homofobia em consonância com a defesa de um estado penal mínimo;

2. fazer todos os esforços que lhe cabem como presidenta para mobilizar sua base no Legislativo para legalizar algo que já é uma realidade jurídica: o casamento CIVIL igualitário. (Ela ressaltou, contudo, que vai tranquilizar os religiosos de que jamais fará qualquer ação no sentido de constranger igrejas a realizarem cerimônias de casamento; a presidenta deixou claro que seu compromisso é com a legalização do CASAMENTO CIVIL – aquele que pode ser dissolvido pelo divórcio – entre pessoas do mesmo sexo);

3. fazer maior investimento de recursos nas políticas de prevenção e tratamento das DSTs/AIDS, levando em conta as populações mais vulneráveis à doença;

4. dar maior atenção às reivindicações dos povos indígenas, conciliando o atendimento a essas reivindicações com o desenvolvimento sustentável;

5. e implementar o PNE – Plano Nacional de Educação – de modo a assegurar a todos e todas uma educação inclusiva de qualidade, sem discriminações às pessoas com deficiências físicas e cognitivas, LGBTs e adeptos de religiões minoritárias, como as religiões de matriz africana.

Por tudo isso, sobretudo por causa desse compromisso, eu voto em Dilma e apoio sua reeleição. Se ela não cumprir, serei o primeiro a cobrar junto a vocês!

hoaxÉ lamentável, mas terei novamente que voltar ao tema farsas, ou mais especificamente, farsas de internet, também conhecidas como “hoax”.

É certo que invenções, mentiras, textos e vídeos maliciosos e desonestos estão aí aos montes. E se alguém for se incomodar com cada um das dezenas/centenas destes que surgem diariamente, estará fadado a enlouquecer. Portanto, já sabendo desta realidade, eu simplesmente ignoro a maioria daqueles com os quais me deparo, até porque de tanto já ter sido incomodado com tais hoax e, justamente por isso, já ter estudado bastante sobre o assunto, na maioria das vezes, basta eu bater o olho numa farsa e já a identifico como tal, e assim eu poupo meu tempo e energia.

Por e-mail venho recebendo bem menos hoax. Penso que isso tenha sido o resultado da minha luta travada durante muito tempo com alguns amigos que insistem em acreditar na maioria delas, pois lhes agrada ao ego e as suas convicções pessoais. Ou estes amigos aprenderam nestas discussões comigo a serem mais críticos e pararam de acreditar em tudo que viam na internet, ou então eles passaram a não me enviar mais tais e-mails, sabendo que “o chato do Miguel” certamente irá criticar com suas teorias da conspiração…. enfim, se for o segundo caso, nada posso fazer, pois tem gente que nao “pega” nem no “tranco”.

Pelo facebook a história não é muito diferente. Com o tempo eu fui “filtrando” muitos contatos. Entre os principais motivos de filtro está a falta de senso crítico, tendendo à imbecilidade crônica mesmo. Por exemplo: uma pessoa posta algo assumido pelo próprio autor como sátira/brincadeira. Mas aquele que o está a compartilhar está acreditando que aquilo seja verdade. Daí eu, com toda a educação e diplomacia que me foi “dada”, abordo a pessoa, muitas vezes por mensagem privada, às vezes no próprio post, e sugiro que ele olhe o perfil do próprio autor do texto, onde aquele diz que este se trata de uma piada, e que as informações são fictícias, e por isso, não deve ser levado a sério.
Após fazer essa sugestão, sou tratado como arrogante, metido, sabichão, ignorante, conspirador e até como “alienado”, pelo “amigo” que compartilhou o texto. Tento explicar mais uma vez que não é nada disso, e que só enviei o link onde o próprio autor diz que as pessoas não devem acreditar no texto, pois trata-se de uma história inventada, algo humorístico. Os insultos e grosserias continuam em minha direção, agora apoiados pelos amigos deste meu “amigo”, os quais estão ali dentro do post exaltando as “verdades” do texto em tom voraz.
Só me resta ativar o botão “filtro de imbecilidade”, para que eu nunca mais veja nada que essa pessoa escreva ou compartilhe. Afinal, essa não pega nem no tranco.

Mesmo já tendo filtrado algumas dezenas de pessoas por este motivo, ainda continuo a ver, aqui e acolá, besteiras insanas a serem compartilhadas e ovacionadas. Só não tenho mais a mesma energia de debater sobre coisas óbvias. Então, quando me manifesto, o faço de maneira lacônica, se colar colou, senão, azar, me dou por vencido e nado para longe para não me afogar na rasura destas pessoas médias.

