Posts Tagged ‘Mundo’

A fome no Brasil

Posted: October 20, 2014 in Política, Sociedade
Tags: , , , ,

Fome_Onu_Brasil_01

Hoje, buscando fontes de maior confiabilidade sobre o Mapa da Fome do Mundo, encontrei o site do “World Food Programme”, parceiro da ONU no combate à fome no mundo.

Neste site encontra-se o mapa da fome no mundo (figura acima). Para acessar ao site do World Food Programme, clique AQUI (acessando o link, basta clicar no download do mapa em PDF).

Percebam que os países em verde claro, são os países que possuem menos de 5% da população vivendo em condições de Fome. O Brasil superou estes 5% desde 2006. Hoje, em 2014, o mais atualizado mapa da ONU aponta para 1,7% da população brasileira vivendo em condições de fome, o que representa 3,5 milhões de pessoas, frente a aproximados 40 milhões em 2001.

Ainda há muito o que ser feito, pois 3,5 milhões de pessoas em miséria absoluta, passando fome, é algo lamentável. Mas também há muito o que ser comemorado, pois tiramos 35 milhões de pessoas destas condições, em 12 anos.
O Brasil ainda foi apontado pela ONU como exemplo a ser seguido, devido ao sucesso de programas como Bolsa Família, merenda escolar para 40 milhões de alunos, geração de emprego, valorização do salário, entre outros.

obs.: A todo mundo que tem ojeriza às palavras “esquerda”, “programas sociais”, “socialismo”, etc, notem que Cuba e Venezuela pertencem também ao seleto grupo de países latino-americanos que não sofrem com a fome crônica.

Clique AQUI e assista um trecho das reportagens da Globo em 2001 sobre a fome no Brasil.

Clique AQUI para ler sobre o relatório da ONU e os resultados conquistados pelo Brasil.

por Miguelito Formador

Palestina_devastadaDeixa eu ver se entendi direito…
Quase um mês de confronto em Gaza e agora me aparece o Obama dizendo que mandará 225 milhões de dólares para o sistema de defesa anti-aérea de Israel?
É isso mesmo?

Nem quero falar do passado, das invasões, da criação do Estado de Israel com o “deslocamento forçado” dos palestinos, falemos só dessa última etapa desta “luta contra o terror”.

Inúmeros alvos civis foram atingidos; de acordo com a versão oficial buscavam-se trinta e poucos túneis secretos que levariam ao território Israelense. Entre os alvos civis, 142 escolas foram bombardeadas, sendo 89 delas escolas-refúgio da ONU. Ou seja, mesmo que houvesse um túnel ali, saindo daquele ponto, este túnel não deveria necessariamente ser explodido numa escola, certo?
A própria Unicef calcula que 408 crianças morreram, 2500 ficaram feridas e mais de 370 mil precisarão de apoio psicológico para transpor o trauma (fonte: Unicef).
E isso só pra citar as crianças! Inocentes e indefesas crianças!
Na fonte da Unicef há uma curiosa comparação: pela extensão territorial e densidade populacional, se fosse feito nos EUA, seria como assassinar 200 mil crianças!

Como pedir que estes jovens sobreviventes a tais ataques não odeiem Israel, os Estados Unidos, e, generalizando, o Ocidente?

Como pode um país com a terceira força bélica do mundo, manter um cerco desumano em Gaza por quatro semanas e assassinar mais de 1800 pessoas? E ainda manter a cara-de-pau de bradar ao mundo que os palestinos também mataram israelenses? (a contagem oficial fala em 67, sendo somente três civis)

Como puderam atacar durante um cessar fogo combinado de sete horas para ajuda humanitária, atirando um míssil e matando mais de 50 pessoas?

Como podem os “pobres judeus” ainda se dizerem perseguidos e dependentes de apoio do “primo rico” Estados Unidos após tantas atrocidades?

232512_630x354Li nalgum lugar e repito aqui: é até cômico ver o povo judeu fechando um cerco a outro povo, deixá-lo sem energia elétrica, saneamento básico, comida, ou seja condições dignas e infringi-lo com mísseis de longo alcance a alto poder de destruição.
É o novo campo de concentração! E permito-me dizer: não deixa nada a desejar a Auschwitz! Dada a dessemelhança de condições, poderio bélico e financeiro.
Longe de mim pregar o anti-semitismo. Não odeio os judeus, nem Israel. Mas foi desproposital, desumano, desnecessário…

Uma professora especialista em Oriente Médio declarou que estamos diante do terceiro grande deslocamento populacional palestino da história. O primeiro foi na instituição de Israel (em 1948), a segunda com a ocupação dos territórios palestinos da Cisjordânia em 1967 e neste deslocamento, tem-se 400 mil pessoas deslocando-se da fronteira arrasada para o centro de Gaza.

