Posts Tagged ‘Globo’

Post_02_Festa desdemocraciaNão sei como intitular o que está se passando…
Mas sei que a votação do impeachment será feita de forma declarada (cada deputado se dirigirá ao centro da casa e terá um tempo para explicar os porquês), iniciando-se as 14h de domingo.

Isso mesmo, DOMINGO. Num estabelecimento onde se trabalha normalmente três dias por semana, de terça a quinta.
Não haverá transmissão de partidas de futebol.
Aliás, sequer haverá partidas de futebol no dia mais tradicional para elas.
Mas, afinal, não é a Globo que manda (também) nos clubes de futebol e no calendário das confederações estaduais deste esporte?

Dizem que tampouco haverá Faustão. A rede televisiva “roubará” a melhor oportunidade de audiência que a TV Câmara terá nos últimos tempos.

E o que se espera de tudo isso?
Óbvio: que a votação chegue ao seu final ou ao menos já esteja definida no horário do Fantástico, a revista semanal do Brasil!
Parece piada, mas não é…

Estamos prestes a afastar uma presidente do poder. Uma presidente que teve (aceitando-se ou não) a maioria dos votos dos eleitores em pleito livre, há menos de dois anos.
E não há a seriedade que o ato de afastamento exige. Não há respeito!
Sequer respeito pelos que seguem contra o impeachment, por qualquer motivo que os leve a isso.
E se houverem confrontos na rua? Em frente ao Congresso em Brasília, na Avenida Paulista e em muitos outros lugares, haverá certamente populares pró- e contra-impeachment.

Ao invés da sociedade prestar um “luto democrático”, de conscientização de voto (imaginando que a esmagadora maioria dos votantes de Dilma tenha se arrependido do ato), teremos festas e celebrações.
(por falar em voto, não esqueçamos que, ainda neste ano, elegeremos representantes municipais, para os poderes Executivo e Legislativo)

Dentre as celebrações, haverá em São Paulo, em frente ao MASP, a apresentação do grupo “Carreta Furacão”, que tem os personagens Capitão América, Fofão, Mickey e Popeye como artistas (notícia aquilink alterado e funcionando).
De novo, não é piada!
O MBL (Movimento Brasil Livre) e seus apoiadores contratarão o grupo do interior de São Paulo para brindar (?), comemorar (?), achincalhar o momento, no melhor estilo “paulista golpista”.
Detalhe: o criador do personagem Fofão, Orival Pessini, é contra a utilização do personagem para esta festa de DESmocracia.

Mas não para por aí. A avacalhação segue…
O Partido Solidariedade, cujo líder é o deputado conhecido como Paulinho da Força, está organizando um bolão entre os deputados.
A meta é acertar o placar final da votação de domingo. E o prêmio vai somente para aquele que “cravar” o resultado. (notícia aqui)
Piada, ou palhaçada?
O Congresso não está preocupado com a repercussão desse fato, não está preocupado com sua própria imagem, nem com a governabilidade após o provável afastamento da presidente. Estão preocupados em qual deles acertará o número final do pleito.
É como se a instituição que melhor representa o povo (ao menos deveria), suas demandas e vontades, estivesse abandonado às chacotas!

Outra do Congresso: a ordem da declaração dos deputados.
Dizem que não seguirá critérios lógicos, como sorteio aleatório, ordem alfabética de nomes, de estados da federação ou ordem por partido (maiores bancadas iniciam, ou menor número de representantes primeiro)…
A ordem será definida pelo Sr. Eduardo Cunha e deve começar com representantes do Sul do país, em ordem “geográfica reversa”.
Como se entende e supõe que o Sul tem maior concentração de deputados contra o impeachment, é uma maneira clara de pressionar deputados que ainda não declararam seu voto e apoiadores. E também de reacender a estúpida disputa ou divisão observada logo após a reeleição de Dilma: Norte-Nordeste ignorante e Sul-Sudeste iluminado.
Como se já não bastasse a recente dicotomia que enfrentamos: direita = o bem, Deus; esquerda = o mau, Diabo, o PT.

Para completar a transmissão da Rede Globo no domingo, sugiro escalar o Galvão Bueno para narrar os votos entre 16h e 18h (com comentários de Casa Grande), Faustão assumir a programação na sequência, e William Bonner apresentar excepcionalmente o Fantástico. No final do programa, Pedro Bial pede que a Dilma renuncie, enquanto ouvimos ao fundo a música do Big Brother Brasil…

por Celsão revoltado

figura retirada de outro vídeo muito bom do pessoal da Porta dos Fundos (aqui). Afinal, nós aqui do blog também comemos caviar, defendemos bandidos e somos satanistas

Globo_MídiaDaqui de longe, não pude assistir ao vivo as entrevistas do Jornal Nacional com os presidenciáveis. Porém, num fim de tarde, assisti às 3 principais de uma vez só através da internet. O fiz na sequência: Aécio, Campos e Dilma.

Num primeiro momento, notei pouca discrepância na conduta das entrevistas, e pensei até estar havendo bastante imparcialidade por parte dos entrevistadores. Mas depois, revi alguns trechos das três, e já comecei a notar leves diferenças, nuances que exigem muita atenção para serem notadas.
Daí, para complementar, busquei artigos críticos, artigos estes escritos por especialistas no assunto, para tirar a dúvida se algumas mensagens escritas nas entrelinhas me passaram despercebidas. O resultado foi que sim, eu fui feito mais de bobo do que eu imaginava.

Quero abordar dois pontos específicos:
O primeiro é a conduta padrão dos entrevistadores em todas as entrevistas.
O Segundo é a diferença das entrevistas de Campos e Aécio, comparativamente com a entrevista da Presidente Dilma.