Bom, mas quero aqui mencionar duas farsas/hoax que merecem minha preciosa atenção, pela popularidade que ganharam, e também por terem conquistado a simpatia e credibilidade de amigos e entes dos mais queridos.

Angela Merkel ataca Dilma Roussef e tece críticas ao seu Governo
merkeldilma620388Trata-se de um suposto depoimento de Angela Merkel, Chanceler alemã, onde ela haveria tecido duras críticas ao Governo brasileiro, mais diretamente à Presidente Dilma Roussef.
A tradução que circulou pela internet no Brasil, com aplausos e vibrações eufóricas de uma boa parcela de brasileiros (principalmente da classe média) segue abaixo:
Diante da arrogância da Dilma, a Chefe de Estado alemã, Angela Merkel, deu
entrevista à TV alemã ontem à noite na qual mandou um recadinho:
– Essa senhora vem à Alemanha nos dizer o que temos de fazer? Ora, a
Alemanha vai bem obrigada apesar de tudo. Mas vou aproveitar para dar um
conselho a ela… antes de vir aqui reclamar das nossas políticas
econômicas, por que ela não diminui os gastos do governo dela e também os
juros que são exorbitantes no Brasil? Se eu posso emprestar dinheiro a juros
baixos e o meu povo pode ganhar juros absurdos lá no país dela, não vou ser
eu que direi ao meu povo que não faça isso.
Ela que torne a especulação no país dela menos atraente.

Para acessar a reportagem original em alemão, onde se encontra o que realmente foi dito por Dilma e Merkel, clique aqui.

Tudo isto que está aí acima e que supostamente foi dito pela Chanceler alemã, é um conjunto de invenções, criações. E nem estou a falar de sentido adulterado, mas sim de invenções deliberadas. Merkel em nenhum momento fez críticas à presidente brasileira, nem falou de juros, muito menos disse que estes são absurdos no Brasil (até porque, se ela assim dissesse, mostraria uma profunda ignorância histórico-política, pois o Brasil tem no governo Dilma os juros mais baixos depois de décadas, chegando a ser tão baixos que foram atacados pela mídia e pela elite, principalmente os banqueiros – que são os donos não só do Brasil, mas do Mundo).
Resumidamente, Dilma teceu diplomaticamente críticas a algumas medidas da Alemanha e da Zona do Euro, e Merkel concordou com algumas destas críticas e observações feitas por Dilma, mas ressaltou que essas medidas são provisórias, de emergência, e que em breve outras posturas serão tomadas. Não há críticas ao Brasil, e não há atrito entre as duas presidentes. Tudo extremamente técnico, diplomático e respeitoso por ambos os lados.

Gente, mas não precisa saber falar alemão para saber que essa tradução cheira à mentira, certo? Será que a Chanceler (presidente) de uma das 3 nações mais importantes do Mundo, iria se referir à presidente de uma outra nação tão importante, chamando a mesma de “esta senhora”??? Será que ela falaria em público “vou dar um conselho a ela”??? Poxa, não precisa ter doutorado em política, nem ser um gênio da diplomacia, nem ter o senso crítico mais apurado do Universo, para perceber que esta tradução é uma picaretagem.

Outra coisa que já resolveria o problema neste caso, seria, pegar o texto original em alemão, colocar em algum tradutor, tipo o Google, Babylon, etc, e ver o resultado que ele dá. Claro que a tradução fica uma porcaria, mas já consegue-se pegar uma ideia do que está contido no texto original.
Por fim, se você não quer jogar no Google, por preguiça, ou porque não confia na tradução do mesmo. Se você não tem nenhum amigo alemão ou que fale alemão, e possa te dizer o que está presente no texto original. Então só lhe resta uma posição coerente e sensata: ignorar o texto em português, pois você não faz a menor ideia se o mesmo está te fazendo de palhaço, mentindo na cara dura, inventando coisas! A não ser que ele venha em alguma fonte segura de informação, de algum jornalista respeitado, daí a história muda. Mas se o texto está sendo replicado no facebook, ou em blogs de procedência “x”, poxa, não dá para acreditar né?

O Governo, a sociedade, Lula e Dilma, e o Brasil como um todo são detonados pela Francefootball, uma revista francesa de futebol e esportes, ao que se diz, uma das revistas mais respeitadas do Mundo
revista_france_footballPara acessar o texto em português com o suposto resumo do que está contido nesta edição da revista francesa, clique aqui.

