Posts Tagged ‘Mídia’

No começo da semana, fui interpelado por um colega me perguntando sobre a propaganda da Boticário, se eu a havia visto.
Ele completou com o adjetivo “ousadia”, referindo-se à mesma.
Depois, noutro círculo, ouvi a palavra “coragem” direcionada ao mesmo comercial. Um comercial feito pela primeira vez com uma família negra, para o dia dos pais.

Confesso que, dada a repercussão e os comentários que colavam em meu WhatsApp, achava que o Boticário houvesse realmente “provocado” uma situação sui generis, que eles haviam por exemplo exposto o tema racismo, ou uma situação discriminatória durante a propaganda.
E, ontem, quando vi o vídeo “viralizado” do Youtube, tive a surpresa de se tratar somente de uma família negra.
Simples assim: uma família negra sendo representada como consumidora de perfumes. Um pai negro, trapalhão, ganhando um perfume de dia dos pais.

O comercial está aqui (de onde tirei a figura). Mas recomendo também que assistam os comentários do influenciador Spartakus Santiago (aqui). Ele explica para os que tiveram dificuldade de assimilar, os termos diversidade e representatividade melhor do que eu conseguiria fazer com palavras nesse texto.
Pois bem, a propaganda está “no ar”, como eles costumam dizer, e no canal da marca no Youtube.
Vale colar a citação deles no Youtube, sobre o vídeo e a repercussão do mesmo:

Já faz bastante tempo que trazemos representatividade e diversidade para as nossas campanhas. E temos muito orgulho disso ❤. Mas as reações que o nosso filme gerou só mostram pra nós que temos muito trabalho a fazer. A gente acredita no respeito a todas as pessoas e deseja que, em breve, isso não seja mais motivo de desconforto pra ninguém.

Voltando aos termos do título desse post, interpreto “ousadia” como algo negativo.
A explicação decorrente do comentário foi que a marca ousou colocar negros e fugir do padrão (acho que se referia àquela “felicidade padrão Doriana”) numa campanha nacional; por conta disso, perderá clientes e poderá, consequentemente, também perder mercado.

Já “coragem” veio num contexto de enfrentamento.
A marca decidiu expor a baixa (ou ausente) representatividade de negros na mídia e mostrar que TAMBÉM faz perfumes para esse público.
Talvez com um certo sentimento premonitório de que uma eventual discussão faria alavancar a propaganda e os produtos por conseguinte.

Obviamente as palavras podem ser interpretadas de outra forma. Ao revés inclusive.
Mas se outro alguém me perguntasse sobre o comercial, eu perguntaria de volta: “Você achou ousadia ou coragem por parte do Boticário?”

Recentemente tive uma experiência na Africa do Sul.
Foi uma viagem a trabalho, curta demais para tirar conclusões, mas longa o suficiente para observações interessantes.

Um colega branco, sul-africano, afirmou não ter mais oportunidades de crescimento no país.
E culpou uma tal BBBEE, que, segundo a leitura dele, traz obrigatoriedade de promoção e desenvolvimento de carreira a não-brancos no país.

BBBEE vem de “Broad-Based Black Economic Empowerment“, algo como “Empodeiramento Econômico Negro em Larga Escala” em minha tradução livre. É uma extensão de um programa anterior, o “Black Economic Empowerment
As medidas foram instituídas em 2001 e 2003 (links do Wikipedia aqui e aqui).  E tem um sistema interessante (ao meu ver) de tabela de “pontuação” para medidas adotadas nas empresas.
As empresas somam pontos por terem negros em cargos de liderança, por terem salários equivalentes, desenvolvimento de habilidades, pelo balanço entre brancos e não-brancos empregados ali.
Não é livre de críticas, obviamente. Alguns falam da evasão de conhecimento, através da emigração de mão-de-obra qualificada branca.

Mas, até onde pude ver na visita curta e na análise rasa, de um negro…
Se o programa é feito para todos os não-brancos, discriminados no longo período de Apartheid: negros, indianos e mestiços.
Se as empresas não precisam contratar 100% de negros nem promover sempre um negro a líder ou gerente.
O que há é uma condição de competição igualitária. Uma melhora real e geral de empregabilidade do país e, em médio prazo, de equidade nas condições sociais.

Reclamar da empregabilidade sendo branco na Africa do Sul, morando em “Alphaville” e conduzindo uma BMW…
É como reclamar quando um entre duzentos comerciais de TV, oferecendo produtos para o dia dos pais, tem uma família negra.

por Celsão revoltado

figura retirada do vídeo-propaganda do Youtube.