Conduta padrão das entrevistas

Os entrevistadores fazem perguntas já indicando qual a resposta correta, inserindo nas perguntas uma série de premissas nas quais querem nos fazer crer como verdades. Assim, o telespectador já é previamente induzido a pensar na solução para a pergunta, e aguarda que o entrevistado responda aquilo que espera. Caso isso não ocorra, o telespectador se frustrará e achará que o candidato está viajando na maionese, e portanto, está despreparado.
Não por coincidência, mas muito bem premeditado e em sintonia com o editorial e ideologias da emissora, essas premissas/preconceitos inseridos nas perguntas, levam normalmente a crer que ações neoliberais, pró-capitalismo, a favor das grandes empresas, contra os direitos trabalhistas, a favor da austeridade, a favor do capital estrangeiro, contra um Estado forte e protecionista, contra os avanços sociais, contra uma sociedade mais justa e igualitária, seriam as ações corretas para solucionar os problemas.

Exemplos:

1. Entrevista com Aécio Neves (Clique AQUI)

a) Na primeira pergunta de Bonner ele diz que, segundo economistas, para resolver os “problemas” da economia brasileira é necessário que o Governo realize um corte profundo de gastos, ou seja, assumir políticas de austeridade. E então pergunta a Aécio, se ele terá coragem de tomar tais medidas, ou não as tomará para não ser impopular.
-> Ora bolas, onde está a opção de resposta: “Bonner, discordo que austeridade seja necessária para resolver problemas econômicos!”?
Bonner assume que só há um jeito de resolver os problemas da economia: aplicando medidas de austeridade. Mas Paul Krugman, prêmio Nobel de economia em 2008, condena medidas de austeridade. Ignora que a austeridade em Portugal, Grécia e Espanha, está exterminando estes países. Cada vez mais economistas convergem nos malefícios de políticas de austeridade.

b) Bonner insiste na necessidade de redução de gastos públicos, no minuto 3:10.

c) Poeta começa aos 4:17 min sua pergunta sobre corrupção. Apesar da pergunta ser ao candidato do PSDB, ela cita diversas vezes o PT, para que o telespectador não se esqueça que o PT “também” tem casos de corrupção. E no fim, ela ajeita a bola novamente para Aécio chutar, ao pedir a ele que explique por que o PSDB é diferente do PT. Ele responde, obviamente, que a diferença é que o PT foi condenado pelo STF, e era justamente a resposta que o telespectador esperava. Pum! Imparciais…

d) Aos 10:55 min Poeta traz o tema Programas Sociais. Fala que Aécio promete manter os programas sociais criados pelo PT. E ao invés de concluir a pergunta de forma a exigir uma resposta nessa área, ela abre a oportunidade de Aécio desviar, quando ela diz “por que esses eleitores iriam querer mudar de presidente”?
-> Aécio aproveita a oportunidade e desvia, mudando de assunto e falando de economia e outras coisas, e não foca em Programas Sociais.

2. Entrevista com Eduardo Campos (Clique AQUI)

a) Na primeira pergunta de Patrícia Poeta, a qual começa aos 0:45 min, ela pontua ao candidato algumas propostas sociais do mesmo que gerariam aumentos de gastos públicos. Na sequência ela lembra ao candidato que ele promete baixar inflação. E então, de forma extremamente parcial e tendenciosa, ela diz que, segundo economistas, para baixar a inflação é necessário cortar gastos públicos, e não aumentar os mesmos (novamente fazendo o telespectador crer que somente políticas austeras podem salvar a economia). E pior, completa perguntando ao candidato, qual promessa ele não irá cumprir. Ou seja, ela conclui que, de um jeito ou de outro, ele estaria mentindo e enganando o eleitor!
-> Ora, a premissa é falsa, pois controle de inflação não é feito somente através da variável “controle de gastos públicos”.  A equação da inflação possui diversas variáveis, como por exemplo: taxa de juros, relação monetária para com o dólar, gastos públicos, especulação acionária, crescimento econômico, aumento do poder aquisitivo do cidadão, valor dos tributos sobre bens básicos (cesta básica), estímulos à produtividade, custos da produção, etc.
Portanto, Campos não precisaria necessariamente estar mentindo ou delirando, pois ambas as ações prometidas por ele podem sim serem feitas em paralelo.

b) Aos 4:10min Patrícia diz que o próximo ano será difícil, ajeitando a bola para Campos falar que sim, assim como este ano já está sendo difícil, por culpa do atual Governo.

c) Aos 8:11min Patrícia, de forma petulante e desrespeitosa, acusa Campos de ter colocado pessoas dentro do TSE para julgarem as contas dele mesmo, Campos.

3. Entrevista com Dilma Rousseff (Clique AQUI)

a) Na primeira pergunta, quilométrica (1:07 min), Bonner não só aponta que o Governo Dilma sofreu com diversos escândalos de corrupção, como faz questão de pontuar cada um deles. E depois provoca dizendo que parece que o PT descuida da questão ética e da corrupção.
-> Para o telespectador fica bem claro que o PT teve diversos escândalos de corrupção, pois é mais corrupto. Bonner ignora a intensificação da vigília à corrupção feita durante governo Dilma, e que isso gera, obviamente, a descoberta de esquemas ilícitos.

b) Nos 4:18 min, Bonner diz e insiste que as medidas de combate à corrupção foram tomadas depois dos escândalos, mesmo Dilma dizendo que isso não é verdade, que houveram medidas  tomadas antes.

c) Na série de perguntas de Patrícia Poeta sobre saúde, ela dá ênfase no fato do PT ter governado por 12 anos, e mesmo assim a saúde do Brasil estar um caos. O telespectador acredita assim que o PT nada fez pela saúde. Patrícia Poeta repete diversas vezes “12 anos de governo”, não dando outra chance ao telespectador, senão a de acreditar que 12 anos é uma eternidade e que o PT é incompetente. Não há diálogo. Os entrevistadores não estão interessados em falar da saúde do Brasil como um problema estrutural, carregado há décadas, séculos. Não faz comparações se houve melhorias ou não. A intenção é clara: culpar Dilma por termos um sistema de saúde problemático.

d) Nos 13:10, Bonner inicia sua pergunta sobre economia. Percebam nesta pergunta, as diversas entonações de Bonner: “Inflação NO TETO” bem prolongadamente, “economia com projeção de crescimento BAIXÍSSIMA”. Aos 13:55 min Bonner volta a mencionar que analistas (como se fosse um consenso) dizem que 2015 será um ano difícil, e aproveita para falar de cortes e sacrifícios, ou seja, voltou na austeridade. E conclui a pergunta, aos 14:07 min, ironizando a presidente por ela dizer que essas afirmações são “pessimismo”. Reparem, ainda no fim desta pergunta, como Bonner desafina a voz várias vezes, dando um tom de “obviedade” naquilo que se afirma, e ao mesmo tempo, um tom de deboche às afirmações da presidente.
Interrompe a presidente, em tom desafiador, aos 14:55 min, repetindo que a inflação está alta, e que há “ameaça de desemprego ali na frente”.