Não creio que verei a paz entre esses povos, tampouco a devolução da Cisjordânia ou a legitimação do Estado e Povo Palestino por Israel. Mas o que me emputece é ver o apoio unilateral dos EUA a Israel; pois mesmo sabendo que toda ajuda humanitária se faz necessária em Gaza no mesmo momento (a agência das Nações Unidas pediu ajuda de US$187 milhões para reconstrução e suporte aos que se deslocaram – aqui), decidem enviar US$225 milhões para o sistema de defesa “Iron Dome” israelense (notícia aqui – em Inglês).

por Celsão revoltado

figuras retiradas do próprio vídeo sobre a ajuda solicitada pela ONU (aqui) e daqui

P.S.: dois links de leitura rápida: sobre o rompimento do cessar fogo de sete horas (aqui) e a opinião da ONU (infelizmente inoperante) sobre o ataque às escolas da própria ONU (aqui)

Leonardo_BoffUm dos mais conhecidos teólogos do Brasil, Leonardo Boff é um nome atualmente aclamado em todo o mundo. Aos 75 anos, Boff é um intelectual, escritor e professor premiado e respeitado no país, cuja opinião é ouvida por personalidades com o Papa Francisco e os presidentes Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Já o acompanho e leio suas ideias há um bom tempo. Dificilmente tenho algo a criticar sobre o que ele diz, normalmente é impecável aos meus olhos. Pensador que possui muita sanidade, honestidade intelectual, sabedoria, bondade, vasto conhecimento, e muito, mas muito senso de justiça.

Nesta entrevista, porém, Boff se supera. Ele consegue, em poucas linhas, tratar laconicamente, mas nem por isso sem eficiência e/ou sem didática, de diversas questões que parecem, aos olhos de muitos, não estarem conectadas, mas na verdade muitas delas se encontram e se influenciam, direta- ou indiretamente, muitas vezes num jogo de “causa e efeito”.

Entre os assuntos tratados por ele estão: pobreza e riqueza, ética social, sistema capitalista selvagem baseado na especulação financeira, política no Brasil, PT e Dilma, candidatos e partidos de oposição, avanços sociais obtidos nos últimos anos e o que ainda falta para o povo. Fala ainda da igreja católica e cristã, passando por Jesus Cristo e chegando ao momento atual da Igreja Católica com o Papa Francisco. Fala do protestantismo e Lutero, critica os religiosos que fazem da religião um grande “negócio”, usando o evangelho para justificar ideias retrógradas, tirar dinheiro dos fiéis e manipular mentes. Tece comentários sobre a situação no Oriente Médio (Israel & Palestina), aborto, violência, crise econômica e social na Zona do Euro, América Latina como esperança para o futuro, e sobre a crise ecológica e econômica mundial.

Sobre essas últimas duas, Boff diz estarem profundamente conectadas, estando o capitalismo fundado na exploração dos povos e da natureza. Ele fala: “Esse sistema não é bom para a humanidade, não é bom para a ecologia e pode levar eventualmente a uma crise ecológica social com consequências inimagináveis, em que milhões de pessoas poderão morrer por falta de acesso à água e à alimentação”.

Para ler a entrevista, clique AQUI.

por Miguelito Filosófico

* figura retirada do perfil de facebook de Leonardo Boff

Figura_UCVEN_01Estamos vivenciando a história!

Na Ucrânia, após protestos seguidos contra a posição do governo de manter-se fora do Euro e aliado à Rússia e o afastamento do presidente ucraniano, tropas russas foram enviadas à região da Crimeia, território pertencente a Ucrânia, mas de maioria populacional russa.
Pra complicar (e variar), os EUA e a Europa “se meteram”, condenando a movimentação de tropas e ameaçando a Russia com sanções diversas. Enquanto isso, na Crimeia, o parlamento local e independente aprovou uma anexação ou retorno ao território Russo. Tal aprovação deve seguir para referendo popular e incendiar a disputa EUA (+Europa) vs Rússia.

Agora o presidente afastado da Ucrânia aparece na mídia Russa, dizendo-se ainda presidente legítimo, enquanto o atual primeiro ministro é recebido com honras por Obama na Casa Branca, e diz: “não nos tenderemos à Rússia!”

