Posts Tagged ‘Maioridade Penal’

Eduardo_Cunha_Votacao_MaioridadeRecentemente, pela primeira vez de forma tão escancarada na história do Congresso, houve duas votações consecutivas para um mesmo projeto.
Uma “democracia autocrata”, pelo visto.

Num dia, a redução da maioridade penal é rejeitada. No outro, o presidente da câmara resolve, por livre e espontâneo autoritarismo, mexer num detalhezinho do projeto e colocá-lo em votação de novo. Se perdesse, provavelmente teria outra votação no dia seguinte, e assim consecutivamente, até que fosse aprovado.
Essa manobra foi criticado por quase todos os órgãos e entidades da justiça, incluindo OAB, AMB, e ministros “conservadores” do STF, como Joaquim Barbosa e Marco Aurélio Mello.

Nestas 24 horas, certamente, rolou um suborninho ali, outro aqui, dinheiro fácil na mão de um e de outro (corrupção), trocas de promessas, e coisa e tal, para fazer com que alguns deputados, em 24 horas, mudassem de opinião. Outro fator que contribuiu para a mudança repentina dos votos de alguns deputados foi a pressão, as ofensas e ameaças que sofreram vindas de seus eleitores, que se indignaram ao saber que o “deputado deles” votou contra a redução da maioridade penal, fazendo com que eles mudassem o voto no dia seguinte. (Mencionamos este episódio em outro post nosso AQUI)

Mas, você conservador e/ou mal informado que não conhece os dados da violência no Brasil (sobre a violência no Brasil, clique AQUI), muito menos se importa com a posição da ONU, UNICEF, OAB, AMB, Anistia Internacional, STF, e tantos outros órgãos sobre o assunto, tá dando a mínima para a corrupção nessas horas, pois o seu objetivo maior está mais perto de ser real: colocar o moleque na cadeia junto com os doutores do crime, para sofrer! O seu gosto por vingança está milhares de vezes acima na escala de prioridade, que o seu repúdio por corrupção. (Para entender melhor alguns dados e fatos sobre maioridade penal no Brasil e no mundo, leia nosso post AQUI)

Tomei conhecimento de uma votação feita numa TV de Ubá, perguntando se os ouvintes eram a favor da redução. Dos 64 votantes, TODOS eles disseram SIM. Ou seja, estão felizes com a vitória de Eduardo Cunha e devem até alimentar simpatia por ele, o homem que manda atualmente no Brasil.

Aí tem gente que se espanta com o Congresso. Se dizem espantados com tanta corrupção, e dizem hipocritamente que o problema não é com o PT, mas a corrupção num geral, sei… Se espantam em como um homem, envolvido em 11 de cada 10 grandes esquemas de corrupção, um fanático religioso, intolerante, que luta contra toda e qualquer causa progressista, só propõe projetos a favor de empresas e ricos e contra os pobres, gays, negros, mulheres, e minorias num geral; chega a ser Presidente da Câmara.

Não se espantem, pessoal. Eduardo Cunha, e os outros mais de 300 deputados conservadores e esdrúxulos que sentam na Câmara, foram sim, eleitos POR VOCÊS! Os mesmos que votam SIM em enquetes sobre a redução da maioridade penal. Os mesmos que votam NÃO em enquetes sobre o casamento igualitário/homoafetivo. Votam SIM pelo legalização do porte de armas. Votam NÃO para enviar nota de repúdio aos EUA devido à espionagem. Votam NÃO ao decidir se os recursos do pré-sal devem ir integralmente para a educação.

E parem de brandar por “eles não me representam”. Sim, eles representam sim, e estão sincronizados com mais da metade da população brasileira. Vocês votaram neles, pois eles representam suas ideias, seus anseios, seu egoísmo. A diferença destes deputados, e seus eleitores, é que os deputados têm o poder de influenciarem e “fod..” nossas vidas.

Em paralelo a isso, na surdina, o Senado votou reajuste dos salários de servidores do judiciário, no valor médio de 59,5% o que representará um impacto de 25,7 bilhões de reais em nossa economia. Sabem quem foi contra o reajuste, mas acabou perdendo? O PT….. As notícias dizem (vitória do Senado representa derrota para o Governo!). Para o Governo??? Ou para os cofres públicos e para o povo pobre e oprimido?
(obs.: não que eu seja explicitamente contra o aumento salarial dos servidores do judiciário. Mas o Governo está cortando gastos para reestruturar a economia, desemprego aumentando em consequência disso, salários congelados e uma série de outros efeitos colaterais. Daí, neste momento de “limpeza”, aprova-se aumento de R$ 26 bilhões nos gastos públicos, com aumento salarial para gente que já ganha, num geral, mais de 7 mil reais, incluindo aí juízes que já ganham salários altíssimos?)