Primeiramente fui marcado neste texto por um amigo do facebook. Ao me marcar, ele já se adiantou: “Miguel, sei que você dirá que há sensacionalismo e alguns dados não são totalmente verdadeiros, mas gostei e concordo com a ideia geral do texto”.
E eu me pergunto: Tem tanta revista, tanto blog, tanto jornal, tantos intelectuais por aí escrevendo sobre tudo que se possa imaginar; será que é necessário compartilhar e disseminar um texto de procedência desconhecida, contendo informações sabidamente falsas e maliciosas, só porque a “ideia geral” nos agrada? Sei lá se eu sou um ET, ou se a cabeça da galera tá do avesso. Quem compartilha tais coisas, está disseminando mentiras e colaborando para a “idiotização” da sociedade! Será que essa é uma atitude ética, civilizada e cidadã, especialmente quando for feita com consciência?

Não aguentei ler tudo, pois estava me dando ânsia realizar aquela leitura sabendo que estava jogando meu tempo fora, tamanho o descaramento das mentiras ali contidas.
Porém, passados alguns dias, precisei dar maior atenção ao texto, pois isso me foi requisitado por mais duas pessoas da minha família. Enquanto isso, o texto bombava no facebook, por e-mail e em blogs imundos.

Gastei algo em torno de 2 horas vasculhando a internet. Procurei esta capa e esta reportagem em francês (original) no site da revista, mas não achei. E aqui já começa a PRIMEIRA coisa extremamente estranha, que já basta para vermos a falta de seriedade. O texto fornece um link (…A revista pode ser acessada no site: www.francefootball.com mas apenas…), mas não fala se é o site do Brasil, da França, ou sei lá de onde. Clicando no HIPER-LINK do site contido no texto, ele não nos direciona para o site da revista, mas sim para o link desta matéria no FACEBOOK. Ou seja, ao invés de colocarem no hiperlink o site da revista, colocaram o link do facebook de quem criou este texto. Percebem a falcatrua? E esse é só o começo.

Digitando www.francefootball.com no browser da internet, este te direciona para http://www.francefootball.FR, pois é de domínio francês.

Entrei no site francês da revista e procurei por esta capa. Procurei pelos títulos e pedaços do texto que estão contidos na capa, não achei nada. Procurei por Brésil (Brasil em francês) e aí achei várias reportagens… abri todas as últimas dos últimos 2 meses, e nenhuma parece ter qualquer relação com o texto acima. (aqui mais um problema. O texto diz “a capa desta semana da revista francefootball….” Qual semana? Cadê a data do texto? Por que não colocar: “a capa desta semana, ex.: 28.01.2014, da revista bla bla bla, traz uma reportagem….?” Percebem que as informações são omitidas propositalmente para ficar mais difícil o rastreamento?

Portanto, trata-se de um texto fake/falso, que foi criado não por um pé-rapado qualquer, mas sim por uma equipe que sabe o que faz, e escreve um texto que parece, aos olhos de  pessoas “médias”, um texto profissional e sério, cheio de links de referência, supostamente embasando os dados. Porém, eles sabem que essas pessoas médias, não irão abrir todos os links, nem checar as informações. Pois se o fizessem, e tivessem um pouquinho de senso crítico, já começariam a ver diversas coisas estranhas.
Quem criou este texto, o fez de forma criminosa, sabendo que cativaria o seu público alvo, que é raso e gosta de sensacionalismo, imediatismo, críticas e soluções simples para os mais complexos problemas.

Misturaram verdades com inverdades, realidades com distorções, e usando de sensacionalismo extremo, buscam apontar culpados (o governo atual e o descaso público) de forma bem simplória. Ou seja, cada acusação que eles fazem, ou está repleta de mentiras, ou é parcialmente verdadeira, porém omite todos os 500 anos de história do Brasil, omite diversas influências políticas/sociais/econômicas/geográficas, omite dados e estatísticas, omite curvas de evolução, e simplificam problemas seculares como um erro político de 1 ano atrás. A má fé predomina neste texto, e isso não é casualidade, isso é proposital, pois quem o fez tem um objetivo bem claro.

Como exemplo concreto, abordarei uma passagem do texto, a qual já ilustra tudo que estou querendo dizer. Segue:
Para os taxistas não há cursos de inglês financiados pelo governo, mas para as prostitutas sim. Parece piada, mas é verdade: (vide:www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/01/1211528-prostitutas-de-bh-tem-aulas-gratis-de-ingles-para-se-preparar-para-a-copa.shtml)

Esse boato surgiu há quase 2 anos. À princípio, uma revista holandesa teria vazado essa informação que o governo brasileiro estava pagando curso de inglês para prostitutas, preparando-nas para a Copa. Isso virou uma febre no Facebook e nas correntes de e-mail.
Naquela época postei um texto aqui no blog tratando exatamente deste tema. Clique AQUI.