A situação está tão complicada, que não vejo posição a defender… Se de um lado os protestos foram legítimos e as vítimas alvejadas covardemente tornaram-se mártires da luta “pró-Europa”, do outro a decisão de uma parte representativa de um país deve ser levada em conta.
Só não adianta argumentar aqui que os Estados Unidos e a União Européia só querem o bem para o povo da ex-república soviética; a Alemanha e os demais estão de olho num mercado inexplorado e rico em gás natural!
Não seria pelos pobres ucranianos que uma guerra seria iniciada, caso seja.

Bem diferente, mas igualmente complicada é a situação na Venezuela, onde o governo tenta sufocar a oposição em meio a uma crise de abastecimento e o ressurgimento de grupos empenhados em derrubá-lo.
Longe de ter a popularidade de seu antecessor, Maduro enfrenta dissidentes nas forças armadas e tenta controlar até a mídia internacional, que não o pertence.
Mas… até que ponto um governo pode ir para manter seu governo? Vale assassinato? Vale prisão sem condenação?
Vou responder essas perguntas com outra: até que ponto iriam países como EUA, China e Alemanha para sufocar protestos insistentes de um grupo opositor ou tentativas de golpe?
Eu não tenho dúvidas que estes governos iriam até as últimas consequências. Por muito menos, o governos americano e britânico prendem sem condenação ou acusação prévia, basta haver suspeita de participação em atividades terroristas.
Não acho condenável a decisão de prender suspeitos de terrorismo para averiguação, só acho complicado ler as opiniões da grande mídia contra um governo que está tentando se manter.

Pois é… É bem complexo julgar sem participar, emitir opiniões “de fora” e isentas, não é verdade?

por Celsão irônico
figura: montagem

ro-de-sao-paulo-sp-na-tarde-desta-quarta-feira-a-capital-paulista-teve-hoje-a-menor-umidade-relativa-do-ar-no-ano-com-apenas-14-1391026813338_1920x1080Acompanhamos no Brasil, recentemente, frases veiculadas na imprensa alardeando “o dia mais quente dos últimos 40 anos” ou “o Fevereiro mais quente de todos os tempos” e também “a maior média de temperatura no início do ano desde a década de 70”.
A verdade é uma só: os dias (e meses) só ficarão mais e mais quentes no verão.
A ONU divulga frequentemente relatórios sobre clima e aquecimento global. E, se nos últimos 120 anos houve aumento global médio de 1 (um) grau Celsius, a previsão para esse aumento até 2100 é de 2 graus Celsius. Obviamente, o homem é o principal causador deste aumento: o texto fala que há 95% de chance do homem ter causado mais da metade desse aumento.
Agora pensemos: se com o aumento de um grau as temperaturas globais mudaram tanto, o que acontecerá com os dois graus? (pra não usarmos o pior cenário da previsão que aponta um aumento de 4,8 graus!)

É um círculo vicioso. A temperatura aumenta devido ao desmatamento, que ocorre em nome do “desenvolvimento”, que gera empregos, mas necessita de fontes de energia, tanto para produzir, quanto para “consumir” o que foi produzido, e essas fontes (carvão, gás, hidroelétricas) precisam de mais desmatamento e geram mais degradação do meio ambiente e mais aumento de temperatura.
E o pior, essa degradação traz “de carona” um maior número de inversões térmicas, escassez de chuvas e/ou inundações frequentes, invernos nunca vistos anteriormente, seja pelo frio extremo ou pelas temperaturas inesperadamente amenas (tomemos Sochi, que tem tido trabalho em manter a neve durante as Olimpíadas de inverno), furacões e tornados, dentre outros fenômenos naturais.

Pra mim, o mundo precisa urgentemente reduzir, viver com menos!
Menor demanda de energia, menor número de veículos particulares, menos itens ligados na tomada, menos alimentos processados ou embalados, menor necessidade de produtos industrializados, etc.
E, caso aliado a isso aprendêssemos a ser mais eficientes, principalmente com fontes renováveis como o sol e o vento, seria possível reverter o caos iminente que se aproxima.
E não me venham com a teoria que essas energias são caras… Quem quer usar energia, que pague seu preço, como é feito com o petróleo! Que importa se o carvão é barato e polui? Ou ainda….