Mas eu sei, já já vocês estão nas ruas de novo, pedindo o impeachment da Dilma e fora PT.

* Sobre a dupla votação da redução da maioridade penal, AQUI
* OAB diz que Cunha rasgou a Constituição. AQUI
* Veja como votou cada Deputado. AQUI

* Conheça os deputados que mudaram seus votos. AQUI
* Sobre o reajuste salarial do judiciário, aprovado pelo Senado, clique AQUI

por Miguelito Nervoltado

figura daqui

Minha amiga e nossa leitora, Jéssica Pereira, escreveu um texto brilhante. Apesar de muito crítico, o texto consegue ser suave e capaz de nos tocar no cerne dos sentimentos: a alma.

Reproduzimos então o texto aqui na íntegra:

por Miguelito Filosófico

figura daqui


por Jéssica Pereira

Meritocracia_CriancaVocê nasceu, cresceu, seus pais trabalharam, você estudou, e hoje tem um emprego.

Espero que este emprego lhe pague mais que um salário mínimo, talvez três, ou quatro, e que além de pagar o aluguel, você possa pagar um jantar pra sua namorada.

Espero que sua namorada tenha um emprego.
E que vocês juntos decidam se casar.

Espero que vocês se casem. E com o suor que cai em vossos rostos, consigam se livrar do aluguel.

Espero que ao comprar uma casa, vocês tenham filhos. E que juntando os salários que você e sua esposa ganham, vocês sejam capazes de incluir seus filhos no plano de saúde. O inverno chegou e as crianças ficam doentes com mais facilidade. E nós sabemos que o SUS não presta.

Espero que seus filhos cresçam com saúde e entrem na escola. Mas que seus salários sejam suficientes para pagar uma escola e dar educação de qualidade, porque o ensino público não presta.

Espero que seu filho se forme e ingresse na universidade. Mas numa universidade privada, porque o ensino básico público não presta e não sei o que lhe faz pensar que a faculdade pública é diferente.

Espero que seu filho deixe a vaga da faculdade pública pra mim, porque meu pai é pedreiro no interior, e ganharia só um salário se não me deixasse sozinha o dia inteiro pra colocar comida na mesa da nossa casa. Eu sou uma criança e não posso trabalhar, é crime.

Espero encontrar alguém que me dê amor em qualquer esquina, porque discurso de ódio eu escuto sair da televisão. Tô crescendo “abandonada”. Meus pais me deixam sozinha, porque precisam me sustentar. Mas sou criança, e choro quando vejo mães com seus filhos de mãos dadas, enquanto a minha corta o cabelo da madame do bairro nobre.

Passei o inverno com pneumonia, o ensino da minha escola é ruim, e o meio que vivo não colabora. Eu sou pobre.

Enxugaram meus recursos básicos e vão torcer pra que eu não mate o teu filho. Na verdade, vão torcer pra que eu mate. É pra isso que alguém vai na mídia e te convence que prisão é a solução. Você tem grana pra pagar por saúde e por educação pro seu filho, o meu pai não. É pra isso que ele trabalha, porque ele sabe que eu, criança, tenho um futuro pela frente. O meu pai acredita em mim.

Lhe fazem – de mim – sentir medo, enquanto lhe arrancam todo dinheiro.

Mas espero que seu filho tenha um emprego, e que este emprego lhe pague mais que um salário mínimo, talvez três, ou quatro, e que além de pagar o aluguel, ele possa pagar um jantar pra namorada.

* Jéssica possui um blog filosófico-poético, que também não deixa de ter seu conteúdo intimista e crítico. Para interessados, segue o link AQUI

Hitler_maioria_FascismoOs episódios recentes de racismo, machismo, fascismo, ignorância, falta de educação, ausência completa de bom senso e respeito ao próximo, elevam meu grau de preocupação com o futuro do Brasil. Há uma grande parcela da sociedade brasileira que está doente, mentalmente doente. Histeria, ódio, irracionalidade, causados pela doença da estupidez.
(Quem quiser ler mais sobre a burrice e estupidez como doença, segue um artigo da filosofa Márcia Tiburi: AQUI)

O ódio que a mídia e líderes radicais de direita geram, e que muitos ajudam a disseminar (isso pode incluir você, então reflita) mesmo que de forma modesta e branda, é um trem desgovernado: depois que embalar, não é mais possível parar.