Especificidades da entrevista com a Presidente Dilma

No Jornalismo, existe uma técnica chamada de Semiótica, que consiste no trabalho e manejo da linguagem, gerando as assimilações desejadas (pelo jornalista) na mente do leitor ou telespectador.

Normalmente a semiótica passa despercebida ao consciente de um leigo, mas é assimilada pelo seu subconsciente. Assim, sem “deixar na cara”, o jornalismo ou marketing, é capaz de manipular a opinião das pessoas. Por isso é difícil notar a parcialidade dos entrevistadores e da emissora.
Propositalmente, o JN assume uma postura “agressiva” num geral, para causar a impressão de que todos os candidatos tiveram o mesmo tratamento. Mas se olharmos cuidadosamente aos detalhes, vemos que isso é uma máscara para a semiótica entrar como um vírus em nossas cabeças.

Vamos a alguns números:
1) Bonner faz uma pergunta de 1 minuto e 7 segundos à Dilma, disparada a pergunta mais longa de todas as entrevistas. Uma pergunta tão longa assim, carrega um monte de informação, dificultando a resposta eficiente e focada do entrevistado, e dá espaço para o entrevistador manipular a opinião do telespectador.

2) Nas entrevistas com Aécio e Campos, houveram 5 interrupções em cada uma delas. Na entrevista com Dilma, houve 21 interrupções. Pode-se argumentar aqui, que isso se deve à prolixidade de Dilma, no que concordo. Mas será que isso justifica as 21 interrupções, mais de 4x mais que as para com os outros candidatos?

3) Com Dilma, a palavra corrupção foi citada 13 vezes. Com Aécio surgiu 3 vezes, sendo 1 vez relacionada ao PT (ou seja, já na entrevista de Aécio, o PT já era atacado pelos âncoras). E com Campos, nenhuma vez.
Além disso, com Dilma, durante 7 minutos e 16 segundos, ou seja, metade da entrevista, o tema foi corrupção.
Se você acha que isso é justificável, pois compartilha da ideia de que o PT é  o partido mais corrupto do Brasil, clique AQUI, AQUI e AQUI para ver alguns rankings de corrupção.

4) Enquanto usaram metade da entrevista para tratar de corrupção, não foi feita à Dilma sequer uma única vez alguma pergunta sobre seus projetos, e o que ela pretende fazer para mudar e melhorar o País. Não estou falando aqui dos 1,5 minutos finais, fornecidos a todos entrevistados. Estou mencionando a janela da entrevista, com perguntas e respostas, onde para os outros candidatos, foram feitas perguntas onde lhes era pedido que explicassem como eles melhorariam o Brasil. Com Dilma, isso não existiu. Foi só acusação, artilharia.

Não pessoal, a Globo não foi imparcial, e não é digna de qualquer reconhecimento. Vocês foram enganados cheirando uma rosa linda, porém com polens venenosos.

por Miguelito Formador

@ Acesse AQUI o artigo do Celsão sobre as entrevistas, com uma visão um pouco diferente da minha.
@ E para ler duas análises excelentes sobre o mesmo assunto, clique AQUI e AQUI.

figura daqui 

posts entrevistas - jn606Assisti às quatro entrevistas dos presidenciáveis mais bem colocados nas pesquisas feitas pelo Jornal Nacional, da rede Globo e devo confessar, primeiramente, que me surpreendi com o resultado, sobretudo na primeira.
Julguei, ou melhor, pré-julguei que a emissora entregaria seu apoio descarado a Aécio (ok, talvez a Eduardo Campos também) e perseguiria diretamente o PT.
Um parêntese importante: pra quem não sabe, existe um estudo sério, da UERJ, chamado manchetômetro, que mostra a veiculação de matérias positivas e negativas sobre os candidatos e partidos concorrentes à eleição atual desde o início deste ano (link aqui), nos jornais impressos de grande circulação e no televisivo Jornal Nacional, da Globo (levantamento específico do manchetômetro sobre o JN aqui); e a presidente Dilma lidera em notícias negativas no programa.
Enfim… a birra que a Globo tem com o PT já é antiga.

Pois bem, mal podia crer no que vi na primeira entrevista! Os apresentadores estavam sendo diretos, fazendo perguntas incômodas e “cutucando” feridas do PSDB.
Por exemplo, mesmo o senador Aécio Neves iniciando as entrevistas (definido em sorteio), foram feitas perguntas sobre o mensalão mineiro e o propinoduto do metrô, citando um dos apoiadores dele, Eduardo Azeredo, que ainda está presente nos palanques, e completando a informação que Azeredo só não foi julgado por haver renunciado. Perguntaram também sobre o favorecimento feito por ele, então governador de Minas Gerais, à própria família ao escolher um terreno do tio-avô para construir um aeroporto.
Meu lado desconfiado e “julgador” pensou: se a Globo está atacando assim o Aécio é sinal que deve apoiar o Campos…

Daí veio a entrevista com o pernambucano, um dia antes do trágico acidente, e o questionaram sobre as críticas recentes feitas ao PT, partido que apoiou e auxiliou no governo por sete anos. Além dessa, o candidato teve de se defender de acusações de nepotismo, quando apoiou a própria mãe numa campanha para a escolha à ministra do TCU (Tribunal de Contas da União), cargo que é vitalício. Assunto espinhoso e desconfortável, pra dizer o mínimo.
O Celso “julgador” se perguntou se seria possível ver a Globo apoiando o PT atualmente, e se viu imaginando um trabalho sério e imparcial da grande mídia.