P.S.: um colega comentou num dos grupos de WhatsApp onde o link do vídeo foi compartilhado: “Acho que não entendi. Por que a repercussão?” e depois de cinco minutos: “Ah, ok. Vi os comentários no Youtube!”

Deparei-me, enquanto navegava pela internet, com o seguinte vídeo: Clique AQUI ou AQUI

Uma pessoa desatenta ao assistí-lo pensará: Nossa, a criminalidade não tem limites mesmo.

Bom, é justamente o que a Rede Globo quer que você pense. Como sempre digo (e estou só repetindo especialistas): A grande mídia visa gerar o medo, insegurança, pânico e ódio, pois um povo com medo e ódio, é mais fácil de se manipular… exemplos de estudos teóricos e resultados práticos dessa ideia não faltam, mas vou só mencionar uma pessoa que sabia disso perfeitamente: “Hitler”, ou melhor, Joseph Goebbels, o chefe de propaganda e marketing do Nazismo na época.

Gente, vamos a alguns detalhes deste vídeo:

  1. O infrator iria escolher alguém que está sendo entrevistado na TV, com o risco de ser filmado? E pior, um microfone da Globo, que 90% dos brasileiros conhecem. Por mais sem cultura, sem educação formal e tudo mais que ele fosse, acho que são raros os casos de tamanha imbecilidade. Eles existem, mas são raros.
    PRIMEIRA COINCIDÊNCIA.
  2. O repórter estava no momento provocando a mulher, falando do cordão dela, e de repente vem o moleque, e boom! Porque o repórter não estava falando do tempo, da economia, do lazer? Estava falando do cordão da mulher. Será que foi coincidência, ou ele já estava tentando voltar a atenção do telespectador para o cordão da mulher e para a violência do Brasil?
    SEGUNDA COINCIDÊNCIA.
  3. Segundo a legislação voltada para menores de idade, a imagem destes deve ser protegida. Portanto, parece que a Globo coloca a tarja por se tratar de um menor. Mas, a própria reportagem diz claramente que a polícia chegou atrasada ao local, o que dá a entender que não foi possível capturar o infrator, e portanto, não é possível identificar se ele é menor ou não. Então por que a tarja? Parece estar clara a intenção da reportagem de abordar, além da criminalidade, a redução da maioridade penal.
    Isso, fica ainda mais claro ao assistir a reportagem completa (AQUI). Dá-se ênfase diversas vezes ao “fato” (contestável) de que a maioria dos infratores são menores de idade. Por isso a tentativa sensacionalista de comprovar essa argumentação, colocando tarjas em todos os infratores.
    TERCEIRA COINCIDÊNCIA.
    Aqui abro aspas para uma observação, algo que achei bem estranho: percebam que na primeira cena do delito, o rosto do infrator ainda não possui a tarja. Ele corre, e continua sem a tarja. Quando o replay acontece, é a primeira vez que a tarja aparece. Por que? Erro de gravação/edição? Um erro tanto quanto estranho, principalmente ao se tratar da maior mídia do Brasil.
  4. Esse cameraman deveria estar filmando cenas do The Flash, sem precisar de edições posteriormente. Vejam como ele está com foco na mulher, daí o moleque passa correndo, repentinamente e sem dar aviso prévio, e neste exato momento, o cameraman começa a filmar o infrator, sem nunca perder o foco do mesmo, em alta velocidade e perfeição de movimento. Incrível isso não? Parece até que ele estava preparado e posicionado para tal cena.
    QUARTA COINCIDÊNCIA.

Eu aprendi estudando segurança de trabalho que, quando temos 2 coincidências ou mais, já estamos normalmente a falar de sabotagem, ou então, de um caso raro, com probabilidades tão baixas quanto um gato pôr ovo, ou eu estar andando pela rua e um meteorito do tamanho de uma bola de gude cair na minha cabeça, matando somente a mim.

Para mim está claro. Armação das mais tenebrosas da Globo, se equiparando ao nível da revista Veja. Apelação sensacionalista forte, e desrespeitando o juramento de ética do jornalismo.
Cena no estilo de novelas mexicanas…..