Se o pior acontecer, e este ódio se institucionalizar de vez em forma de Governo (já começou, com Cunha na presidência do Legislativo e com um Congresso extremamente conservador e repleto de radicais de direita), não chorem suas mágoas depois.

Aquele que diz ser contra o ódio, mas está sincronizado ideologicamente com quase tudo aquilo que os fascistas também defendem (contra bolsa família, contra mais médicos, querem o PT fora, acham que Dilma quebrou o país, contra cotas, a favor da redução da maioridade, contra aproximações com Cuba e Venezuela, se calam quando o Congresso mantem as doações privadas a campanhas eleitorais ou fazem uma mesma votação duas vezes em 24 horas para inverter um resultado do dia anterior, etc), é cúmplice da alavancada da insanidade.
A você, um lembrete: você não será poupado por estes fascistas quando eles tiverem o Poder ilimitado. Afinal, fascistas não irão reconhecer que você defende algumas das mesmas causas que ele; pelo contrário, ele irá somente reconhecer que você não defende algumas de suas causas, e então, irá te perseguir.

Quem também faz vista grossa, não se manifesta, tenta se manter numa falsa, e/ou hipócrita, e/ou covarde neutralidade (em cima do muro), não deve se enganar, pois também não será digno de misericórdia.
Além disso, é sempre bom lembrar: o silêncio dos bons deixa com que a voz dos maus prevaleça e cresça. Portanto, você, com pinta de neutro, é conivente e cúmplice, infelizmente.

Aos fatos:

  1. Adesivos de montagem pornográfica com a Presidente Dilma sendo distribuídos para serem colados nos tanques de gasolina dos carros. Nem vou me aprofundar neste assunto, nem vou descrever detalhes do adesivo (pois todo mundo o viu, o que dispensa minha narração), pois é tão, mas tão baixo, que sinto vergonha de falar sobre isso. Quem chegou a colá-lo no carro, precisa ser internado numa clínica psiquiátrica, pois está sofrendo de sérios problemas mentais, e não é só burrice não. E não estou falando isso para ofender, ou para mostrar meu desprezo (apesar de merecido), estou falando sério, a pessoa tem sérios problemas e precisa de tratamento.
  2. Maju Coutinho, jornalista da Globo responsável pela previsão do tempo no Jornal Nacional, recebeu diversos ataques racistas e machistas na internet. Entre os comentários, estavam os seguintes: “só conseguiu emprego no JN por causa das cotas, preta macaca” e “não tenho TV colorida para ficar olhando essa preta, não”, além da palavra “vagabunda”, diversas vezes. Ao que parece, a maioria dos perfis que fizeram os ataques, são perfis falsos/fakes, o que para mim, não muda em nada o ocorrido, pois a única diferença entre um perfil fake e um verdadeiro, é que o fake representa alguém covarde, incapaz de se mostrar e expor o que pensa. Para ler mais sobre os ataques, clique AQUI
  3. Deputados do DEM, PR, PSDB, que decidiram ser contra a posição de seus partidos e votaram “contra” a redução da maioridade penal, sentiram por algumas horas, pela primeira vez em suas vidas, a insanidade do ódio. Até então blindados de tais agressões, provavelmente por pertencerem a partidos conservadores, receberam em seus twiters e Facebooks uma série de ataques maliciosos, machistas e sexistas (para as deputadas mulheres), ofensas, ameaças, e tudo mais. Esses deputados se disseram horrorizados, e manifestaram entender melhor agora o que sofrem políticos progressistas.Mara Gabrilli (PSDB-SP), Clarissa Garotinho (PR-RJ) e Professora Dorinha (DEM-TO) foram algumas das vítimas, escreveu o deputado Jean Wyllys. Segundo ele, as três se referiram às injúrias sexistas e às acusações de que eram “comunistas” e “vendidas ao PT”.
    Entre os que sofreram os ataques, muitos mudaram seus votos 24 horas depois (como foi o caso do deputado Celso Maldaner do PMDB, clique AQUI). A maioria nega a relação entre os ataques e a mudança do voto. Mas cá entre nós, o medo físico, e/ou o medo de perder eleitorado, certamente influenciaram a mudança de muitos deles. Também o ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, longe de ser um progressista de esquerda, se posicionou contra a redução, e sofreu a ira dos fascistas, muitas vezes acompanhada de ataques racistas.
  4. Durante a comitiva da presidente Dilma nos EUA, uma repórter da Globo fez uma pergunta maliciosa, como de costume, para ser respondida por Dilma: “Senhora presidente, como lidar com a contradição de que o Brasil se vê como uma potência global, mas os EUA veem o Brasil somente como uma potência regional?”
    Obama, que percebeu a maldade da pergunta, se antecipou e disse: “Com licença, mas na parte que toca aos EUA eu preciso responder. Os EUA não veem o Brasil como uma potência regional, mas sim global. Eu poderia dar vários exemplos, mas vou lembrar somente que o Brasil é um dos países mais importantes e respeitados entre os G20, e além disso, o combate às mudanças climáticas e a diminuição da destruição do meio ambiente, só é possível tendo o Brasil como nosso líder.”
  5. E por fim, e talvez o melhor exemplo de como esse ódio fascista é completamente insano, doente e irracional. Durante a mesma visita da presidente Dilma a Obama, um jovem brasileiro, fã de Jair Bolsonaro, se infiltrou na comitiva de Dilma, e filmando começou a gritar e xingar a presidente. Vejam a notícia da Folha, onde também é possível acessar o tal vídeo (AQUI). Entre as ofensas, estavam as palavras: ladra, terrorista, assassina, comunista de merda e vagabunda.