Passados os dias de luto da perda de Campos, foi a vez da atual presidente. E não é que eu estava errado em minhas suposições e a Dilma (lógico) também “apanhou” de Bonner e Patrícia? Enfrentou perguntas sobre o Mensalão, colocações sobre as atitudes dos correlegionários ante as condenações, que trataram os ex-líderes (corruptos condenados, frisou várias vezes Bonner), como guerreiros injustiçados; e falou brevemente sobre a saúde no país e a desaceleração econômica.
Mais astuta, ou mais bem preparada (?), consumiu seu tempo evitando o embate, detalhando e valorizando as respostas. E por isso, provavelmente, foi mais interrompida e mais atacada.

Finalmente chegou a vez de Everaldo Pereira, o Pastor Everaldo, fechando o ciclo. Mais atabalhoado, confessou que pretende privatizar a Petrobrás, em busca de um Estado Mínimo. Mas…Estado Mínimo não é política neoliberal? E o senhor não esteve sempre atrelado às lideranças da Esquerda? – perguntou Bonner. O candidato do PSC ainda assumiu que não tem experiências anteriores, criticou o casamento gay, aborto e o tema das drogas…

Os âncoras do programa, nas quatro oportunidades, interromperam respostas evasivas e insistiram na obtenção de detalhes desejados por eles, quase num esquema CQC.

Mesmo um tanto incomum e não isentas de parcialidade, acredito que entrevistas e debates nesses moldes possam trazer mais luz aos eleitores que os horários políticos e os ataques diretos que não tardarão a acontecer.

Pra quem não viu ou quer rever, abaixo estão alguns links do site da emissora e do youtube…
– Aécio Neves – aqui, sem link da entrevista inteira no youtube
– Eduardo Campos – aqui e aqui
– Dilma Rousseff – aqui e aqui
– Pastor Everaldo – aqui e aqui (em qualidade bem ruim)

por Celsão correto

para ler um outro post, com a opinião do Miguelito, diferente dessa aqui apresentada, clique aqui

figura – montagem de outras retiradas daqui e daqui

rede-globo-e-do-demonioPois é, amigo!
A Globo fez de novo… Usou o poder que detém no Brasil para mudar o “rumo da prosa”, ajeitar as coisas e deixá-las num ponto de maior estardalhaço e, seguramente, lucrar com isso.

Fizeram isso na Copa das Confederações; exageraram os atrasos dos estádios ainda em construção, as manifestações, as (falsas) desordens na compra de ingresso. Enalteceram a seleção e a conquista, enalteceram técnico, comissão e jogadores e escolheram um herói!

Veio a Copa e a receita seguiu: exageros e demonstrações de poder, transmissões ao vivo da concentração, Jornal Nacional com Granja Comary ao fundo, entrevistas com jogadores em quase todos os programas da emissora.

Mas… como nem só de flores vive a TV brasileira, talvez em busca de um culpado (post nosso sobre isso aqui), a Globo decidiu “fritar” o Felipão, praticamente pedindo sua cabeça ao vivo. Dizem, inclusive, que o técnico soube pela notícia dada na emissora, sobre sua demissão. Nenhuma ligação prévia, nenhum aviso anterior…

Pois bem, a Globo falou bem do Neymar, garoto de ouro do canal e de quem se espera lucrar bastante (pois seguirá aparecendo na programação em entrevistas exclusivas); mas criticou a forma de trabalhar e a tática da seleção, relacionando a derrota diretamente ao comandante e à sua comissão.
E aí, as entrevistas em que o técnico e comissão se explicavam, mas não diziam que deixavam (ou deixariam) os cargos após o torneio ficaram sem sentido, cômicas até. Certamente foram surpreendidos por uma decisão inesperada da “opinião pública” chamada Rede Globo.

Já não bastasse FIFA com seus escândalos e CBF com seus desmandos… aguentar a Globo se intrometendo no futebol e definindo as diretrizes do esporte no país é demais! Se foi por vingança em relação a 2002, quando o apresentador não teve as “brechas” ou sofreu com a “linha dura” do treinador, difícil saber. O fato é que, sem o apoio da emissora e, num ambiente como a CBF, o pré-requisito é ser político e não bom em futebol.

Aproveito pra lembrar que é um ano de eleição. E que manipulação da mídia não combina com democracia.
Sem contar que a Olimpíada no Rio vem aí… Haja coração! – como diria Galvão.

por Celsão correto.

figura – daqui.

P.S.: 1) pra quem quiser ler o que saiu no blog do Juca, com o tal vídeo-crítica do Galvão Bueno, segue link do Conversa Afiada – aqui
2)
deixo também como sugestão de leitura um conto-entrevista engraçadíssimo sobre a manipulação da Globo na Copa, com o Roberto Marinho – aqui

Deparei-me, enquanto navegava pela internet, com o seguinte vídeo: Clique AQUI ou AQUI

Uma pessoa desatenta ao assistí-lo pensará: Nossa, a criminalidade não tem limites mesmo.

Bom, é justamente o que a Rede Globo quer que você pense. Como sempre digo (e estou só repetindo especialistas): A grande mídia visa gerar o medo, insegurança, pânico e ódio, pois um povo com medo e ódio, é mais fácil de se manipular… exemplos de estudos teóricos e resultados práticos dessa ideia não faltam, mas vou só mencionar uma pessoa que sabia disso perfeitamente: “Hitler”, ou melhor, Joseph Goebbels, o chefe de propaganda e marketing do Nazismo na época.