Sim gente, o Brasil é violento, e ninguém tem dúvida disso. A questão é: Quão violento, quão perigoso? É tão perigoso quanto nossa impressão? Ou nossa impressão é o resultado do real perigo + o sensacionalismo da mídia a nos ludibriar, fazendo com que o problema pareça ainda maior do que já é?

por Miguelito Formador

Figura_UCVEN_01Estamos vivenciando a história!

Na Ucrânia, após protestos seguidos contra a posição do governo de manter-se fora do Euro e aliado à Rússia e o afastamento do presidente ucraniano, tropas russas foram enviadas à região da Crimeia, território pertencente a Ucrânia, mas de maioria populacional russa.
Pra complicar (e variar), os EUA e a Europa “se meteram”, condenando a movimentação de tropas e ameaçando a Russia com sanções diversas. Enquanto isso, na Crimeia, o parlamento local e independente aprovou uma anexação ou retorno ao território Russo. Tal aprovação deve seguir para referendo popular e incendiar a disputa EUA (+Europa) vs Rússia.

Agora o presidente afastado da Ucrânia aparece na mídia Russa, dizendo-se ainda presidente legítimo, enquanto o atual primeiro ministro é recebido com honras por Obama na Casa Branca, e diz: “não nos tenderemos à Rússia!”

A situação está tão complicada, que não vejo posição a defender… Se de um lado os protestos foram legítimos e as vítimas alvejadas covardemente tornaram-se mártires da luta “pró-Europa”, do outro a decisão de uma parte representativa de um país deve ser levada em conta.
Só não adianta argumentar aqui que os Estados Unidos e a União Européia só querem o bem para o povo da ex-república soviética; a Alemanha e os demais estão de olho num mercado inexplorado e rico em gás natural!
Não seria pelos pobres ucranianos que uma guerra seria iniciada, caso seja.

Bem diferente, mas igualmente complicada é a situação na Venezuela, onde o governo tenta sufocar a oposição em meio a uma crise de abastecimento e o ressurgimento de grupos empenhados em derrubá-lo.
Longe de ter a popularidade de seu antecessor, Maduro enfrenta dissidentes nas forças armadas e tenta controlar até a mídia internacional, que não o pertence.
Mas… até que ponto um governo pode ir para manter seu governo? Vale assassinato? Vale prisão sem condenação?
Vou responder essas perguntas com outra: até que ponto iriam países como EUA, China e Alemanha para sufocar protestos insistentes de um grupo opositor ou tentativas de golpe?
Eu não tenho dúvidas que estes governos iriam até as últimas consequências. Por muito menos, o governos americano e britânico prendem sem condenação ou acusação prévia, basta haver suspeita de participação em atividades terroristas.
Não acho condenável a decisão de prender suspeitos de terrorismo para averiguação, só acho complicado ler as opiniões da grande mídia contra um governo que está tentando se manter.

Pois é… É bem complexo julgar sem participar, emitir opiniões “de fora” e isentas, não é verdade?

por Celsão irônico
figura: montagem

Democracia, liberdade, direito de privacidade. Uma ova!!!

Democracia, liberdade, direito de privacidade. Uma ova!!!

Replicando um texto sucinto, mas assertivo.

Big Brother Obama

Jornal Público, 07/06/2013

 A Administração Obama fez tábua rasa do velho princípio traçado no século XVIII por Benjamin Franklin que advertia: “Aqueles que abrem mão da liberdade essencial por um pouco de segurança temporária não merecem nem liberdade nem segurança.”
Em nome do combate ao terrorismo, um tribunal especial autorizou a Agência de Segurança Interna a aceder às chamadas telefónicas de qualquer cidadão.

Não se discute o putativo alcance desta medida para se obter informações sobre os contatos de prováveis terroristas. O que se discute é se essa probabilidade justifica que um direito elementar dos cidadãos, a sua privacidade, seja violado. Ou se vale a pena constranger a liberdade básica que confere a cada um o direito de falar com quem entender em nome de uma pretensa política de segurança.

Esta pulsão securitária que trata todos como suspeitos é, ao que se sabe, uma herança de George Bush. Esperava-se que Obama, em coerência com o seu discurso, a revogasse. Não revogou. A sua aura de político diferente voltou a degradar-se.

…….