 

por Miguelito Nervoltado

figura retirada do facebook, compartilhada por diversos perfis

maioridade-penalNeste artigo irei apontar alguns dados e estatísticas sobre a violência no Brasil e sobre a Maioridade Penal mundo afora.

Não pretendo aqui fazer grandes debates morais ou éticos sobre a possível redução da Maioridade Penal; tampouco quero especular sobre os mais diversos efeitos colaterais da mesma. Esse aqui não é um artigo filosófico, nem humanista, muito menos moralista. Esse é um artigo de exposição de dados e estatísticas.
Se quiserem saber um pouco sobre a forma como os integrantes deste blog (Celsão e Miguelito) pensam sobre a Maioridade Penal e sobre os diversos efeitos de uma possível redução da mesma, clique AQUI para ler o artigo do Celsão.

  • Como anda este tema pelo Mundo?

Para começar, eu gostaria de compartilhar o resultado de um estudo feito pela UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância), órgão da ONU. A UNICEF levantou os dados de 54 países de grande relevância, e construiu uma tabela com a “Idade para responsabilidade penal juvenil”, e “responsabilidade penal adulta (maioridade penal)”, respectivamente, em vários países. Vejam alguns exemplos que eu selecionei, onde adicionei por contra própria a Nova Zelândia, que não está inclusa no estudo original:

Brasil: 12 & 18
Alemanha: 14 & 18
Argentina: 16 & 18
Áustria: 13 & 19
Chile: 14/16 & 18
China: 14/16 & 18
Espanha: 12 & 18/21
Eslováquia: 15 & 18
Eslovênia: 14 & 18
Finlândia: 15 & 18
Franca: 13 & 18
Grécia: 13 & 18/21
Holanda: 12 & 18
Hungria: 14 & 18
Irlanda: 12 & 18
Itália: 14 & 18/21
Japao: 14 & 21
México: 11 & 18
Noruega: 15 & 18
Uruguai: 13 & 18
Austrália: 10 & 19
Hong Kong: 14/16 & 18

Nova Zelândia: 10/14 & 17
Portugal: 12 & 16/21
Suécia: 15 & 15/18
Suíca: 7/15 & 15/18
Escócia: 8/16 & 16/21
Dinamarca: 15 & 15/18
Bélgica: 16/18 & 16/18
Rússia: 14/16 & 14/16
Canadá: 12 & 14/18
EUA: 10 & 12/16

O que percebemos nesta lista?
Selecionada a grande maioria dos países mais “civilizados” e “evoluídos socialmente” no planeta, temos 21 com Maioridade Penal de no mínimo 18 anos, e em alguns casos chegando a 21 anos.
Há 6 países com critérios mistos (variando de 14 aos 21 anos), onde a criança será julgada como adulto somente em casos bem específicos, por exemplo, quando da ocorrência de crimes gravíssimos. Normalmente o processo é acompanhado de uma avaliação criteriosa da maturidade da criança/adolescente.
Há 1 país que fixou em 17 anos.
E temos 2 países (EUA e Rússia) que possuem Maioridade Penal fixada abaixo de 18 anos.