Gente, vamos a alguns detalhes deste vídeo:

  1. O infrator iria escolher alguém que está sendo entrevistado na TV, com o risco de ser filmado? E pior, um microfone da Globo, que 90% dos brasileiros conhecem. Por mais sem cultura, sem educação formal e tudo mais que ele fosse, acho que são raros os casos de tamanha imbecilidade. Eles existem, mas são raros.
    PRIMEIRA COINCIDÊNCIA.
  2. O repórter estava no momento provocando a mulher, falando do cordão dela, e de repente vem o moleque, e boom! Porque o repórter não estava falando do tempo, da economia, do lazer? Estava falando do cordão da mulher. Será que foi coincidência, ou ele já estava tentando voltar a atenção do telespectador para o cordão da mulher e para a violência do Brasil?
    SEGUNDA COINCIDÊNCIA.
  3. Segundo a legislação voltada para menores de idade, a imagem destes deve ser protegida. Portanto, parece que a Globo coloca a tarja por se tratar de um menor. Mas, a própria reportagem diz claramente que a polícia chegou atrasada ao local, o que dá a entender que não foi possível capturar o infrator, e portanto, não é possível identificar se ele é menor ou não. Então por que a tarja? Parece estar clara a intenção da reportagem de abordar, além da criminalidade, a redução da maioridade penal.
    Isso, fica ainda mais claro ao assistir a reportagem completa (AQUI). Dá-se ênfase diversas vezes ao “fato” (contestável) de que a maioria dos infratores são menores de idade. Por isso a tentativa sensacionalista de comprovar essa argumentação, colocando tarjas em todos os infratores.
    TERCEIRA COINCIDÊNCIA.
    Aqui abro aspas para uma observação, algo que achei bem estranho: percebam que na primeira cena do delito, o rosto do infrator ainda não possui a tarja. Ele corre, e continua sem a tarja. Quando o replay acontece, é a primeira vez que a tarja aparece. Por que? Erro de gravação/edição? Um erro tanto quanto estranho, principalmente ao se tratar da maior mídia do Brasil.
  4. Esse cameraman deveria estar filmando cenas do The Flash, sem precisar de edições posteriormente. Vejam como ele está com foco na mulher, daí o moleque passa correndo, repentinamente e sem dar aviso prévio, e neste exato momento, o cameraman começa a filmar o infrator, sem nunca perder o foco do mesmo, em alta velocidade e perfeição de movimento. Incrível isso não? Parece até que ele estava preparado e posicionado para tal cena.
    QUARTA COINCIDÊNCIA.

Eu aprendi estudando segurança de trabalho que, quando temos 2 coincidências ou mais, já estamos normalmente a falar de sabotagem, ou então, de um caso raro, com probabilidades tão baixas quanto um gato pôr ovo, ou eu estar andando pela rua e um meteorito do tamanho de uma bola de gude cair na minha cabeça, matando somente a mim.

Para mim está claro. Armação das mais tenebrosas da Globo, se equiparando ao nível da revista Veja. Apelação sensacionalista forte, e desrespeitando o juramento de ética do jornalismo.
Cena no estilo de novelas mexicanas…..

Sim gente, o Brasil é violento, e ninguém tem dúvida disso. A questão é: Quão violento, quão perigoso? É tão perigoso quanto nossa impressão? Ou nossa impressão é o resultado do real perigo + o sensacionalismo da mídia a nos ludibriar, fazendo com que o problema pareça ainda maior do que já é?

por Miguelito Formador

figura_post Há algum tempo estão sendo veiculadas na mídia, notícias de rebeliões e assassinatos no presídio de Pedrinhas, estado do Maranhão.

Tais notícias, assustadoras por sinal, expõem três problemas interessantes de uma só vez:

 1) o descaso ao sistema prisional ou penitenciário no Brasil

 2) as mazelas do governo coronelista do Maranhão

 3) a abordagem distorcida da mídia, manipulando as notícias e ocultando detalhes importantes

 

Sobre o primeiro ponto, que sequer é o foco deste post, é incrível como o Estado isola os presos “num mundo a parte” e quer simplesmente esquecer-se deles. Creem que por mágica, todos se recuperarão, se arrependerão e voltarão à sociedade por si só para trabalhar e pagar impostos.

Sem me aprofundar muito, ficou latente pra mim a já divulgada “equalização” dos presos. Não importa se o crime foi roubo a banco, sequestro ou furto de pães para comer; ao entrar na cadeia superlotada o detento se envolve com outros e tem de se alistar em uma facção criminosa sob pena de morte. Começa aí um novo “estágio” para o preso chamado “recuperável”, ou o popular “ladrão de galinhas”; a universidade de bandidos, como tantos pregam.

São as guerras entre facções do crime organizado que dão o tom nessas últimas rebeliões em Pedrinhas. Busca-se o poder não só interno, no presídio, mas da distribuição de droga fora dali.

Quanto à “Fazenda Maranhão”, propriedade da família Sarney há algumas décadas, me revoltam as ações, ou falta delas, por parte do “senhorio”.

Enquanto a oligarquia Sarney segue encomendando toneladas de camarão, caviar, lagosta e vinho importado para o Palácio dos Leões, aparecem na TV apenas o secretário de Segurança e alguns chefes do Judiciário.

Pois é, enquanto uns sofriam com a violência desenfreada e com atentados a ônibus, delegacias e postos policiais; outros orçavam mais de um milhão de reais para rechear a despensa.

Li na mesma semana uma opinião que classificava como absurdas as críticas à lista de encomendas da governadora maranhense; afinal, um estado no Nordeste brasileiro consome geralmente frutos do mar e, por ser residência oficial e contar com muitos visitantes e compromissos, duas toneladas de camarão não eram, de modo algum, exagero.

Respondo a este comentário com a direta acusação de descaso, ou melhor, de abissal diferença entre os governantes e o povo daquele estado. Um estado, diga-se a verdade, que detém os mais vergonhosos índices de educação, saúde e bem estar social: maior analfabetismo, pior IDH e a segunda pior mortalidade infantil do Brasil.

Se foi apenas coincidência, o fato é que foi infeliz e teria “queimado o filme” da Dona Roseane se não fosse o terceiro fato levantado no início deste post: a manipulação da mídia!

 

É incrível como sempre volta a ocorrer. Já apontamos alguns desses “equívocos”, como omissão de nomes ou troca proposital de partidos aqui, aqui e aqui. Mas é rara a correlação entre as rebeliões no Maranhão e a família Sarney.