Comentário 1 do blog: Se fosse Hugo Chávez, ou Fidel Castro, a mídia e a classe média já teriam caído em cima chamando esta ação de ditadura, terrorista, comunistas demonizados, e coisas do tipo não é?
Comentário 2 do blog: Onde estão os tão aclamados direitos e liberdades do cidadão, condimentos básicos e triviais da tal Democracia que tanto se enaltece no mundo contemporâneo. Em tempo: Em breve um post que tratará deste termo democracia, e sua função como parte integrante do controle de massa e bestificação das sociedades.
Comentário 3 do blog: Nos últimos anos, várias informações secretas, não só americanas, mas de vários países, grandes empresas, bancos, etc, têm vindo à tona, principalmente após as divulgações do Wikileaks. Só continua alienado, achando que várias questões absurdas são teoria da conspiração, quem realmente quer se manter alienado. Para evoluir e crescer intelectualmente e como indivíduo, tem que ter vontade e humildade, isso já basta.

por Miguelito Formador

->Figura retirada do link

E não é que o caso das adoções de Monte Santo voltou às telas nacionais nesse domingo?

Num post recente, escrevemos sobre o caso e a falta de fundamento da Globo ao expor o caso. Manipulação tendenciosa da opinião pública para angariar audiência. Não só para o programa dominical, que apresentou uma série de reportagens sobre o tema entre Outubro e Novembro de 2012; mas também para a novela principal da emissora, que falaria sobre o tema.

“Coincidentemente”, a novela estreou oito dias após a primeira reportagem da série, um dia após a segunda…

Num debate em que sequer o nome do pai biológico das crianças é um consenso (alguns escreveram Jerôncio e outros Gerôncio) é realmente difícil “escolher um lado” na discussão. Porém, alguns fatos interessantes merecem ser levantados aqui:

– o vídeo do youtube onde a mãe “afetiva” (ou adotiva) de duas das crianças foi tirado “pelo usuário”;

– outros veículos se interessaram pela estória e foram até Monte Santo (como o SBT), sinal que havia mais para ser explorado;

– o portal “alternativo” de notícias GGN (poderia aqui colocar também como adjetivos independente ou não-comercial) não só questionou a rede Globo sobre a notícia, como publicou as respostas com ressalvas e observações.

– A Globo usou boa parte do tempo da notícia no domingo para comentar a ida de uma das mães adotivas à internet.

Enfim, tirem suas próprias conclusões. Seguem alguns links:

Fantástico – http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2013/05/juiz-que-anulou-sentenca-de-adocao-irregular-na-bahia-e-afastado.html

Correlação entre a reportagem e a novela “Salve Jorge” – http://www.jornalggn.com.br/blog/salve-jorge-e-as-criancas-de-monte-santo

Resposta da Rede Globo à GGN – http://www.jornalggn.com.br/blog/a-resposta-da-globo-ao-ggn

Série de reportagens que visa esclarecer os fatos – primeira de 06/05/2013 – http://www.jornalggn.com.br/blog/a-mae-afetiva-que-foi-transformada-em-traficante-de-criancas

por Celsão Correto

Todos devem se lembrar de uma sequência de reportagens da Globo, onde eles “investigavam” o caso de 5 crianças de uma  família pobre da cidade de Monte Santo – Bahia, que teriam sido retiradas de seus pais por ordem judicial, para então, serem entregues para doação a 5 famílias ricas de São Paulo, numa forma de tráfico ilegal de crianças. (*)

Eu estava no Brasil nesta época, e acompanhei essas reportagens. Confesso que, eu mesmo fiquei comovido com a estória, e achei um absurdo.

Porém ontem, tive contato com a outra versão. Assisti a uma reportagem (**) com a mãe adotiva de uma das crianças  Ela conta como a história foi totalmente distorcida. A guarda das crianças havia sido sim retirada dos pais, mas com todo o embasamento legal, pois esses não tinham a menor condição de tratar das mesmas. Algumas das crianças estariam inclusive extremamente doentes e correndo risco de vida.
Essa mãe ainda diz que a Globo a colocou como uma sequestradora, sendo que ela teria participado de um processo legal de adoção de crianças, e aceitou ainda por cima, adotar uma criança doente, para assim ter o seu ato de adoção ainda mais válido, pois estaria ajudando uma criança realmente necessitada.
Essa mulher estaria agora, lutando com todas suas forças para mostrar como a Globo é maquiavélica, capaz inclusive de criar estórias e situações  para poderem vender notícia e reality shows, doa a quem doer, não se importando nem um pouco com a vida dos indivíduos envolvidos nessas estórias.