Sim, utópico e romântico, como sempre.

por Celsão correto.

figura retirada do portal UOL
como artigos de referência, aqui um bom resumo sobre o relatório climático da ONU. Aqui e aqui duas notícias de temperaturas recordes, também do portal UOL.

size_590_2013-12-11T232703Z_1614087320_GM1E9CC0KJV01_RTRMADP_3_UKRAINE-EUGostaria de ressaltar nesse post algumas notícias curiosas e interessantes que li sobre acontecimentos recentes pelo mundo.

O protesto na Ucrânia, onde manifestantes permaneceram por mais de quinze dias acampados na Praça da Independência de Kiev sob temperaturas negativas, deu resultado. Uma representante da União Européia revelou que o país voltou a discutir a assinatura do acordo de livre comércio, contrariando os desejos da Rússia.

Pra quem não acompanhou, o governo ucraniano abandonou conversas avançadas com a Comunidade Européia por pressão de Moscou; o que desagradou a população da ex-República Soviética que prefere atualmente acordos com o “ocidente” a acordos com a Rússia. (leia a matéria aqui e o novo caminho das negociações aqui)

protestotaliandiamonge1apNa Tailândia, protestos violentos ocorrem nas ruas desde Agosto deste ano. O motivo? Uma lei polêmica de anistia aprovada pela premiê, Sra. Yingluck Shinawatra (impronunciável). Mas, e qual o problema nisso? Esta lei representa manobras políticas arquitetadas pelo irmão da premiê, Sr. Thaksin Shinawatra, um bilionário que comandou o país com favorecimentos e compra de votos e hoje vive no exílio, depois que foi derrubado num golpe militar em 2006.

Agora a polícia convocou o líder dos manifestantes para conversar, visando minimizar o conflito; que não arrefeceu mesmo com a antecipação de eleições para Fevereiro próximo. A oposição acusa o irmão da premiê da compra de votos das zonas rurais e preferiria que o rei nomeasse outro governante (aqui a notícia de agosto e aqui+aqui os novos acontecimentos)

Alguns tailandeses acreditam que tais manobras são possíveis apenas porque o país vive uma monarquia, onde o rei, já com 86 anos, é muito querido, mas nada manda…

tn_620_600_cartaz_81213No Paraguai (isso mesmo, até no Paraguai!) em protesto contra a corrupção dos senadores, milhares de donos de estabelecimentos em diversas cidades penduraram placas de repúdio, negando-se a receber os senadores responsáveis em seus negócios, sendo eles, restaurantes, mercados, academias, farmácias, dentre outros.

A maioria dos senadores haviam mantido a imunidade parlamentar do Sr. Victor Bogado, que empregava parentes em cargos públicos e até a babá das filhas (que em Itaipu, recebia um salário de quase quatro mil reais).

As placas penduradas, mesmo sabendo que os políticos muito dificilmente entrariam nesses locais, geraram desconforto e, posteriormente, a revogação da lei e a cassação da imunidade do senador Bogado, que poderá ser julgado por má conduta administrativa e fraude. (caso deseje, as notícias podem ser lidas aqui e aqui)

Minhas conclusões para tudo isso:

1) Somos frouxos. Pois reclamamos demasiado e aceitamos corrupção, nepotismo, manobras políticas, manipulação da mídia, governador que usa helicóptero público para fins privados, drogas transportadas em veículos oficiais, dentre outras barbaridades.

2) É triste sentir inveja de países como a Ucrânia, a Tailândia e o Paraguai.

por Celsão irônico

figuras retiradas daqui dos próprios links apontados.

bolsa-família-prêmio“Bolsa Família” recebe o “Award for Outstanding Achievement in Social Security”, maior prêmio internacional de resultados sociais, uma espécie de “Nobel Social”.
O prêmio é concedido a cada 3 anos pela Associação de Seguridade Social que foi fundada na Suíça, em 1927, e é reconhecida por 157 países e mais de 300 ONGs.
Para ver a notícia, clique AQUI

A pergunta é: Será que Lula e Dilma também “compraram” este título? Será que a institucionalização da máfia petista adquiriu tamanho porte e alcance? Perguntas complexas que desafiam o intelecto de uma ameba!

Enquanto isso, no Brasil e somente no Brasil, o povo é convencido de que a Bolsa Família só serve para comprar votos e gerar “vagabundos e preguiçosos”. Para não ser injusto na generalização, vou mencionar que também existem os menos radicais, que descredibilizam todo o programa somente por causa de problemas pontuais (sempre presentes num país tão complexo quanto o nosso) que representam um pingo, frente aos infindáveis ganhos e ao progresso que o programa trouxe, traz e trará. Uma dica: Parem de falar hipocritamente “o programa é bom, mas…”, “o Bolsa Família trouxe coisas boas, mas….”. Ou você assume logo que não concorda com o problema, sem hipocrisias, ou então mude seu discurso. 