E não é por acaso. A família Sarney é dona de boa parte da mídia Maranhense (pra não dizer toda); sendo inclusive dona da afiliada Rede Globo por lá.

Em todas as reportagens que vi, são outros que aparecem falando sobre o problema: assistentes carcerários, representantes da Polícia, família das vítimas e, quando muito, o secretário estadual de Segurança.

Não digo que não seja a função destes; mas a Dona Roseane poderia numa só “cajadada”, mostrar-se ciente do problema, acessível à população que a tem como sua representante maior e explicar os gastos gastronômicos ocorridos que ocorreriam na mesma semana.

Citando um exemplo: o Fantástico do último domingo mostrou os “absurdos” da cadeia de pedrinhas, como telefonemas gravados, ordens partindo do presídio para os ataques incendiários a ônibus, as vítimas, uma pequena estória de rebeliões naquele local, a obrigatoriedade que os detentos têm de escolher a facção que fará parte ao entrar no presídio, etc. Mas nenhuma vez mencionou o nome da governadora Roseane. O mais próximo que “chegou” foi a imagem desfocada de um quadro presente no fundo da sala do secretário de segurança, durante a entrevista. (imagem essa que usei como figura para esse post)

 

por Celsão Correto

link para um vídeo excelente do Bob Fernandes, com suas opiniões contundentes sobre Política, abordando o Maranhão como foco: aqui

Para quem quiser, segue o link do vídeo/reportagem do Fantástico, do qual tirei a figura – aqui.

Lixo_GloboTóxico

Lixo_GloboTóxico

No dia 31.08.2013 o jornal O Globo emitiu uma nota confessando ter apoiado o golpe de 64 e a ditadura militar. Nesta nota, ainda dizem ter sido este apoio, um erro. Para ler, clique AQUI.
“””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””
Que as Organizações Globo apoiaram o Golpe de 64 e todo o período da ditadura militar, não é novidade para nenhuma mente de esquerda. Existe farta documentação, artigos, livros, documentários, depoimentos de políticos colossais, e muito mais, que fazem disso um fato conhecido há décadas.  Então, se já era conhecido, o que muda?

Bom, muda que aqueles mais posicionados à direita, de mentes menos rebeldes, mais acomodados e mais passivos, assim como a maior parte da classe média, agora não poderá mais argumentar que isso é tudo “intriga da oposição”, que isso é agitação dos comunistas, que não existem provas. Agora, não há mais desculpas. O tempo onde os reacionários se negavam a acreditar nas inúmeras provas de que a mídia brasileira é extremamente corrompida, e pior, é golpista, acabou. Agora 100% do povo brasileiro sabe que, mais uma vez, os intelectuais de esquerda estavam certos, tentando revelar verdades ao povo brasileiro, verdades essas que sempre são ocultadas de bom gosto pela elite conservadora, escravagista, das capitanias hereditárias, dos senhores de engenho, que perduram até hoje em nossa sociedade.

Porém, apesar do “pequeno” impacto positivo deste editorial, devemos destacar suas características, sua forma, forma essa que acompanha este Jornal desde sempre. Estou falando da falta de humildade e da constante auto-bajulação.
Sim, o Jornal lança uma nota de confissão de erro, mas essa confissão dura algumas poucas linhas. Daí para frente, é uma chuva de auto-elogios e tentativas desenfreadas de “justificar-se”. Ora, sabemos que pedidos de desculpas sinceros, não podem vir acompanhados de mil e uma “desculpinhas”. Justificar-se, é diferente de pedir perdão. Justificar é uma forma de explicar que você não teve culpa, pois houve fatores externos que lhe impossibilitaram de agir de forma diferente.

Além dos confetes atirados a si mesmos, ainda há, como sempre, dosagens de hipocrisia e ludíbrio. Vejamos os seguintes pontos:
1) A nota diz que Roberto Marinho sempre esteve ao lado da legalidade. É legal apoiar um golpe ditatorial e mentir para toda a Nação? Ainda continua sendo legal fazer fortunas devido a este apoio (a nota de arrependimento vai fazer a Globo perder toda a grana que ganhou com as facilidades de 21 anos de Período Militar?)? E os 600 milhões de reais que a Rede Globo sonegou, também é legal? E a servidora da PF que misteriosamente ROUBOU este processo de sonegação da Globo, mas acabou aparecendo nos vídeos das câmeras de segurança da PF? Tudo isso é legal? Isso só para mencionar alguns episódios, pois casos de ilegalidade, falta de ética e respeito com a população, temos às centenas, e alguns deles já foram mencionados em posts deste blog.
2) A nota diz que Roberto Marinho defendia seus funcionários comunistas. Será que a Globo tinha algum funcionário comunista de verdade? Essa é a primeira pergunta. E se tinha, será que ele era possibilitado de expor 100% de suas opiniões e ideias? E mesmo que isso tudo seja satisfeito, o que acho difícil, então quer dizer que, ao defender sua meia dúzia de funcionários comunistas, isso paga sua culpa por ter colaborado para que outros milhares de comunistas tenham sido presos, torturados e mortos?
3) Ainda na nota, é mencionado o fato de que havia um segundo movimento com intenções de realizar um golpe. Esse movimento era o movimento de esquerda, comunista, liderado por Jango. Ora bolas, mas Jango era o Presidente da República, por que haveria ele de querer dar um golpe de Estado? E se havia intenção de algum tipo de Golpe por Jango, por que então este sequer resistiu ao golpe militar da direita? Quando anunciado o golpe, Jango saiu do Brasil se refugiando em Montevidéu, capital do Uruguai. Ou seja, falar de intenções de golpe de Jango é quase um delírio, uma tentativa desesperada de conseguir justificar um erro. É confessar ter mentido, justificando com outra mentira. Isso é Lamentável!