O que isso significa?
Se aprovado o projeto de lei no Brasil, estaremos nos distanciando, mais um pouquinho, dos padrões de cidadania, de evolução social, de direitos humanos, e do utópico sonho de sermos mais parecidos com os países “desenvolvidos”.

Dos 54 países estudados pela UNICEF, 74% aplicam Maioridade Penal de 18 anos. Algo em torno de 20% aplicam Maioridade Penal flexível/mista, e somente 6% aplicam Maioridade Penal fixa menor que 18 anos.
Clique AQUI e veja o estudo completo da UNICEF.

Há dados mundiais que nos alertam para um grande retrocesso, uma caminhada na contramão da evolução do ser humano enquanto sociedade. E que se a maioria dos países “desenvolvidos” tem maioridade penal de 18 anos, é por que há um motivo bem concreto para isso. Suas legislações chegaram a essas soluções devido há séculos de estudos, progresso, aprendizado, experiências e evolução. E nós, no Brasil, por pura subjetividade e impulsos instintivos, queremos impor aquilo que “achamos”, em detrimento da ciência, da intelectualidade, e da natural evolução das sociedades.

  • Quem é a favor, e quem é contra?

Do lado dos que apoiam estão:
O Congresso Nacional, tido pela maioria dos brasileiros como uma instituição falida, corrupta, apodrecida. Em especial este atual Congresso, que é o mais conservador desde o golpe de 1964 que implantou a “querida” ditadura no Brasil. Hoje, liderados pelos “admiráveis” Renan Calheiros e Eduardo Cunha.
A Grande Mídia, composta por Rede Globo, Revista Veja, Jornal O Globo, Folha de São Paulo, entre outros, cada vez mais dignos de críticas e repulsa da sociedade brasileira, devido a sua parcialidade e falta de profissionalismo e ética. 

Já do outro lado,  são contra a Redução da Maioridade Penal os seguintes órgãos:
ONU, UNICEF, OEA (Organização dos Estados Americanos), CONANDA (Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente), CFP (Conselho Federal de Psicologia), CNAS (Conselho Nacional de Assistência Social), CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros), e a OAB (ordem dos advogados do Brasil).

E você, está sincronizado com quais grupos? Já parou para pensar no porquê de cada um destes grupos se posicionarem como se posicionam? Já parou para pensar na história, na integridade, nas intenções de cada um desses grupos e como isso reflete na forma deles se posicionarem?

Eu, assim como você, chego a conclusões “próprias”, sem precisar seguir ninguém ou qualquer órgão. Mas, me alivia bastante saber que estou do mesmo lado que a ONU, AMB, OAB, CNBB, UNICEF, OEA, CFP, etc.
Se não te incomoda o fato de estarem ao seu lado a Globo e Congresso Nacional, bom, cada um com sua consciência.

  •  Qual a parcela de culpa dos adolescentes na violência do Brasil?

Segundo os dados da SENASP (Secretaria Nacional de Segurança Pública), os jovens entre 16 e 18 anos são responsáveis por 0,9% do total de crimes praticados no Brasil. No caso de homicídios, somente 0,5% são de responsabilidade deste grupo.
Clique AQUI e leia mais.

Segundo o Anuário de Segurança Pública, entre todos os crimes cometidos por menores, cerca de 10% são crimes graves, como homicídio. Mais de 70% dos crimes são crimes contra o patrimônio: furto e roubo (quase 43,7%) e envolvimento com o tráfico de drogas (26,6%). Clique AQUI.

O que concluímos com isso?
Ora, o argumento de que a redução da Maioridade Penal será eficiente para combater a criminalidade no Brasil, é um argumento furado, fruto de desinformação. Supondo uma eficiência de 100% da justiça e da polícia caso a redução seja aprovada, teríamos uma redução de 0,9% na criminalidade do país, e uma redução de 0,5% das taxas de homicídio. Isso significa que, ao invés de termos 200 assassinatos, teríamos 199. Nossa, que melhoria!!!