Um exemplo de discurso mais honesto: “O Bolsa Família é muito bom, não há como negar isso. Trouxe muito progresso, diminuiu a desigualdade social, aumentou o índice de crianças na escola, e garantiu o pão de cada dia de muita família. Todos os números e índices são favoráveis e mostram que estre programa é muito benéfico. Ponto! Obviamente, como em tudo na vida, ainda há o que ser melhorado, e justamente por isso, é importante que o governo, juntamente com a sociedade, continue trabalhando de forma a tornar este programa ainda melhor e mais eficiente. Fim!”
Viram como a conclusão fica clara? Lendo isso, todo mundo percebe que, eu sou a favor do programa, gosto do mesmo, reconheço que trouxe praticamente só coisas boas para a sociedade, mas ao mesmo tempo eu reconheço que ele não é perfeito, e melhorias são necessárias. Sem hipocrisias, sem rodeios. Ponto final. 

Deixe-me contar um segredo para vocês, mas não espalhem: sabem o Pepe Mujica (presidente do Uruguai que doa 90% de seu salário a instituições de caridade e ONGs e é considerado o presidente mais “pobre” do mundo) e o Nelson Mandela (que dispensa comentários)?
Pois então, ambos são (no caso do Mandela, era) odiados em seus respectivos países por uma parcela enorme da população, mesmo sendo idolatrados no mundo. Esse fenômeno é conhecido e tem um nome: MÍDIA !

por Miguelito Nervoltado

figura daqui

RadioNacionalPrimoRicoPrimoPobreEm vista dos últimos acontecimentos e divulgações de gastos exorbitantes pelo chamado “rei do camarote” (post nosso AQUI) e pelos fiscais fraudadores do ISS do município de São Paulo, faço aqui uma singela comparação entre o que julgamos ser rico e a distribuição de renda no Globo.

Topei recentemente com um vídeo interessantíssimo que mostra a desigualdade da distribuição de renda no Mundo.

O autor usa fontes confiáveis (por exemplo, a ONU) para mostrar que as 300 pessoas mais ricas do mundo, tem mais dinheiro que as 3 bilhões mais pobres. Ou seja, as 300 mais ricas, possuem praticamente o mesmo tanto de dinheiro que a metade mais pobre junta!

Outra dessas constatações mostra que os 2% mais ricos do mundo, possuem mais dinheiro que o somatório dos outros 98% dos habitantes!

E nós aqui, julgando-nos bem informados, politizados e pobres! (Talvez por não acharmos absurdamente cara uma compra de supérfluos no supermercado). Ou criticando programas sociais achando que eles nos estão tirando dinheiro… Como diriam “brincando com a gíria”, o buraco é mais embaixo!

O vídeo está aqui.

Outro exercício interessante que os convido a fazer encontra-se no site Global Rich List (aqui) .

O site faz a proposta de mostrar, pelo salário anual que recebemos, onde estamos na escala global, apontando quantos indivíduos são mais pobres e mais ricos que nós.

E não para por aí, outras ótimas comparações são feitas, escancarando a condição dos pobres da Terra, mesmo tomando a realidade brasileira.

Me permiti fazer dois exercícios: no primeiro, coloquei como salário 90 mil reais anuais, assumindo-o como valor referência do programa mais médicos do governo federal; salário esse considerado absurdo e ultrajante por alguns profissionais brasileiros da medicina.

Não inseri décimo terceiro salário e tomei por bruto um salário de 10 mil reais com 25% de impostos . Pois bem…

Tais médicos estariam no seleto grupo dos 0,29% das pessoas mais ricas da Terra. Um salário equivalente a 307 anos de um trabalhador mediano em Ghana.

No segundo exercício, inseri o valor de 8840 reais; que seria equivalente a treze vezes R$680, o salário mínimo brasileiro. (não considerei descontos de imposto).

Mesmo recebendo um salário mínimo, o trabalhador brasileiro atingiu a faixa dos 21% mais ricos…

Pense e reflita. É justo reclamar como reclamamos?

Tente, depois desses exercícios, levar um pouco a sério alguns programas sociais e a vida dos outros habitantes do planeta, a vida “do próximo”!

por Celsão Correto e Miguelito Formador

P.S.: figura retirada daqui