Em tempo: Aqui desvio do assunto para lembrar que Jango foi incentivado por várias pessoas próximas em seu governo a resistir ao golpe, inclusive por Leonel Brizola, porém Jango optou pelo não derramamento de sangue, se refugiando. Esse é o homem que tacou medo na Globo?… sei!
Em tempo 2: Vale lembrar os seguintes dados do IBOPE da época:
a) 69% dos entrevistados avaliavam o governo Jango como ótimo (15%), bom (30%) e regular (24%). Apenas 15% o consideravam ruim ou péssimo, fazendo eco
dos jornais.
b) 49,8% cogitavam votar em Jango, caso ele se candidatasse à reeleição, em 1965 (seu mandato expirava em janeiro de 1966); 41,8% rejeitavam essa opção.
c) 59% apoiavam as medidas anunciadas pelo Presidente na famosa sexta-feira, 13 de março.” (Trecho retirado do artigo da Carta Maior sobre o editorial da Globo. Para acessá-lo, clique AQUI. <<LEITURA INDISPENSÁVEL>>)

No artigo da Carta Maior, ainda é dito o seguinte:
O que existe é sim uma história de campanhas e perseguições movidas pelas Organizações Globo contra projetos, direitos, governos, lideranças e partidos, promovidos até hoje. Não se trata de um editorial isolado, como tenta edulcorar a nota deste sábado. Ou terá sido coincidência que, em 24 de agosto de 1954, consternado com a notícia do suicídio de Vargas, o povo carioca perseguiu e escorraçou porta-vozes da oposição virulenta ao Presidente; cercou e depredou a sede da rádio Globo, que saiu do ar?
“”””””””””””””””””””
“Aquela que em 54 matou Getúlio.
Em 1964, negou à sociedade a competência para decidir o seu destino.
Em 2002 fez terrorismo contra Lula.
Em 2005 tentou derrubá-lo e impedir a sua reeleição em 2006.
E assim se sucede desde 2010, contra Dilma.

E eu acrescento mais uma: Em 1989 fez de Fernando Collor vitorioso, frente a Lula. E quando já não mais era interessante seu governo, jogou o povo contra o mesmo, quando da ocorrência do Impeachment  em 1992.

O editorial de O Globo ainda menciona outros jornais também envolvidos no Golpe de 64, entre eles estão a Folha de São Paulo e o Estado de São Paulo. Que novidade……
A Revista Veja não foi mencionada, pois foi fundada em 1968, senão, estaria na lista certamente, afinal, segue a mesma linha ideológica desses outros três, para não dizer pior.

A confissão da Globo também deixa bem mais clara a proximidade de relacionamento da mídia brasileira com os governos norte-americanos. Existem diversos documentos revelados pelo Wikileaks, entre eles notas e comunicados da embaixada americana no Brasil, que provam como os EUA estavam diretamente ligados ao golpe de 64 e com a permanência da ditadura. Estes documentos também mostram como todos estavam conectados, EUA, governo militar, Grande Mídia brasileira, numa relação de compadres, comadres e afilhados. (Mais sobre a nota de O Globo e sobre a conexão entre EUA e mídia brasileira, assim como sua oposição a partidos que priorizam o povo, AQUI)

Eles (Organizações Globo) não são bobos. Eles sabem que aqueles que os criticam e fazem oposição à sua hegemonia, continuarão a fazer. Porém também sabem que com essa nota, uma boa parcela da população vai cair neste papinho, e vai condecorar as organizações Globo pela humildade de ter se arrependido. Como diz o ditado: Eles não são amadores para “dar ponto sem nó”. Se o fossem, não estariam aí, dominando o mercado midiático a mais de 50 anos.

por Miguelito Formador

Figura aqui

Democratizar a mídia

Democratizar a mídia

Hoje pela manhã, um dia após o dia em que os movimentos sociais se reuniram por todo Brasil para fazerem seus protestos – 11-07.2013, dei uma “rolada” no meu facebook e vi por volta de umas 70 últimas publicações. Somente 1 falava algo dos protestos de ontem (tirando os tantos jornais, revistas e blogs que eu “curto”, pois estes sim publicaram bastante sobre ontem). Inclusive estes mesmos blogs e jornais fazem as mesmas indagações que eu venho aqui fazer.

Por que o silêncio? Por que ninguém fala nada? O movimento ontem foi pequeno?
Comparado com o dia onde mais de 1 milhão foi para as ruas, foi sim. Mas foi maior que muitos outros dias de protesto, e mesmo assim muito menos divulgado. Por quê?
Por que as singelas reportagens que saíram em todos os grandes jornais e revistas do Brasil ontem, só deram ênfase nos TRANSTORNOS causados pelos protestos de ontem? Por que nenhum deles deu ênfase nas CAUSAS do protesto?
Você, usuários do facebook, viram por lá reportagens da Globo ou bombardeios de fotos/”montagens” mostrando os cartazes presentes nos protestos de ontem? O que tinha escrito nos cartazes dos manifestantes de ontem? O que gritavam os manifestantes? O que pediam? Interessa isso? Ninguém tem curiosidade????
Os manifestantes de ontem, que foram em usa maioria movimentos sociais, centrais sindicais, motoboys, integrantes do Movimento dos Sem Terra – MST, e os trabalhadores proletariados, movimentos que já protestam desde o início de sua existência, não tiveram a atenção do POVO brasileiro, aquele povo que vaia a presidente da república, Dilma Rousseff, no estádio, aquele povo que pede participação política ativa do povo, mas depois se posiciona contra o plebiscito (oi???). Por que não tiveram tanta atenção deste “povo”? Os movimentos sociais são menos importantes que os movimentos dos estudantes classe média? Será que as causas daqueles são menos justas que as destes? Quem será que tem mais consciência política? Quem será que tem posicionamentos críticos melhor estruturados, pensados, definidos com muito suor, muito debate e muita luta em busca de mais justiça e direitos?
As respostas para quase tudo isso devem estar relacionadas com “quem” foi o foco dos “ataques” de ontem, né? Ou estou viajando?
Mas quem foi o foco dos protestos de ontem?
1) A grande mídia! Principalmente a Rede Globo!
2) Juízes do Supremo!
3) Grandes empresários e bancários! Publicitários e marqueteiros que viabilizam a corrupção política! As grandes indústrias do Agronegócio!
4) Coronéis da política como Sarney, Calheiros, Collor (todos estes donos de meios de comunicação de peso, mesmo isso sendo proibido pela constituição)!
5) Aqueles políticos e a parcela da população brasileira que é contra o plebiscito, que é contra a participação do povo na política.
6) A classe média que se deixa ser conduzida pela mídia, e ainda canta de inteligente, mais estudada, mais preparada!
Será que é por isso que tudo aconteceu num silêncio ensurdecedor!!?!?
obs.: Por favor, não venha argumentar que saíram sim reportagens, até mesmo ao vivo, sobre ontem. Claro que saiu! Mas estou falando de “ênfase” e de “intensidade”! Em outros momentos dos protestos, foi dada muito mais atenção e cobertura, e, se comparado com estes momentos, ontem foi um silêncio. Além do silêncio, levanto aqui a crítica sobre “o que foi mostrado”. Não mostraram as causas, os objetivos, mostraram somente os transtornos oriundos dos protestos, ou seja, novamente, os que estavam nas ruas ontem, eram somente vândalos que estão a incomodar a livre circulação de gente do bem!!!!
por Miguelito Nervoltado
Mais fontes sobre o assunto? Clique AQUI, ou AQUI.
Figura retirado do Site