Não tenho dados suficientes para chegar a uma conclusão definitiva. Mas se for para eu dar minha opinião, tratando-se de Globo, e vendo os argumentos da mãe adotiva, e vendo o estado no qual ela deu a entrevista, dá para se deduzir quem é o real vilão.
Além disso, a mãe mostra vídeos dela tentando conversar com o repórter da Globo que fez a reportagem, e o repórter lhe dá as costas  e sai andando (fugindo), evitando o diálogo. Dessa forma, tendo a acreditar fortemente, que estamos diante de uma fábula criada pela Globo, envolvendo os mais profundos sentimentos de diversos cidadãos,  só para poderem mexer com a emoção de seus fiéis espectadores, proporcionando, assim, aumento de audiência. Se for isso mesmo, temos aí um exemplo de maldade e perversão do mais alto nível!

Cuidado pessoal, a mídia brasileira causa danos irreversíveis aos nossos cérebros.

(*) http://www.youtube.com/watch?v=MPu9j7SHG1I   – Reportagem da Globo

(**) http://www.youtube.com/watch?v=9JRbwXHigAs&feature=youtu.be   (depoimento da mãe adotiva em entrevista ao Jornal GGN)

por Miguelito Formador

Uma boa reflexão, principalmente para os advogados e profissionais do direito.
Nosso “batman” parece não estar mais no trono, mas sim em “maus lencóis”.
Quando ele representava a esperança do povo brasileiro em ver todos os anos de corrupção de nossa história serem “pagos e acumulados” por um único partido político por causa de um esquema duvidoso de corrupção, ele foi exaltado pelo povo. A mídia, viu a chance de desmontar o partido que não lhes beneficia tanto quanto eles estão acostumados, e também colocaram JB lá em cima. Os partidos de oposição (principalmente PSDB e DEM) viram nele a esperanca de voltarem a apitar no cenário nacional, após anos de queda eleitoral, e fizeram dele seu herói. Porém agora, passado o mensalão, o juiz continua mostrando que ele é duro, direto, sincero, teimoso, incisivo, irredutível. Seja com quem tenha que ser. E aí, enquanto ele crucificou os envolvidos no mensalão (teoricamente por ele realmente achar que havia provas suficientes), ele era herói. Mas agora, ele começa a lançar críticas esporádicas à mídia, a outros políticos que não são petistas, a pessoas públicas, a jornalistas, e agora, à sua própria classe, os advogados e juízes. Então, agora, ele anda atingindo boa parte da elite brasileira, principalmente ao mencionar os juízes e a mídia, e aí, o buraco é mais embaixo. De herói, ele pode virar o vilão, rapidamente.
Isso me lembra Osama Bin Laden, Saddam Hussein, entre outros…. que foram colocados no altar pelos EUA (elite do mundo), porém ao se rebelarem contra os EUA, tiveram suas imagens de heróis destruídas e viraram os demônios do mundo rapidamente. No caso, Saddam Hussein é Joaquim, EUA é a mídia e elite brasileira.
Nota.: Eu, assim como a maioria dos intelectuais (não que eu seja intelectual) que tratam de tais assuntos, não entendo ainda qual é a do Batman. Tem hora que parece que ele joga dum lado, tem hora que parece que joga do outro. Tem hora que parece que quer fazer seu filme e que gosta de holofotes, mas no instante seguinte, ele faz tudo ao contrário. De repente, não tem muito segredo. De repente, ele é um intelectual, muito estudioso e competente, vencedor na vida, mas que sofreu muito até chegar aí. E com o sofrimento veio a intolerância, a falta de paciência. Tem muito senso crítico, e tem consciência da podridão da sociedade brasileira. Isso tudo junto faz com que ele confie em seus próprios critérios pessoais acima de quaisquer outros critérios, confia na sua intuição e no seu conhecimento e é irredutível em suas posições, afinal, ele deve pensar que não vale à pena ouvir os outros, pois a maioria é hipócrita, ignorante, acomodado, desinformado, interesseiro, individualista, etc,…. o que não deixa de ser verdade, em vias gerais.
E então, o tal juiz na verdade, não quer nada, ele age de acordo com seus impulsos, seus critérios e intuições momentâneas. E estaria aí o segredo de tantas polêmicas, e de tanta variação de sua imagem no meio público.

Continuo achando possível sua intenção na vida política, apesar de ele mesmo já ter descartado isso. Mas não dá para afirmar nada. Numa coisa esse cara é bom, e isso é indiscutível: ser misterioso.
Segue link de inspiração:
por Miguelito Formador