Resumindo o que escrevi na época: a reportagem da Holanda falava da associação das prostitutas de Belo Horizonte, a qual estava pagando cursos de formação para as prostitutas, entre os quais, inglês era a prioridade. É a associação delas, que é organizada pelas próprias trabalhadoras, para representar os seus próprios interesses. Não tem governo Federal, nem estadual, nem prefeitura, nem vereador envolvido. Nem empresários, nem sociedade. São elas, tirando vontade e dinheiro de seu próprio caixa. E é só Belo Horizonte, não é Brasil…..
Pelo amor de Deus né?

Mas sabe o que é pior? Nem é necessário saber dessa história toda que contei, nem abrir meu blog, nem saber falar alemão/holandês. Basta abrir o link da Folha.uol, que está aí acima, o qual foi fornecido pelo próprio texto e ler o que ali está escrito. O texto ali presente não menciona governo, mas sim a associação das prostitutas. Ali está explicado direitinho, que elas buscam até voluntários para dar aulas. GOVERNO ou POLÍTICA, ou qualquer palavra que vincule este fato ao Governo, não estão presentes no texto. Ou seja, a versão em português da edição da Francefootball, diz que prostitutas estão recebendo cursos de inglês pagos pelo Governo, e para embasar isso, fornecem um link da Folha.uol cujo o texto não fala nada disso. Para quê continuar lendo um texto destes? Se o autor age com tanta má fé assim, e pior, de forma ridícula, chamando “nós” leitores de idiotas e analfabetos funcionais. Será que vale à pena continuar lendo o texto, com a esperança de que coisas boas estão por vir? Para mim está claro: Não!

Ao invés de dar mais exemplos de mentiras e canalhices contidas nesta tradução da Francefootball, deixo aqui um link do próprio site da UOL que desmascara o texto. Não deixem de lê-lo, pois eles apontam inúmeras mentiras e afirmações maliciosas contidas nesta hoax. Clique AQUI.

Para encerrar, deixo também a dica de mais dois outros textos meus postados neste blog.
1) Trato de farsas e da burrice da oposição brasileira. AQUI 
2) A farsa do Nióbio, tema que já circula há anos na internet. AQUI

por Miguelito Nervoltado

figura 1 daqui
figura 2 daqui

images_02A presidente deu um passo interessante nessa tarde ao pronunciar-se sobre a reforma política.

A “proposta” ou “ideia plantada” propõe um plebiscito popular para uma Constituinte Específica que aprovaria alterações à Constituição, buscando uma reforma política.

Mais que rápido, a oposição criticou a proposta. O argumento usado é a impropriedade de se usar um plebiscito para tal fim. Para eles, constitucionalmente, as mudanças somente podem acontecer se propostas forem apresentadas às duas casas, Câmara e Senado, votadas e sancionadas pela presidente.

Juristas também criticaram a proposta da votação popular; não só por ignorar o Poder Legislativo, meio existente para aprovação ou alteração de leis, mas também pela perigosa “abertura” que uma Nova Constituição traria. Um fato interessante aventado por eles é o fato de que os deputados e senadores que lá estão não terem sido eleitos para tal ofício. Uma Assembleia Constituinte é eleita para trabalhar exclusivamente numa Constituição.

 

Na minha opinião, a reforma política é justa e necessária. E os modos de a fazê-la são e serão complicados. Qual o melhor meio de se fazer isso? Não sei responder.

Talvez o plebiscito seja o início, o aval popular que a presidente anseie. Falta definir como será feita a mudança, qual a ideia da Constituinte Exclusiva, se serão realizadas novas eleições para as cadeiras dos “reformadores” ou se serão escolhidos parlamentares já em exercício.

 

Os organizadores do projeto “Ficha Limpa” e a OAB já têm uma proposta. Nela, a eleição primeiramente escolhe partidos e depois os candidatos, já pré-relacionados em uma lista. Não me agradou. Prefiro as propostas que pregam o voto distrital, permitindo candidatos sem partido e eliminando os candidatos “puxadores” de voto, que carregam muitos outros via legenda. Um ponto positivo da proposta chamada “Eleições Limpas” está na proibição do financiamento de campanhas através de empresas. Limitado a R$700, somente pessoas físicas poderiam financiar campanhas; outros recursos só poderiam ser tomados do dinheiro público, através do já existente fundo partidário.

 

Voltando ao pronunciamento da presidente, digo que ela acertou em propor corajosamente a reforma e em convocar o povo. E você, o que acha?

 

por Celsão correto

link para a proposta “Eleições Limpas” – aqui. Site para coleta de assinaturas aqui.

link para o discurso da Dilma – aqui

Figura retirada daqui