Reduziremos o número de assassinatos de 200 para 199, mas em contrapartida, estaremos colocando milhares de adolescentes na cadeia, por terem furtado ou por serem foguetinho do tráfico, e quando saírem da cadeia, terão se tornado reais criminosos, traficantes, assassinos, estupradores, com os mais diversos distúrbios mentais. Ou seja, ganha-se 0,9% aqui, perde-se 30% em alguns anos.

Agora, convido vocês a refletirem sobre estes dados. Pense em quanta informação falsa e manipulada você acreditou e que foi desmentida aqui. Reflita, e reposicione-se.
Vai ficar com as mentiras e achismos subjetivos, ou ficará com a realidade e a ciência?

por Miguelito Formador

Leia 18 motivos para dizer não á redução da Maioridade Penal. Clique AQUI (figura do link)

imagesCA7OKUSNMeu principal ponto é que este é um caminho sem volta.
Creio sinceramente que, após aprovada a redução da maioridade penal para 16 anos, alguns falarão sobre 15 ou 14. E o que nos garante que aprovada essa outra redução não se começaria a falar em 13 ou 12 anos?
Afinal, com tanta informação disponível na internet e desenvolvimento social apoiado pela escola, toda criança de 12 anos é capaz de discernir sobre certo e errado e, consequentemente, ser culpada judicialmente por isso. Não é mesmo?

Espero ter passado o “choque” que tive de modo mais exato possível.
É triste imaginar que existam pessoas que defendam prisões indiscriminadas, especialmente de jovens. Hoje, um menor no Brasil só pode ficar três anos detido. Mas não há distinção de tipo de crime. Um furto de pão pode levar a três anos de Febem (ou Fundação Casa) e um assassinato ou latrocínio também.
Uma alternativa a discutir seria a tipificação dos crimes de menores, talvez até aumentando o tempo de detenção.

Mas, meu principal motivo de revolta e choque é o movimento no sentido único de punição!
A sociedade e os políticos que a representam, movem-se em sentido contrário ao resto do mundo dito “civilizado”. Busca-se punições cada vez mais severas aos “invisíveis”, como se eles realmente fossem desaparecer do convívio com os “homens de bem” da elite.

O primeiro passo deveria ser a educação. De acesso universal, gratuito e com a melhor qualidade possível. Visando formar indivíduos com senso crítico, que compreendessem também suas possibilidades, dificuldades e a importância das escolhas na vida, principalmente mostrando àqueles menos favorecidos o abismo social do país.
Uma segunda abordagem seria a prevenção. Trabalhar esportes e profissões técnicas nas periferias. Incentivar ONGs como o Afro Reggae. Trabalhar a leitura e a autoestima, mostrar exemplos de pessoas e carreiras bem-sucedidas que nasceram e se criaram na periferia, fugir dos exemplos socialmente “aceitos” de música e futebol, sem discriminá-los.
Daí sim, num terceiro momento a punição, mas não a repressão. Trabalhar (também) a autoestima e mostrar que há volta no caminho da criminalidade. Fazer os menores trabalharem em asilos e em casas como a AACD. Trabalhar a reinserção com cursos profissionalizantes e/ou esporte.

Como diriam os mais antigos, muita água ainda passará por debaixo da ponte. A primeira “aprovação” na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) será “testada”, pois passará por uma Comissão Especial, pelo Congresso Nacional, Senado, parecer presidencial…
Espero que não “vingue”. Pois erraremos pecando por excesso. Os processos judiciais continuarão morosos e as classes mais abastadas e seus bem relacionados advogados seguirão recorrendo indefinidamente. Duvido que os ricos adolescentes incendiários de índios, os atropeladores de trabalhadores em pontos de ônibus, os que brigam nas ruas, ou os que estupram coletivamente sejam julgados e punidos como o jovem que mora nas ruas e rouba para comer ou cheirar cola; ou mesmo aquele que trafica na periferia por ter observado maus-exemplos de “sucesso” e “conquistas”.
Há uma música do Racionais que fala dessa realidade: “Dizem que quem quer segue o caminho certo. Ele [o menino da periferia] se espelha em quem está mais perto”.