E não é que o caso das adoções de Monte Santo voltou às telas nacionais nesse domingo?

Num post recente, escrevemos sobre o caso e a falta de fundamento da Globo ao expor o caso. Manipulação tendenciosa da opinião pública para angariar audiência. Não só para o programa dominical, que apresentou uma série de reportagens sobre o tema entre Outubro e Novembro de 2012; mas também para a novela principal da emissora, que falaria sobre o tema.

“Coincidentemente”, a novela estreou oito dias após a primeira reportagem da série, um dia após a segunda…

Num debate em que sequer o nome do pai biológico das crianças é um consenso (alguns escreveram Jerôncio e outros Gerôncio) é realmente difícil “escolher um lado” na discussão. Porém, alguns fatos interessantes merecem ser levantados aqui:

– o vídeo do youtube onde a mãe “afetiva” (ou adotiva) de duas das crianças foi tirado “pelo usuário”;

– outros veículos se interessaram pela estória e foram até Monte Santo (como o SBT), sinal que havia mais para ser explorado;

– o portal “alternativo” de notícias GGN (poderia aqui colocar também como adjetivos independente ou não-comercial) não só questionou a rede Globo sobre a notícia, como publicou as respostas com ressalvas e observações.

– A Globo usou boa parte do tempo da notícia no domingo para comentar a ida de uma das mães adotivas à internet.

Enfim, tirem suas próprias conclusões. Seguem alguns links:

Fantástico – http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2013/05/juiz-que-anulou-sentenca-de-adocao-irregular-na-bahia-e-afastado.html

Correlação entre a reportagem e a novela “Salve Jorge” – http://www.jornalggn.com.br/blog/salve-jorge-e-as-criancas-de-monte-santo

Resposta da Rede Globo à GGN – http://www.jornalggn.com.br/blog/a-resposta-da-globo-ao-ggn

Série de reportagens que visa esclarecer os fatos – primeira de 06/05/2013 – http://www.jornalggn.com.br/blog/a-mae-afetiva-que-foi-transformada-em-traficante-de-criancas

por Celsão Correto

Todos devem se lembrar de uma sequência de reportagens da Globo, onde eles “investigavam” o caso de 5 crianças de uma  família pobre da cidade de Monte Santo – Bahia, que teriam sido retiradas de seus pais por ordem judicial, para então, serem entregues para doação a 5 famílias ricas de São Paulo, numa forma de tráfico ilegal de crianças. (*)

Eu estava no Brasil nesta época, e acompanhei essas reportagens. Confesso que, eu mesmo fiquei comovido com a estória, e achei um absurdo.

Porém ontem, tive contato com a outra versão. Assisti a uma reportagem (**) com a mãe adotiva de uma das crianças  Ela conta como a história foi totalmente distorcida. A guarda das crianças havia sido sim retirada dos pais, mas com todo o embasamento legal, pois esses não tinham a menor condição de tratar das mesmas. Algumas das crianças estariam inclusive extremamente doentes e correndo risco de vida.
Essa mãe ainda diz que a Globo a colocou como uma sequestradora, sendo que ela teria participado de um processo legal de adoção de crianças, e aceitou ainda por cima, adotar uma criança doente, para assim ter o seu ato de adoção ainda mais válido, pois estaria ajudando uma criança realmente necessitada.
Essa mulher estaria agora, lutando com todas suas forças para mostrar como a Globo é maquiavélica, capaz inclusive de criar estórias e situações  para poderem vender notícia e reality shows, doa a quem doer, não se importando nem um pouco com a vida dos indivíduos envolvidos nessas estórias.

Não tenho dados suficientes para chegar a uma conclusão definitiva. Mas se for para eu dar minha opinião, tratando-se de Globo, e vendo os argumentos da mãe adotiva, e vendo o estado no qual ela deu a entrevista, dá para se deduzir quem é o real vilão.
Além disso, a mãe mostra vídeos dela tentando conversar com o repórter da Globo que fez a reportagem, e o repórter lhe dá as costas  e sai andando (fugindo), evitando o diálogo. Dessa forma, tendo a acreditar fortemente, que estamos diante de uma fábula criada pela Globo, envolvendo os mais profundos sentimentos de diversos cidadãos,  só para poderem mexer com a emoção de seus fiéis espectadores, proporcionando, assim, aumento de audiência. Se for isso mesmo, temos aí um exemplo de maldade e perversão do mais alto nível!

Cuidado pessoal, a mídia brasileira causa danos irreversíveis aos nossos cérebros.

(*) http://www.youtube.com/watch?v=MPu9j7SHG1I   – Reportagem da Globo

(**) http://www.youtube.com/watch?v=9JRbwXHigAs&feature=youtu.be   (depoimento da mãe adotiva em entrevista ao Jornal GGN)

por Miguelito Formador