Enfim, quem sou eu para apontar a solução prima e única. Tampouco especulo que a redução da maioridade penal não deva ser discutida.
Mas, discutida abertamente, sem pré-condições e pré-conceitos da elite para com os mais pobres; da mídia para com os invisíveis.
Afinal, não é prendendo toda a população “perigosa” e mantendo-a por toda a vida encarcerada, que acabaremos com a pobreza e a violência no país.

por Celsão revoltado

figuras retiradas daqui e daqui

Deparei-me, enquanto navegava pela internet, com o seguinte vídeo: Clique AQUI ou AQUI

Uma pessoa desatenta ao assistí-lo pensará: Nossa, a criminalidade não tem limites mesmo.

Bom, é justamente o que a Rede Globo quer que você pense. Como sempre digo (e estou só repetindo especialistas): A grande mídia visa gerar o medo, insegurança, pânico e ódio, pois um povo com medo e ódio, é mais fácil de se manipular… exemplos de estudos teóricos e resultados práticos dessa ideia não faltam, mas vou só mencionar uma pessoa que sabia disso perfeitamente: “Hitler”, ou melhor, Joseph Goebbels, o chefe de propaganda e marketing do Nazismo na época.

Gente, vamos a alguns detalhes deste vídeo:

  1. O infrator iria escolher alguém que está sendo entrevistado na TV, com o risco de ser filmado? E pior, um microfone da Globo, que 90% dos brasileiros conhecem. Por mais sem cultura, sem educação formal e tudo mais que ele fosse, acho que são raros os casos de tamanha imbecilidade. Eles existem, mas são raros.
    PRIMEIRA COINCIDÊNCIA.
  2. O repórter estava no momento provocando a mulher, falando do cordão dela, e de repente vem o moleque, e boom! Porque o repórter não estava falando do tempo, da economia, do lazer? Estava falando do cordão da mulher. Será que foi coincidência, ou ele já estava tentando voltar a atenção do telespectador para o cordão da mulher e para a violência do Brasil?
    SEGUNDA COINCIDÊNCIA.
  3. Segundo a legislação voltada para menores de idade, a imagem destes deve ser protegida. Portanto, parece que a Globo coloca a tarja por se tratar de um menor. Mas, a própria reportagem diz claramente que a polícia chegou atrasada ao local, o que dá a entender que não foi possível capturar o infrator, e portanto, não é possível identificar se ele é menor ou não. Então por que a tarja? Parece estar clara a intenção da reportagem de abordar, além da criminalidade, a redução da maioridade penal.
    Isso, fica ainda mais claro ao assistir a reportagem completa (AQUI). Dá-se ênfase diversas vezes ao “fato” (contestável) de que a maioria dos infratores são menores de idade. Por isso a tentativa sensacionalista de comprovar essa argumentação, colocando tarjas em todos os infratores.
    TERCEIRA COINCIDÊNCIA.
    Aqui abro aspas para uma observação, algo que achei bem estranho: percebam que na primeira cena do delito, o rosto do infrator ainda não possui a tarja. Ele corre, e continua sem a tarja. Quando o replay acontece, é a primeira vez que a tarja aparece. Por que? Erro de gravação/edição? Um erro tanto quanto estranho, principalmente ao se tratar da maior mídia do Brasil.
  4. Esse cameraman deveria estar filmando cenas do The Flash, sem precisar de edições posteriormente. Vejam como ele está com foco na mulher, daí o moleque passa correndo, repentinamente e sem dar aviso prévio, e neste exato momento, o cameraman começa a filmar o infrator, sem nunca perder o foco do mesmo, em alta velocidade e perfeição de movimento. Incrível isso não? Parece até que ele estava preparado e posicionado para tal cena.
    QUARTA COINCIDÊNCIA.

Eu aprendi estudando segurança de trabalho que, quando temos 2 coincidências ou mais, já estamos normalmente a falar de sabotagem, ou então, de um caso raro, com probabilidades tão baixas quanto um gato pôr ovo, ou eu estar andando pela rua e um meteorito do tamanho de uma bola de gude cair na minha cabeça, matando somente a mim.

Para mim está claro. Armação das mais tenebrosas da Globo, se equiparando ao nível da revista Veja. Apelação sensacionalista forte, e desrespeitando o juramento de ética do jornalismo.
Cena no estilo de novelas mexicanas…..

Sim gente, o Brasil é violento, e ninguém tem dúvida disso. A questão é: Quão violento, quão perigoso? É tão perigoso quanto nossa impressão? Ou nossa impressão é o resultado do real perigo + o sensacionalismo da mídia a nos ludibriar, fazendo com que o problema pareça ainda maior do que já é?

por Miguelito Formador